Pular para o conteúdo principal

Os ventos do Norte que movem moinhos




O que nos leva daqui pra lá e de lá pra cá como uma pena ao vento?

Essa pergunta feita pelo ser humano desde sua existência, tema de acirradas discussões religiosas ou filosóficas tem inúmeras e diferentes respostas.

Cada qual de nós provavelmente terá a sua própria, embora não saibamos exatamente qual delas é a correta. O que sei é que desde o início deste blog, o destino, as escolhas diretas e indiretas que vocês e eu fizemos nos fizeram cruzar caminhos.

E foi neste ir e vir, nesse voar ao sabor do que sentia no momento que me fez escrever 553 posts em quase três anos. Foi a Borboleta Somniando e vivendo na Suécia. Foi o desejo de se jogar no mundo e de ser levada por outros ventos, como os ventos do Norte.

E esses mesmos ventos trouxeram na semana passada a Denise pela primeira vez por aqui enquanto o contador do blog virava para 100 mil visitas.


(Hanns Zimmer, tema de abertura do filme Forrest Gump)

Sei pouco dela, mas sei que tem um blog, onde tece idéias, divide sonhos, poesias e músicas das quais gosta. Sei também que ela deve gostar demais de uma das músicas que eu mais amo ouvir, já que esta é a abertura de seu blog. O tema do filme Forrest Gump, aquele de piano que toca enquanto a peninha fugida das mãos de Tom Hanks viaja ao som do vento e do destino que a leva, é uma das músicas e também a trilha mais ouvida por mim desde a estréia do filme em 1994.

1994 foi o mesmo ano que deixei de viver com minha família, deixei meu emprego de assistente de administração na Transportadora onde havia trabalhado por muitos anos e fui estudar Filosofia na Unicamp e morar com gente que ali havia chegado através de outras tantas milhares de escolhas e acasos. Foi com amigas que fiz lá que vi o filme e curti muito a trilha, todas deitadas na cama, dividindo projetos, sonhos e frustrações...

O mesmo lugar onde conheci o meu companheiro de jornada, Renato, com quem tenho dividido entre tantas coisas, essa vida de sonhos e também de labutas nesta pacata e deliciosa Suécia.

Parabéns Denise! Espero que você tenha recebido todas as energias super positivas que emanei para o visitante 100 mil lá de Praga.

E obrigada a cada um de vocês que passou por aqui neste tempo! Obrigada para quem passa com demora e me proporciona trocas tão incríveis! A vocês um abraço muito, muito apertado. Espero ainda encontrar vocês e ver onde o vento vai nos levar...

(Eu e quem tem me feito fazer diferentes escolhas, deitadas no gramado do Castelo em Potsdam, Alemanha, maio de 2010)

Por hora devo dizer só que, depois de três anos e quatro meses sendo essa quase personagem que aqui vive e escreve, a Borboleta terá em breve outro destino.

Deixará a Suécia, lugar que tomou como segundo lar.
Deixará os amigos queridos e inesquecíveis que fez aqui...
Deixará o verde, o colorido das flores da Primavera e o branco de neve do inverno,
Deixará de cantar de bicicleta com seu Ângelo pelos parques e ciclovias,
Deixará de olhar para o imenso mar que divide a fronteira entre a Suécia e a Dinamarca,
Deixará de somniar na Suécia, porque também os ventos do Norte movem moinhos...


(Duas formiguinhas no meio da multidão que invadiu Praga no último fim de semana, Sônia e Ângelo, foto do Renato lá em cima da Torre do Relógio Astronômico, República Tcheca, maio de 2010)

Depois deste tempo,
Depois de tanto aprendido,
De tanto vivido,
Da saudade e da ausência sentida,
Da família crescida,
E de tantas escolhas, ventos e mais,
A Borboleta irá sonhar novamente no Brasil.

Ela, seu Renato, seu Ângelo e sua Marina.


(De olhos fixos no Relógio Astronômico no centro de Praga, Ângelo e eu, República Theca, maio de 2010)

E será nesta nova praça que talvez a gente se encontre...
Em fim de julho os ventos do Norte me mandam de novo para o primeiro lar...
Então não reparem no tom de despedida... Tenho me despedido daqui desde janeiro, quando voltei do Brasil imaginando que seriam os últimos meses, mas do qual só tive certeza agora...

Me despeço com alegria, mas também sofrer porque tudo que vivo vivo assim, intensamente, impossível de não ser sem muitas lágrimas... não por medo ou lamento do futuro ou do passado, simplesmente porque viver para mim é isso. É se jogar tão leve e profundamente nas coisas que é impossível de não amá-las como sendo sempre suas... Viver é estar aberto às mudanças, mesmo quando se sabe que haverá perdas com elas...

E acho que é nisso que reside a dureza, mas sobretudo a graça das coisas...

Comentários

Mariel Stüpp disse…
Me pegou na TPM e me fez chorar... chorar por imaginar mais essa mudanca pra vocês, por saber que Marina já tem nome, e por saber que terei uma brasileira positiva pensativa e intuitiva a menos pra dividir (mesmo que virtualmente) a realidade do lado de cá. Pena, e que bom! Que bom que vocês vão voltar pra perto das família, o Ângelo e agora a Marina principalmente vão se beneficiar muito disso.
Ainda assim é lindo ver como és agradecida pela grande oportunidade que tiveram, e sei que vais aproveitar a vida de olhos ainda mais abertos no Brasil, pois a gente nunca volta a mesma.
Me fica um nó na garganta... Beijão e tudo de melhor em mais essa etapa!
Daniela disse…
Eu fiquei emocionada, mas é uma emoção triste.

Um beijo e sejam tão felizes do lado de cá qto têm sido do lado de lá. A minha torcida pra sempre.
Françoise disse…
Nem te conheço pessoalmente mas cá estou com as lágrimas que escorrem no rosto... Isso pois é uma pessoa que me cativou pelos textos que escreve mostrando este ser maravilhoso que é. Te admiro e só o que desejo é que seja muuuuito feliz com a linda família que tem , por onde passar continuará ecoando otimismo e vivendo intensamente a sua vida como já faz de maneira tão singular.Te admiro!

Marina.....lindo nome!

Bjos mil minha querida.
Beth/Lilás disse…
Diacho! Ler tudo até o final e ainda ouvindo o piano só me fez chorar também, apesar de eu já saber da sua volta, mas fiquei emocionada, aliás como sempre, pois só você pra me fazer ficar assim, um misto de emoção pela beleza com que consegue expor seus pensamentos e nos deixar a mensagem que sai sempre bonita.
A única alegria minha é que agora, pelo menos, vou desvirtualizar esta amiga querida e sua família.
Esperem-me em Sampa!
Gente como você é feliz em qualquer lugar, tem amor no coração e olhos de enxergar coisas belas.
Vai dar tudo certo.
beijão carioca
Somnia Carvalho disse…
Mari,

desculpa te fazer chorar bonitinha... mas eu tenho isso na veia de querer que os outros sofram comiga... rs...

eu entendo o que vc diz... no fundo por mais que a gente fale, por mais que a pessoa queira entender o que e estar no nosso lugar, e so vivendo essa experiencia, e e so vivendo aqui na suecia que a gente pode imaginar melhor o que seja... o lado bom e o lado ruim...

eu espero que voce fique muito bem aqui, embora eu tenha entendido tambem que vc logo ta acabando a facul e volta pro brazuca...

so nao vamos deixar que o fio se arrebente!
Somnia Carvalho disse…
Dani,

vai ver é porque enquanto eu escrevia eu tavam triste mesmo... e dificil maquiar esse sentimento de perda, embora eu saiba de antemao o quanto posso e vou ser feliz ai de novo com os meus...

perder o que se ama, ainda mais quando e voce mesmo quem decide deixar algo é dolorido...

ou talvez ainda voce se veja nessas escolhas e nisso tudo, porque sei tambem o seu caminho... a gente continua com nossos encontros por aqui, espero!
Somnia Carvalho disse…
Françoise, voce e a culpada de eu ter ja tido dois sonhos em que eu me encontro com voce!

num deles voce era uma enfermeira maluca, no meio do nada e ai eu descubro com seu sotaque que voce e brasileira ta ta ta e ai que era a Francoise! baita coincidencia!

essa noite sonhei que eu dizia a voce que eu ja tava indo embora e a gente tentava se encontrar as pressas, mas eu nao te reconhecia pessoalmente...

vamo que vamo nesse encontro mulhe!
essa semana?
Somnia Carvalho disse…
Lilasona,

das grandes coisas botimas que tive com esse blog foi conhecer voce! tao cheia de vida, tao leal e carinhosa!

voce vai ter que ir a sampa!!! ah se vai!!! e a gente vai tagarelar muito! e ai quando eu tiver com a moleca maior quem sabe consigo ir ao rio de janeiro visitarrr minha amiga cariocona.
Somnia querida

Fez todo mundo chorar e comigo não seria diferente!
Você é querida, cheia de vida e transformou essa dor de despedida em uma mensagem cheia de calor humano, de amor, de esperança!!
Que sua volta seja muito melhor, que você realize os mais lindos sonhos e continue a nos blogar e nos encantar.
E quem sabe poderemos desvirtualizar nossa amizade!!

Amei o nome Marina, a menininha que será brasileirinha e paulista!!
Beijos nos seus pequenos e para vc bem grandão no seu coração!!

beijos
Tati disse…
Sonia,

Coloquei a música para tocar enquanto lia, e fez muita diferença. A poesia, o sonho das entrelinhas, tudo isso foi me penetrando. Imagino o que esteja sentindo. Imagino o que seja deixar tanto para trás, mesmo sabendo que retorna para o que deixou para trás algum dia.
Tudo dará certo, principalmente por que os quatro permanecerão unidos. Seja bem vinda de volta.
Um beijo.
Françoise disse…
Enfermeira???Ahhh, sou uma molengona com sangue, doenças, imagine eu?????
Topado, pode ser esta semana sim. Se for em Malmo me avise tá?
Bjos
Lu Souza Brito disse…
Somnia,

Fiquei aqui lendo sua "despedida e ouvindo esta belíssima música. Deu um grande aperto no coração. Por você, pelas mudanças. Pelo porvir. Mas você mesmo disse que é intensa e vive completamente. Não será diferente aqui né? Não deve ser facil deixar tudo que conquistou por ai, inclusive o amor pelo seu lugar, pessoas, hábitos. Mas que esta mudança traga muitas felicidades a sua vida. Não há escolhas sem perdas e ganhos. Equilíbrio da vida.
Parabéns pela Marina - amo esse nome.
Que Deus te proteja sempre e estarei aqui fielmente seguindo este blog que está dentre os meus favoritos!
Ju Moreira disse…
Minha querida brobuleta vai partir??? Fui lendo seu post e a angustia foi tomando lugar dentro de mim. Q triste saber q tu vai partir. Q bom saber q tu vai partir tb e vai p perto da família. :)

Tenho q te conhecer antes de tua partida. Vou dar um jeito de ir a Malmo antes de vcs voltarem p o BR. Pode esperar! ;) snif snif!...

xeroca enorme em vcs e na barriga!
Anônimo disse…
Nossa Somnia,

eu ja estava chorando pq tava lendo as msg de aniversário q meus amigos mandaram e qdo fui ver o seu blog e comecei a ler, virei a própria manteiga derretida..rs
Mas quero q vc saiba q ler os seu posts quase diariamente me fez um bem tao grande q vc nem pode imaginar.
Quero te desejar toda sorte pra vc e sua família com essa nova jornada aqui no Brasil.
E quem sabe a gnt nao se encontra aqui na Bahia ou em uma das minhas andanças por Sao Paulo,né!?
Ah,adorei o nome da Marina...

Um grande Beijo!!!
Ei Somnia! Vai borboletear por aqui! Então quando for desvirtualizar m=nossa amiga Beth, tb vou junto! E assim conhecer os fofuchos...e vc! Fica triste não...tudo tem seu tempo de começar e terminar...as lembranças, essas ficarão pra sempre e ninguém, nunca, pode tirá-las de nós...grande beijo.
Somnia,
Já estive por aqui outras vezes e, agora, estou voltando nessa fase de despedidas e esperanças.
Aproveito para lhe desejar uma despedida leve e muita sorte no seu recomeço por aqui.
Josy disse…
Onde você estiver tenha certeza que tudo vai dar certo!E continue escrevendo sempre,deixe-nos atualizada.

Boa sorte
Ana Flavia disse…
Ai, Somnia, meu coração tá na boca. Já sinto saudades enormes. Voce nem me dá tempo de ir te des-virtualisar. Vivo pedindo meu marido pra irmos mochilar na Escandinávia, com paradinha obrigatória em Malmo. O plano era ir em Maio, mas quebrei a perna, ó, e vc se vai! Sniff. Vem passear na Austria antes de ir, tem room aqui pra borboleta e os dela.
...Mas sei da alegria de voltar e da incomparável felicidade de morar pertinhos dos nossos. Bom retorno e muitas felicidades.

Beijocas
Lúcia Soares disse…
Somnia Sônia, também estou na fila pra ir a Sampa lhe conhecer e às crianças. Pode esperar!
Conhecer você é um prêmio, pois nem todo mundo conhece uma filósofa/artista plástica/pintora/mãe/mulher/menina.
Paralela à sua tristeza pela volta, está a alegria dos familiares, pela vinda.
Ângelo e Marina agradecerão essa proximidade, vocês decidiram certo. Ainda que a educação européia seja imbatível e a qualidade de vida, em matéria de segurança seja muito maior,aqui também é um bom lugar.
O melhor lugar é onde estão os que amamos.
Bj
Cecilia . disse…
Ai, chorei daqui.

E eu, q nem de perto te vi, mas te sinto tao proxima, snif.

Poxa. Nao me contenho daqui :(

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

Na Suécia também não tem... bebê com brinco na orelha

("Não tem brincos: é menino ou menina?", criança sueca posa para grife Polarn O. Pyret ) Nove em cada dez vezes que alguém no Brasil tenta ser simpático com uma grávida ou alguém com um bebê de colo a pergunta é sobre o gênero da criança. Menino ou menina? Já repararam? Embora essa pareça ser a única pergunta possível para tanta gente, a verdade é que ela diz muito sobre nosso modo de ser e pensar e a importância que damos ao sexo e a escolha sexual de uma pessoa. Tomemos outra situação: quando alguém olha para um bebê menino nas ruas no Brasil você acredita que haja alguma expectativa quanto a algum sinal, uma marca, deixando claro e evidente se tratar de um menino? E quando encontra uma menina? Bom, fato é que nossa menina Marina agora tem 8 meses e eu simplesmente não tenho condições de contar as dezenas de vezes em que fui parada nas ruas em São Paulo por alguém perguntando se tratar de uma menina ou de um menino.  Até aí nenhum problema! Bebês no começo não tem