Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

Aos fãs e aos loucos por nós...

Gente querida, Eu havia divulgado aqui o primeiro livro virtual  (" A menina da saia de tule ") do meu amigo Ed Cruz , aquela pessoa simpática e competente que participou do concurso " Uma foto, mil lembranças ". Este é uma parceria divertida entre eu e Ed, dois viajantes cheios de idéias e projetos mirabolantes. O Ed entra com a parte fácil, tipo ele escreve o livro... rs... e eu faço todo aquele trabalho chato e duro de revisar, publicar e manter o blog. Não é justo não? Mas com o sucesso dele eu tô pensando em investir nele e ganhar uma dinheirama às custas do mocinho do interior. Ontem, quando publiquei o terceiro capítulo tivemos 10 curtidas em menos de 4 minutos. Isso tá pra lá de bom não está não? O Borboleta ganha um curtida a cada 10 posts e olhe lá! :( Acabei não divulgando o capítulo 2 na época e agora venho para dizer que acabo de publicar o Capítulo 3, intitulado "Paixão de Primavera". O Ed tem trabalhado duro e havia me entregue o

"Você também faz parte...", uma reflexão sobre a cor, o status e o status quo

("Você também faz parte II", Nelson Leirner , 1964. Somos mais uma fechadura funcionando bem na engrenagem? Estamos trancados? Ou temos a chave para abrir outras possibilidades?) A vida é dura, reclama a maior parte das pessoas que conheço. Sim, ela com certeza é em muitos momentos. Ontem, entretanto, o óbvio ficou grudado na minha mente: ela é dura, mas dependendo da cor da tua pele, meu camarada, ela com certeza será também muito injusta. Fui participar de uma confraternização de Natal do condomínio onde vivemos em "Sumpaulo", um bairro gostoso porque tem algumas árvores, mas básico e simples, já que não tem nada mais do que algum comércio, casinhas, muitos prédios e fábricas antigas. E então eu tive um choque. Sim, um tipo de choque. Vocês sabem que há coisas com as quais convivemos desde o dia em que nascemos. Crescemos e vemos iguais, pouco mudam e aí assumimos como sendo o que são. Não questionamos mais. Não lamentamos, não desejamos mais gastar alguma

Montanha Russa

("Dança da vida", Matisse) Sábado de manhã e, desde há muito tempo, não tenho plano algum para o fim de semana. Os últimos dias vivi , como disse Rui Castelhano, líder do curso  do qual participei semana passada, eu estive numa enorme montanha russa. A sensação já teria sido exatamente essa em ter ficado 3 dias inteirinhos e quatro noites com um grupo de 89 pessoas no Fórum, mas na última quarta-feira eu também fiz minha cirurgia de tireóide. Estou aqui me recuperando e por isso a parada. Tenho muita coisa para dividir, mas a zonzeira e outros sintomas não me deixas pensar muito claramente. Uma das coisas mais estranhas é me lembrar do momento em que apaguei totalmente quando recebi a anestesia. E depois como fiquei entre um ir e vir, tentando acordar e pum! apagando de novo. Foi uma experiência totalmente extra sensorial e foi como se por algumas horas (acho que levei mais de 12 horas para de fato entender o que havia ocorrido) eu tivesse numa outra dimensão. Um