Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2008

Amamentar é muito mais que o ato solitário de uma mulher...

Tem algumas coisas que a gente aprende quando é mãe e tenta amamentar, ou quando se põe a perceber a realidade da mulher que amamenta.  Uma delas é que essa iniciativa não pode ser solitária, sobretudo porque é uma fase em que a mulher precisa de todo o incentivo e apoio que conseguir. E porque, só o desejo de amamentar não basta. Há uma gama de problemas que surgem nos primeiros dias e meses de amamentação que acabam levando esse desejo abaixo.  As cobranças que a gente mesma se faz são demasiadas e as intenções de ajuda de quem está de fora, nem sempre conseguem ter o efeito esperado.  A Semana Mundial de Aleitamento Materno, que vai de 01 a 07 de agosto, tenta incentivar o aleitamento a partir da idéia de que amamentar não é algo que a mãe faça sozinha. Ela pode e deve tomar a inciativa para isso, mas é preciso uma rede de colaboradores que começa em casa, com o pai da criança, estendendo-se a todas as pessoas próximas à mulher até chegar ao Governo do local onde ela vive. Aba

Malmö, Sumaré e São Paulo: tudo igual no dia de hoje!

Fui checar a temperatura para a próxima semana e vi que, neste exato momento, tá tudo igual entre a gente: Malmö: 26 graus São Paulo: 26 graus Sumaré: 26 graus Não me contive e precisei registrar! Este deve ser um raro momento do ano em que a gente tá igualzinho, embora vocês não devam estar achando que a temperatura tá tão boa assim pra se estirar na praia...  Não sei mais nada, só sei que a gente aqui tá sentindo torrando...  Acho que suequei!

Semana Mundial da Amamentação: Seja autor do post dessa sexta-feira!

Há um ano, desde que o Ângelo nasceu e eu o amamento, fico pensando sempre num post que conseguisse expressar o sentimento pelo qual sou tomada... Dias vão e vêm e eu acabo por deixar a idéia de lado, porque acabo por pensar que toda mulher que amamenta deve sentir o mesmo, logo, que novidade eu traria num post como esse? Mas a Semana Mundial da Amamentação do IBFAN (Rede Internacional do Direito de Amamentar) e a blogagem coletiva, promovida por muitos blogs no Brasil, e motivado pelo Síndrome de Estocolmo , me trouxe de novo o tema na cabeça. Me fez lembrar também de todas as dificuldades iniciais que tive de enfrentar para chegar no ponto que cheguei agora, além daquelas que ouvi de muitas amigas que tiveram bebê na mesma época. Nessa sexta-feira, dia 01 de agosto, haverá uma blogagem coletiva neste blog e em outros que decidiram incentivar o movimento. Isso quer dizer que a gente vai escrever um post a muitas mãos. Vocês me mandam material. Qualquer coisa: uma frase, um poema,

"Sombra e água fresca": tô assando a 30 graus...

Eu sempre disse à minha mãe que, apesar de no Brasil não fazer frio de verdade, ela sente frio porque as casas não são preparadas para isso. Sem aquecimento, paredes e janelas fortes o frio entra e é como se estívessemos no meio da rua. Por isso, a sensação de 15 graus é de um frio danado! E por isso eu fico muito bem aqui, com -10 lá fora, quando estou dentro de casa... Mas esses dias eu pensei que a recíproca também é verdadeira: a temperatura por aqui está extremamente alta para os padrões escandinavos. Segundo minha amiga sueca, Paulina, está quente como não foi há muitas e muitas décadas atrás.  Tem chegado a picos de 35 graus durante o dia, fora e também dentro de casa, porque, contrariamente ao Brasil, as casas aqui não estão preparadas para aguentar o calor. Todos os dias tenho escancarado todas as janelas da casa e não é suficiente... A gente se sente assando e a solução é ficar nos parques, embaixo das árvores, ou na praia, onde a brisa é fresca e a gente sente que, ao

Viajando pela costa leste da Suécia...

(Pra todo canto é só poesia... Gustavo e Flávia, casal e amigos nota 10!, Åhus, Suécia, julho de 2008) Na quinta passada, pegamos praia com 36 graus no termômetro e este fim de semana fez muuuito calor por aqui. Foram dias lindos! Céu perfeitamente azul, combinando com o mar imensamente ultramar.  Com a caranga lotada e a companhia da tia Kátia-Flávia e Senhor Gus, aproveitamos para conhecer a costa leste da Suécia. Fomos de carro até Åhus, passando pela região de Sinrishamn até Kristianstad, parando em algumas cidadezinhas que fazem a gente se sentir dentro de uma folhinha de calendário. Uma das mais lindas é Vitemölla. Tudo perfeito, organizado pela Renatur, nossa agência de viagens particular daqui de casa. (Em Vitemölla, para reabastecer a turma..., Suécia, julho de 2008) (Renato, dono da Renatur, com o seu herdeiro, curtindo sol em Åhus, Suécia, julho de 2008) Não fosse eu ter consciência que só deve estar quente assim aqui e frio aí, como nunca foi antes, devido ao aqu

Decorar é a arte de acreditar em si mesmo

(Idéia de decoração do Apartment Th erapy ) Há alguns meses, tenho olhado para uma cadeira de escritório muito sem graça, que tenho desde minha época de estudante em Campinas. Eu nem conseguia jogá-la fora, porque, afinal, como cadeira, ela é bastante boa, e nem conseguia usá-la na escrivaninha descolada que compramos no Ikea.  Minha idéia era pintá-la como se fosse uma pichação: criar mil cores, escritos etc. Tudo muito solto e colorido... mas eu tenho hesitado, desde então... Hoje vi num blog fantástico de decoração (sugerido pela minha amiga Andréa ), esse sofá aí e essa cadeira... Muuuito parecido mesmo com o que eu tinha pensado em fazer, mas não tinha tido coragem suficiente. Todas as vezes que minha casa, ou minhas aulas, ou qualquer coisa que seja, ficou legal foi porque eu não hesitei em seguir o que tava achando que deveria fazerl! Foi porque eu não pensei o que as pessoas que entrariam em casa pensariam a respeito de um sofá pichado, por exemplo. Essa mulherada desse

Celebrando no melhor estilo sueco-brasileiro ou Ângelo fez 1 aninho

O aniversário de 1 aninho do Ângelo na semana passada foi e não foi ao estilo sueco. Na Suécia as festas são bem regradas. Sejam as de casamento (que quase nunca acontecem, porque quase ninguém se casa oficialmente), sejam as de aniversário que, no Brasil, são regadas a muita comida e gente que não acaba mais. A gente celebrou de duas formas: um dia apareceu aqui em casa uns amigos chegados e comeram uns super salgadinhos deliciosos que encomendei de uma Wilma espetacular. Isso porque no local onde seria a festinha com a criançada me barraram a entrada da comilança. O outro dia foi lá neste local que a gente pode alugar e fazer a festinha. Aqui em Malmö você consegue achar uns três lugares assim, como esse que usamos, o  Skattkammaron , coisa rara para a Suécia!  A gente paga por cada criança e ganha lá uns breguetinhos, nada saudáveis, para elas comerem. Diferente do Brasil, a gente não aluga o local todo e põe as quatrocentas e setenta e sete pessoas, infelizmente. As festas de c

26 graus em Malmö!!! uhl! uhl! uhl!

. (Tá uma curtição danada! embora farra assim eu só tenha visto em fotos , como essa... que uso pra fazer chantagens) Uêba!!! Acordamos com 25 graus no termômetro e a coisa tá esquentando... Angelito já tomou banho de fonte (dont´t worry! a água é tratada!) com a criançada. Pulou, brincou, tomou sorvete e brincou no parque! E a tarde mandaremos ver uma praia nele! Uêba!!! Só para fazer fusquinha para o pessoar que tá curtindo uns 16 graus aí no nosso Brasil veronil! "O Sol nasceu pra todos e não só para você! Vote...Quércia, vote Quércia!" Êpa, creda! Deixa eu parar por aqui!!! Ótimo dia pra vocês! Aproveitem para ler um livro, tomar uma sopa, ou ver um filminho básico. Minha dica do dia é Piratas do Caribe, porque tô super influenciada pela festinha do Ângelo da qual, aliás, tem fotos aí no link do lado direito do blog. Nos próximos posts tento falar um pouco do aniversário, antes que ele complete 13 meses... Hejdå Molly!!!

Uma abóbrinha, uma canção e um chororô

Semana passada ganhei dos meus amigos poloneses, Grzegorz e Agnieszka, duas abóbrinhas (Zucchini, em polonês) verdes deliciosas. Grzegorz tem cultivado uma horta, super saudável, no fundo da casa, desde que a primavera chegou. Acabei por fazê-las, para mim e para Ângelo, picadinhas e regofadas, como minha mãe fazia para eu e meus irmãos. Imediatamente veio à minha memória cenas de minha infância. Minha mãe fazendo seu almocinho de todo dia, a gente fazendo uma bagunça danada... Pulei, então, para a época em que meu pai e minha mãe começaram juntos uma horta e, entre alguns tapas e beijos, plantavam e colhiam legumes e verduras lindos e deliciosos. Eu a-do-ra-va passar lá nos fins de semana com o Renato e a gente escolhia o que iria levar para a semana... eu adorava gastar meu tempo lá com eles. Foi rápido o salto que minha mente fez para algumas músicas que meu pai gostava e assoviava, enquanto trabalhava... Veio o Mário Zan, o Liu e Léu e algumas outras canções que ele também toca

Três coisas que você nunca vai ouvir de um sueco:

(Imagem: " Invasão sueca em Munique ", por conta da Copa do Mundo de 20 06)  1. "Fiu, fiu", "Gracinha", "Gostosa" ou qualquer coisa do gênero... ... quando estiver passando ao lado de uma construção ou estiver passeando por uma avenida.  Aqui na Suécia não adianta seguir aquele esquema, sugerido certa vez no "Casseta e Planeta!", de passar do lado de uma construção de mini saia para levantar a moral.  Além dos suecos serem ultra discretos e mui "respeitosos", nas construções eles são só uns gatos (você pode pensar em inúmeros sentidos para este termo) pingados, operando as enormes máquinas que fazem a maior parte do serviço pesado. Você será respeitada como se fosse um homem. Para alegria de algumas e tristeza de outras. Se você ouvir alguma coisa, desse naipe elogioso brasileiro, pode checar que é estrangeiro. Se for loiro, é dinamarquês.  2. "Passa lá em casa qualquer hora dessas!" Não ouse! Não ouse apa

Eu também quero uma casa no campo...

(Vincent Vang Gogh, Paisagem) Não sei se tem a ver com envelhecer ou não. Ou se tem a ver com viver apenas, mas, cada dia mais, desejo aquela "casa no campo", como cantou a Elis... Aquele lugar onde tudo e nada acontece. Onde só o que é extremamente simples e profundo tenha vez e só viver importe. Ou talvez, ainda, eu só esteja muito influenciada pelas paisagens calmas e pacatas daqui da Suécia. Só sei que, num dia como hoje, meio friozinho e tal, eu só tô cantarolando essa música. .... Casa no campo Eu quero uma casa no campo Onde eu possa compor muitos rocks rurais E tenha somente a certeza Dos amigos do peito e nada mais Eu quero uma casa no campo Onde eu possa ficar no tamanho da paz E tenha somente a certeza Dos limites do corpo e nada mais Eu quero carneiros e cabras pastando solenes No meu jardim Eu quero o silêncio das línguas cansadas Eu quero a esperança de óculos Meu filho de cuca legal Eu quero plantar e colher com a mão A pimenta e o sal Eu quero um

Amanheci pensando no Drummond...

Amar "Que pode uma criatura senão, senão entre criaturas, amar? amar e esquecer, amar e malamar, amar, desamar, amar? sempre, e até de olhos vidrados, amar? Que pode, pergunto, o ser amoroso sozinho, em rotação universal, senão rodar também, e amar? amar o que o mar traz à praia, o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha, é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia? Amar solenemente as palmas do deserto, o que é entrega ou adoração expectante, e amar o inóspito, o áspero, um vaso sem flor, um chão de ferro, e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina. Este o nosso destino: amor sem conta, distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas, doação ilimitada a uma completa ingratidão, e na concha vazia do amor a procura medrosa, paciente, de mais e mais amor. Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita." "Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundos,  mas com tamanha intens

O Ângelo tá fazendo 1 aninho e tá TODO MUNDO convidado!!!

Gente, Seguinte: passem em casa hoje as 17:00. A gente vai cantar parabéns para nosso Ângelo e a gente quer to-do-mun-do junto aqui para celebrar! Queremos os avós, as tias e tios, os primas e primas, as bizas, os amigos e amigas, as kicas e o monet! Todo mundo mesmo! Vai ter coxinha, empadinha, bandeirinha, tudo de inha que lembre o nosso Brasil querido e vocês! Não tem nada a ver essa coisa de distância não! Tomem umas azinhas e venham!  O Ângelo já ama todo mundo! Através do skype que ele não entende, mas ele ama!  A gente espera todo mundo aqui!  Um beijo enorme e obrigado por todo amor que dão ao Angelinho! Ôpa: ia esquecendo de dizer: Feliz Aniversário Ângelo!!!

Resumo da Ópera Mamma, em alguns atos

Por conta da proximidade do aniversário do Ângelo, anda passando um filminho na minha cabeça... Um filme que começou, na verdade, quando soube que estava grávida, logo depois de correr uns muitos kilômetros no Nike 10K. Eu soube, desde o primeiro segundo, que esperava por um menino. Eu sabia, assim como sei agora, que vou morrer de saudade de cada minuto com esse menino, porque ele tem deixado de ser um bebê muito rápido... Esse primeiro ano, junto com esse Ângelinho, foi de altas emoções e eu fico toda nostálgica só de lembrar. Ás vezes eu o aperto, assim bem apertadinho, beijo, beijo e beijo muito, só para ver se eu capturo aquele momento e não o deixo ir. Só para que ele saiba o quanto é importante em minha vida. Já foi dando tanta "sôdade" de lembrar esse 1 ano e 8 meses que tentei buscar nas fotos algo que tivesse sido guardado e pudesse manter a memória eu e Ângelo juntos nesse tempinho e, então, fiz esse pequeno mosaico. É pouco, mas já é alguma coisa... 

Os suecos são discretos de dar nos nervos

(Posição típica do Body Combat:  mãos sempre protefendo o rosto , preparando o soco e preparando o gri-to!) Comecei a fazer Body Combat aqui na Suécia, há alguns meses, porque tinha feito por mais de um ano no Brasil e adorava. É um tipo de aula que combina várias artes marciais, como o Karatê, Box, Taekwondo, Tai Chi e Muay Thai, ou lutas como capoeira, com música. A técnica, que foi criada na Austrália, precisa ser seguida à risca nas academias que são vinculadas ao programa e, no Brasil, há vários lugares onde se pode fazer uma aula dessas. Eu havia feito por um ano e pouco aí em São Paulo, no Palmeiras, e era muito bom! No início você se sente meio idiota de estar lutando contra ninguém, mas depois é incrível, dá uma energia danada, porque trabalha o corpo todo e traz sempre músicas muuuito aceleradas, animadíssimas e legais de se ouvir e praticar. A coreografia é criada a partir da música e atual tem vários temas do cinema, por exemplo, como Rocky, 007 ou Missão Impossível.

Coisas pequenas

(Âng elo..., julho de 2008) Ainda pensando no post de ontem , sobre a "vontade de mudar", "o mudar de vida" e sobre as "coisas pequenas"... Coisas pequenas e valiosas que acho que devemos conseguir perceber no meio do corre-corre do dia. Coisas como ter voltado agora há pouco de um parque, ouvindo Ângelo falar com os pássaros. Ou ainda, ver o Renato, no sábado, durante uma hora no jardim, olhando e fotografando seu Angelinho enquanto ele dormia... Ver que ele esperou pacientemente que seu bebê acordasse e só depois subiu as escadas com ele...  Pensando nessas coisas foi impossível não pensar e querer ouvir Madredeus. Abaixo a letra de uma das mais belas canções que conheço e, na sessão de links de músicas, do lado direito, o vídeo para inspirar a nossa quinta-feira... Bom dia! (Pai e filho, ..., julho de 200 8)    Coisas Pequenas "Coisas pequenas são coisas pequenas são tudo o que eu te quero dar e estas palavras são coisas pequenas que diz

"Filhos, pra que tê-los?" ou Até meus amigos "bicho-grilo" decidiram ser pais

(O pézinho gordinho do dorminhoco do Ângelo, em clique do pai coruja, julho de 2008 ) Ultimamente tenho recebido algumas notícias de amigos que, até pouco tempo, eram totalmente improváveis de serem pais ou mães um dia...  Improváveis não por serem incapazes, mas porque levavam bem suas vidas sem pensar no assunto e derepente, me dizem: "Somnia, serei mãe, serei pai"... como ouvi de minha amiga maluquinha Lu Dias, de quem falei esses dias , e de meu amigo todo filósofo e descolado Ferracini. Amigos que mudaram de idéia ou simplesmente acham que chegou o momento de cuidar de outra vidinha também. Talvez a gente mude  porque a decisão de não ter filho é tão difícil que a gente não quer correr o risco. Talvez porque parece um ciclo meio em cadeia... a gente tem os sobrinhos e fica deslumbrado, daí vem o filho de uma amiga e outro e outro e você quer ter alguém para ler aquele livro lindo que um dia leu... Quer cuidar, Quer amar, Quer dedicar tempo a educar... Quer particip

Alô? quem tá falando? Olá! quem é você que me lê?

A internet é um meio incrível e estranho de comunicação.  Incrivelmente estranho. Enquanto escrevo da "solidão" do meu canto, cá nesse país onde nunca pensei viver, a Suécia, alguém que eu nunca, jamais, em tempo algum, conhecerei ou sequer imaginarei existir, estará de lá, daquele seu cantinho "solitário", se comunicando comigo. Mas eu sou das antigas. Aprendi numa das lições do Crisma que comunicar era uma interação direta entre dois agentes ou mais. Me disseram, naquela época, que quando A falava, por exemplo, B deveria estar todo atento e ouvir. E que quando B começasse a falar, A seria todo ouvidos. Só assim poderia haver uma troca verdadeira entre esses agentes comunicadores. E talvez seja isso que me dê, de vez em quando, uma coisa incômoda de escrever um blog. Nessas vezes, essa comunicação canhota parece algo em torno de: ou A está se exibindo, sem se preocupar em deixar B falar ou, então, B não está todo atento, ouvindo e, por isso, não tem interesse e

Por que a Suécia é quase um paraíso para a criançada

(Piquenique com os amigos suecos do Ângelo, cujas mães conheci no grupo de mães, no Pildamnsparken, Malmö, abril de 2008) Vira e mexe, principalmente num desses dias de quase 30 graus no sol, as amigas que fiz aqui, brasileiras ou não, dizem: "não fosse o inverno, por que a gente um dia iria embora desse lugar, Sônia?".  E é verdade. Eu acrescentaria, "não fosse o inverno e a saudade da minha gente e da minha terra...". Claro que viver por aqui, ainda bem mais do que outros países europeus, obriga a gente a viver o esquemão sueco de vida "simplória". Já falei, num post que escrevi logo que cheguei, "Cadê meu entregador de pizza?,  sobre como a gente precisa mesmo dar conta de tudo, absolutamente tudo, da vida particular, sem ajuda, porque tem pouquíssima gente no setor de serviços. E você terá que dar conta mesmo que, no Brasil, fosse alguém que pagasse por muito tipo de serviço. Então, sem contar o inverno (que tem o seu lado peculiar também), qu

Coisas de bom e mau gosto no verão da Suécia

Eu sei que a discussão sobre o gosto, incluindo o que seja bom gosto ou mau gosto para um ou para outro, é longa e pessoal, mas algumas coisas usadas aqui na Suécia me parecem ser meio consenso quando falo com algumas pessoas "não suecas" que conheço aqui.  Coisas de bom gosto ou muito legais no verão sueco: - curtir o sol e natureza todos os dias, sem exceção, desde que o sol apareça. - tomar sorvete até nos dias de verão chuvoso ou não tão quentes. - andar de bicicleta, em família, durante o fim de semana inteiro. - usar cores e mais cores, sem se preocupar com combinações conservadoras. - plantar flores lindas e coloridas em todas as sacadas, jardins públicos ou privados e cuidar delas como se fossem pequenas pérolas. - fazer piquenique em qualquer canto. - andar descalço pela cidade só para sentir o calor nos pés e se sentir livre.  Coisas de mau gosto ou "feiosas" no verão sueco: - biquini calçolão. - sapatos sociais brancos, vermelhos ou azuis, tipo ano