Pular para o conteúdo principal

Três coisas que você nunca vai ouvir de um sueco:

(Imagem: "Invasão sueca em Munique", por conta da Copa do Mundo de 2006) 


1. "Fiu, fiu", "Gracinha", "Gostosa" ou qualquer coisa do gênero...

... quando estiver passando ao lado de uma construção ou estiver passeando por uma avenida. 

Aqui na Suécia não adianta seguir aquele esquema, sugerido certa vez no "Casseta e Planeta!", de passar do lado de uma construção de mini saia para levantar a moral. 

Além dos suecos serem ultra discretos e mui "respeitosos", nas construções eles são só uns gatos (você pode pensar em inúmeros sentidos para este termo) pingados, operando as enormes máquinas que fazem a maior parte do serviço pesado. Você será respeitada como se fosse um homem. Para alegria de algumas e tristeza de outras.

Se você ouvir alguma coisa, desse naipe elogioso brasileiro, pode checar que é estrangeiro. Se for loiro, é dinamarquês. 


2. "Passa lá em casa qualquer hora dessas!"

Não ouse! Não ouse aparecer na casa de um sueco, ou sueca, ou telefonar de perto da casa deles, dizendo: "tô passando aí!"... 

E você também não convida "qualquer um" pra ir à sua casa, só porque faz um tempo que não se vêem e se cruzam na rua. Essa frase que a gente fala pra todo mundo, aí no Brasil, aqui não tem vez. A não ser que você queira ser evitado pelo resto da sua estadia.

Uma visita só acontecerá se você for pre-vi-a-men-te convidado. De preferência com algumas semanas de antecedência. Normalmente com tudo bem planejadinho: hora de sua chegada e hora de sua saída. E isso só se você for muuuito chegado mesmo do pessoal da casa.

Eu até apareço na casa dos amigos poloneses, alemães, portugueses e brasileiros desse jeito (e vice-versa), mas não na casa dos suecos com quem fiz amizade.

"Minha casa é meu castelo", diz uma das almofadas de uma loja sueca, onde gosto de comprar. Em castelo sueco só com hora marcada. 


3.  "Por favor"

Segundo minha primeira professora de sueco, não existe uma palavra que expresse isso.
O sueco não pede por favor, ele usa uma interjeição no fim da frase. Tipo: quer pedir algo: ele diz: Café!? e não "Por favor, um café!". 

Até achei uma palavra - snäll - no dicionário, mas ela não quer dizer "please" ou "por favor", mas pode ser usada, junto com outras palavras para expressar essa intenção de.

Lembro que a professora disse que, para um sueco, pedir "por favor" é algo como se rebaixar. Já obrigado (Tack!), eles dizem o tempo todo e de milhares de maneiras diferentes. Tack! não é rebaixar-se, mas ser educado. 

Mas eu non compreendo le diference!

Comentários

Anônimo disse…
Oi Muié!

Nossa, como vc está rápida! Ou eu é que tô lerda demais. Esqueci de colocar meu comentário neste post fantástico no dia 18 e agora vi que tem + 2 pra ler! Maravilha :-)

Bem, sobre as coisas que NÃO encontramos/ouvimos na Suécia... sim, sim, sim! As 3 são verdadeiras. O + legal é que no mesmo dia q vc escreveu este post, o assunto do meu almoco aqui na SE foi exatamente "Ah, aqui na Suécia ninguém chega na casa de outra pessoa 'de surpresa'". A explicacão pra isto é que eles precisam estar PREPARADOS. Comida pronta, casa arrumada, etc e tal.
Mas na minha casa, vc pode chegar qdo quiser, tá? (rs)
Ah, sobre o "por favor"... assim q eu li seu post, perguntei pra uma sueca como se diz "please" em sueco. A reposta foi um olhar bem distante e pensativo... procurando uma palavra. Depois de um tempo, ela veio com o mesmo "snäll", mas disse q não era a meeeeesma coisa. ahahaha!

Vamu que vamu... aposto que a Suécia tem muitas outras supresas pra nós!

Beijos
Xu-Muié
Somnia Carvalho disse…
Mulé,

das duas coisas do texto que mais me incomodam seria, por ordem de importancia:

- não receber fiu fiu na rua, principalmente nos dias que a gente tá precisada de um elogio! hihi...

- não poder dizer: posso passar na tua casa pra tomar café e bater papo? só para bundar? coisas que eu, com certeza, faço na sua e continuarei fazendo! sobretudo pra ver a vista do mar com boa companhia!
Anônimo disse…
Olá Somnia!! Bem interessante teu blog. Vc escreve muito bem!!

Sobre esse post é engracado pois costumo dizer isso sempre ao meu namorado. As tres palavras mágicas que aprendemos no BR não são tão usadas por aqui (com excessão do obrigado!).

No entanto, meu namorado me ensinou que TACK também é usado como o nosso por favor. É bem estranho! Até parece que vc esta agradecendo duas vezes, mas funciona!

abracos!
Somnia Carvalho disse…
Olá Ju!

verdade? eu não sabia esse negócio aí do Tack não!
vai ver eu nem percebo e acho que o cara já tá agradecendo antes! rs...

Eu também tenho passado sempre lá pelo seu pedaço!
e gostado! hehe!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que