Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

Imagens para quando a memória falhar: hora do banho

(Marina, agora com 1 mês 14 dias, em sua rotina diária: sem chorumelas e posando pra foto, outubro, 2010)

"Ain´t mountain high enough": sobre o amor invisível

(A colcha de retalhos ou patchwork ganhada por mim na semana retrasada, São Paulo, 2010) A história de uma pequena colcha de tecido e de um enorme chororô Ensaio este post há mais de uma semana, desde que minha amiga Daníssima colocou em minhas mãos a colcha estilo patchwork, xadrezinha azul, a qual vocês vêem na foto acima. Na ocasião, ao tomar o presente, abracei minha pequenina e gravidíssima amiga e me debulhei em lágrimas. Muitas. E foram os porquês de minha emoção que me levam a este texto. Fiquei pensando no amor que dedicamos todos os dias às pessoas a nossa volta. E elas a nós. Sabe o amor invisível, como a dedicação e horas seguidas as quais nunca serão realmente conhecidas por quem recebe? É desse amor que estou falando. As milhares de horas gastas por minha mãe todos os dias desde que teve os filhos, cozinhando o almoço e o jantar e lavando a louça, as horas trabalhadas pelo meu amoroso marido em tantos diferentes lugares desde que estamos juntos, assim como o tempo

"Quem não chora não mama" ou ...

(Ângelo aliviando as cólicas da Marina com massagem e muito amor, S. Paulo, outubro de 2010) ... não ganha colo. Não ganha massagem, e nem cafuné. Não ganha cantoria, nem a atenção e o amor do irmão mais velho.

"A origem do meu feminismo": final

Gmail - Entrada (1309) - somnia.carvalho@gmail.com (Iris Von Rotten, polêmica feminista dos anos 50 em seu escritório na Suíça) Molerada e pessoal de plantão que foi lá dar o voto para meu post no concurso da Lolíssima , obrigadíssima! Eu sinceramente gostei bastante do meu texto (" Mirem-se no exemplo "). Adorei escrevê-lo, o que fiz especialmente para o concurso, e gostei do resultado, com algumas ressalvas para o final o qual achei longo demais. Tenho sempre este terrível problema de não conseguir ser mais enxuta. Os votos não foram suficientes para que ele estivesse na final, mas foi ótimo participar! O importante, tenho certeza disso, é que com o concurso a gente acaba não só divulgando o que escreve, mas de quebra sai conhecendo gente que escreve gostoso, escreve bem e com quem sempre se pode aprender mais. Seja refletindo a temática proposta, seja tendo contato com diferentes modos de expressão escrita. Eu passei pelas finalistas da última seleção, votei, e vim d

Por onde ando? No mundo de Marina

(Eu, no mundo de Marina, hoje, outubro de 2010) "Mamma, I´m a happy girl"... Gente boa e querida, Hoje de manhã, enquanto tomava meu café meio em pé, pensei rapidamente: "Caramba!", quanto tempo faz que não escrevo nada no blog, que não visito os amigos? Que raio de blogueira de m. que sou! Eu nem consegui me lembrar quanto tempo direito para dizer a verdade. Ando naqueles dias e noites que se confundem. Muito mamá no peito, muita fralda suja com um tanto de choro de cólica e jatos amarelos de côco voando pelo meu banheiro. Tenho uma bebê em casa e uau! próxima sábado já faz um mês. Marina é calminha, boazinha, fortona com suas cólicas como só as mulheres o são. Dorme bonitinho se não tem dor e mama no peito que é uma beleza. E eu estou aqui, no meio desse mundo marinístico. Esse negócio de ser mãe e pai deixa a gente fora do mundo mesmo. É possível perder muito tempo olhando, admirando aqueles sorrisos involuntários que os bebês fazem, ouvindo e sentindo

Somnia no concurso da Lola: ceis já votaram?

Gente querida amiga, Tô me debulhando aqui miudinho de tanto chorar... Não é choro ruim. É choro bom. Renato organizou um álbum com quase 400 fotos do "Melhor da Suécia" e fui olhar para acrescentar outras e escrever um texto para servir de legenda. Daí que... buááá logo nas três primeiras fotos. Af Maria! Quanta coisa vivida, quantos lugares incríveis, quanta gente maravilhosa conhecida! Em três anos e meio nossa vida mudou tanto, nossa visão de mundo, nosso jeito de nos ver e o que esperar da vida. Foi uma oportunidade única, daquelas que agradecemos por ter tido a chance e a coragem de encarar... Um dos ganhos dessa vida na Suécia foi este blog. Este espaço onde encontro gente, onde conheço, divido, ouço, me divirto e cresço. ("Não tô aqui de brincadeira...", eu, no final anos 70 ou início 80, não sei direito, com a mesma cara que deixaria os futuros colegas de classe com medo) Parte disso está num post que está sendo divulgado em outro concurso de bl