Pular para o conteúdo principal

Coisas boas que me enlouquecem

(Papel de parede da Scrapwood Wallpaper Green)

Eu devo ter uns parafusos a menos, uns tantos a mais ou então alguns soltos, porque tem algumas coisas que não saem da minha cabeça e uma delas é decorar, arrumar, enfeitar...

Falem sério: ceis acham que é normal alguém sentar pra ver tevê e pensar: "Hum... preciso dar um jeito de esconder aqueles fios". Aí vai tomar banho e fala consigo mesmo: "Tenho que repintar este móvel aqui porque ficou horroroso!" e então está esperando o elevador e pensa: "Preciso pôr uma cor nesta parede!"...

Bom, como sou inscrita como artesã na Etsy, uma loja virtual americana, do mesmo estilo que a Elo7, aquela na qual tenho o por-hora-abandonado "Toda Sexta-Feira" (eu não posso pintar por 90 dias até fazer o meu exame por conta do iodo) acabei neste site de papéis de parede, algo sobre o qual penso toda noite quando vou dormir e olho minha cabeceira branca.

Caí babando neste papel de parede imitando ripas velhas... Não é lindo?

Desde que me mudei, há um ano, eu já troquei não sei quantos móveis de lugar, pintei e reformei outros, dei coisas embora e peguei outras do lixo. A coisa triste é comparado ao lixo dos vizinhos suecos e dinarqueses aqui eu não acho 1% do que achava.

Tirei fotos de várias coisas que fiz para continuar aqueles posts de decoração os quais eu adorava, mas estão todas na máquina até agora.

(Papel de parede da Scrapwood Wallpaper Green)

E vocês? O que andam aprontando por aí?

Gostam de papel de parede? Então passa nesta loja virtual da Etsy, pois o preço pode sair um pouco mais em conta do que do que diretamente de lojas de importados aqui no Brasil. Este imitando madeira velha é meu! Ninguém tasca porque eu vi primeiro! :)

E vocês? O que andam aprontando por aí?

...

ps: me lembrei que ando em falta com algumas pessoas (eu me lembro Mariana!), pois vocês me mandaram fotos dos cantinhos gostosos das casas de vocês e eu nunca consegui fazer os posts... ainda termino aquela série!

Comentários

Mari disse…
Acho que (in)felizmente sou assim tambem. Estou sempre pensando em mudar tudo de lugar, fazer coisas novas, redecorar, pintar, organizar.
Eu gosto muito da Etsy e tem preços muito bons também. O lixo dos meus vizinhos é bem parecido com o brasileiro: nao tem muito o que pegar, mas as lojas de usados têm muita coisa boa, as vezes novas e com preços super bons.
Unknown disse…
Oi Somnia!! :-)

Adoro decoração e deixar a casa da gente bonita faz um bem danado.

Infelizmente não tenho 0,000001% de talento que você tem para criar e pintar e outras coisas mais..por isso aprecio quem o faz.

Vou orar muito por você no dia do seu exame para que tudo corra bem e que você possa por em breve em ação toda essa criatividade que anda borbulhando por sua cabeça!!

Tudo de bom para você!!!!bjs
Nina disse…
Nessa loucurinha, nao se preocupe, vc definitivamente, nao está sozinha :-)
Lu Souza Brito disse…
Somnia,

O de ripas é bacana, mas eu amei o de baixo, com a cadeira.

Eu estou uma sem vergonha que só promete. Há tempos que falo em postar umas fotos da casa, antes depois, etc e NAO ROLA. Tempo, vontade, fotos na máquina, internet o ò...sao varios fatores que influencia.

Cabeceira? Estavamos no dilema em casa tbm. A parede da cama é de uma cor diferenciada, mas ainda nao temos uma cabeceira. Já pensamos em um papel de parede bacanudo, um painel de madeira chiquetérrimo, mas por enquanto tá sem nada (é que ainda tem outras prioridades na casa).
Esse negocio de decoração me encanta e me enlouquece, porque gosto de coisas bem diferentes uma das outras e se nao tiver bom senso, a casa vira uma salada mista. Marido que me poe na linha, ahahaa.
Este fim de semana mesmo fui para o interior (Hortolandia) e ja vou ganhar duas almofadas feita de fuxico (que amo), para um sofá que ainda nao tenho, ahahaha.
Já ando pensando onde colocar algumas fotos do casal / casorio / familia. Corredor? Subida da escada?
E olha que ainda nem mudei...

Beijos
Lu Souza Brito disse…
Esqueci de falar, ando no reaproveitamento tbm: descolei duas araras para dependurar as roupas no closet enquanto ainda nao tem prateleiras por lá e um armario que vou reformar e fazer um trabalhinho artesanal nele (so ainda nao sei quando).

Tô gostando desse negocio de mexer no que é meu, ahahaha.
Anônimo disse…
Ola Sonia!Eu tb sou assim,vira e mexe eu to mudando os moveis de lugar,pior que faco isso sozinha e acabo as vezes riscando o chao de madeira!Meu marido fica maluco com minhas mudancas he he.Num sei se eh pq sou pisciana,e sinto uma necessidade enorme de mudar,decorar,pintar latinhas para colocar coisas....aff.
Tem um blog muito legal de uma sueca chamado House of Philia.

Cris

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

Na Suécia também não tem... bebê com brinco na orelha

("Não tem brincos: é menino ou menina?", criança sueca posa para grife Polarn O. Pyret ) Nove em cada dez vezes que alguém no Brasil tenta ser simpático com uma grávida ou alguém com um bebê de colo a pergunta é sobre o gênero da criança. Menino ou menina? Já repararam? Embora essa pareça ser a única pergunta possível para tanta gente, a verdade é que ela diz muito sobre nosso modo de ser e pensar e a importância que damos ao sexo e a escolha sexual de uma pessoa. Tomemos outra situação: quando alguém olha para um bebê menino nas ruas no Brasil você acredita que haja alguma expectativa quanto a algum sinal, uma marca, deixando claro e evidente se tratar de um menino? E quando encontra uma menina? Bom, fato é que nossa menina Marina agora tem 8 meses e eu simplesmente não tenho condições de contar as dezenas de vezes em que fui parada nas ruas em São Paulo por alguém perguntando se tratar de uma menina ou de um menino.  Até aí nenhum problema! Bebês no começo não tem