Pular para o conteúdo principal

Visitando o super-ultra-mega discreto zoológico escandinavo

(Ângelo, curtindo o zoológico adoidado com Renato e Babaqui ao fundo, Höör, agosto de 2008)

Em abril, ainda durante o inverno, mas quando os dias já estavam mais claros, a gente foi passear no Skånes Djurpark, o zoológico de animais escandinavos que tem numa cidadezinha chamada Höör, há menos de uma hora de Malmö. Naquela ocasião eu havia tirado muitas fotos com a paisagem extremamente seca e marron, bem como de todos os animais que consegui enxergar com uma "lupa de colorir" que eu tinha comigo.

Apesar de tentarmos, não conseguimos que Ângelo visse um animal sequer. Além dele ainda ser meio pequeno, só deu bola mesmo para os parquinhos e nada mais. Nada de acenar para os bichos, inclusive porque os animais escandinavos são todos eles marrons. Marrons, beges, preto sujo de barro, sendo o mais colorido deles, uma avezinha branca.

Chegamos à conclusão, naquela época, que animais escandinavos são como o povo escadinavo: super, hiper, ultra, mega discretos. E então, como a gente havia voltado do Brasil e também de Milão e eu tava com toda a euforia latina na cabeça, o passeio foi muito gostoso, mas, de certa forma, se comparado com os zoológicos brasileiros, um choque.

E além de marrons eles eram silenciosos. Quietinhos que só tentando ouvir.

O post que comecei a escrever em abril, e não terminei, era assim:

"Os suecos são um povo discreto. Todo mundo sabe disso.
Se você tá num restaurante nunca vai ver alguém gritando: "E aí Perl! Chega aqui na nossa mesa!". Se algum sueco achar seu bebezinho bonito, nunca falará como os italianos ou espanhóis ou os brasileiros: "Mas que coisa mais linda e fofa, vem aqui no meu colo, vem!". Jamais! eles darão um oizinho para o bebê. De longe. E jamais! Jamais sequer pensaria na hipótese de pegá-lo no colo."


Acabei não terminando o texto, assim como não termino uma centena deles. Eu também tinha dezenas de fotos que perdi junto do meu outro laptop.

Na semana passada, entretanto, a gente voltou ao zoológico. Isso porque o lugar é muito legal, super grande, com milhares de árvores, com lagos lindos e muita gente fazendo piquenique e num clima legal. Pensamos em tentar voltar enquanto a paisagem ainda está bem verde e o Ângelo já é um mocinho agora, e poderíamos tirar a idéia marron e discreta que ficamos na cabeça.

(Aqui, dois animais que os bebês enxergaram: os enormes pôneis escandinavos, Höör, agosto de 2008)


O resultado está no álbum "Visitando o discretíssimo Skånes Djurpark", que vocês podem ver clicando aqui ou no link do lado direito do blog. A verdade é que tava colorido pra caramba! As árvores sequinhas de abril agora estão lindíssimamente verdes e tem umas florzinhas roxinhas, amarelinhas por lá. E o povo não tava vestido de preto, como faz durante o inverno inteiro daqui. Tava bem diferente mesmo!

(Os lindos bambis que eu só via no desenho... quietinhos e muito longe, mas que minha super câmera conseguiu pegar, Höör, agosto de 2008)

Ãhn? Einn? Ah! os bichos?

Não sei dizer direito. Acho que estavam todos lá ainda. Não ouvi muito, porque o zoológico estava ainda mais silencioso, já que a suecada prefere a praia ao zoo no verão, mas sobre os bichos só posso falar que vi uns e outros marronzinhos bonitinhos contrastando com o verde da grama dessa vez. Eles estavam lá tão quietos e tão discretos que nem mesmo o Ângelo, que enxerga formiga no palheiro, percebeu a presença deles.

Ele novamente brincou muito nos parquinhos e curtiu muito a natureza e a companhia do amigo Kian, mas os animais escadinavos passaram incólumes pela presença dele.

A gente tenta de novo outra hora. Em outro parque, claro! e quando ele tiver maiorzinho de novo.

Comentários

Beth/Lilás disse…
Somnia,
Acho melhor você dar um pulinho aqui de novo quando ele tiver maiorzinho e mostrar o que são bichos de verdade, porque esses aí...sei não! haha
De qualquer forma é sempr bom levar o filhote para brincar em parques e áreas livres e verdes.
beijo carioca
Somnia Carvalho disse…
Sim Lilás!

E eu sempre penso nele vendo as araras e os tucanos! eles são coloridíssimos e são barulhentos e tagarelas como os brasileiros!

não basta ser pai e mãe... tem que...
Beth/Lilás disse…
Somnia,
Você acredita que agora pela manhã enquanto tomava meu cafezinho na cozinha, rolava uma reportagem de umprograma da Record, mostrando o zoo do Rio. Pensei direto em vocês e no Ângelo vendo aquelas belezas de araras coloridas, pavões, aves voando em espaços gigantes cobertos por uma tela e animais como hipopótamos, leões, tigres e a nossa brasileiríssima onça. Sem contar a jibóia que o repórter-gay e engraçadíssimo quis segurar, pois segundo ele, "nunca segurou numa cobra" (tá!). Aí o tratador colocou-a em seus ombros e ela começou a apertá-lo, o cara pulava desesperado pedindo prá sair que nem no filme Tropa de Elite. Ri muito.
Mas, bicharadas à parte por conta desse repórter-gay, nosso Zoo é muito bacana mesmo e quando vierem, seja em Sampa ou no Rio, verão animais bem interessantes e brasileiros.
beijo e boa noite aí.
Somnia Carvalho disse…
Lembrou da gente Lilás?

Que legal! Com certeza eu não vou perder de ir ao zoo aí no Brasil no fim do ano...

e me lembro de morar no centro de Campinas e correr de manhãzinha num parque perto de casa. Tinha um mini zoo com araras e tucanos lindíssimos, fazendo uma algazarra já às seis da matina!

é uma delícia zoológico brasileiro!
Apesar disso, eu não vou generalizar os bichos daqui! uma amiga sueca que tava comigo no mesmo zoo, a Paulina, me disse que em Copenhaguem há um zoológico muito bom, com bichos coloridos e tudo o mais!

Vou esperar pra ver! só espero não encontrar lá bicho da América Latina! haha... beijao
Brasilina disse…
Olá Somnia!
Como vai? Seu Angelinho está um boneco lindo ...(Há um tempo atrás fiquei encantada com um post seu sobre a música Black is Beautiful (Elis R)e comentei que vc me fez lembrar de minha mãe - lembra?).
É incrível como vc consegue transcrever tudo exatamente como penso sobre os suecos ...

No quesito "descrição", concordo plenamente com vc e acrescento mais, fiquei intrigada de nunca ter visto um único cachorro latir pelas cidades que passei (Estocolmo, Malmo, Vasteras, Motala) rsrsrs Será que vc percebeu isto tb ou foi um processo de implicância minha??

Se tiver a oportunidade de ir a Estocolmo, visite o parque "Skansen" - museu a céu aberto, uma mini-Suécia em Estocolmo - lá sim, tem um zoológico com animais de várias partes do mundo, aves lindas e coloridas, barulheira de bicho rsrs - um barato!! vale a pena!

Abraço,
Janaina Souza

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que