Pular para o conteúdo principal

Dicas mil: vida prática na Suécia, "uma mão lava a outra"


É interessante como a gente se adapta rápido às coisas e aos lugares. Logo que desembarquei nessas terras, há um ano e meio atrás, a Suécia e a vizinha Dinamarca me pareceram tão mais diferentes, estranhas e desafiadoras do que hoje. Sinto que, com o tempo, fui me familiarizando com quase tudo e acabando por me esquecer de como os primeiros passos foram difíceis mim e para o Renato no começo.

Acontece que sempre tem alguém legal me escrevendo, em posts recentes ou antigos, e me perguntando sobre alguns detalhes da vida aqui. Alguns me pedem dicas e têm questões muito parecidas com as que eu tinha antes de vir ou me decidir a vir para cá.

Outros me perguntam sobre o sistema de saúde, sobre educação escolar, ou tentam partilhar experiências como o parto na Suécia etc. Essa semana, depois de mais um desses comentários, acabei fazendo uma lista mental de quantos inúmeros itens eu poderia escrever, tentando dar algumas dicas -talvez óbvias para quem já vive aqui, mas extremamente difíceis para quem tá chegando, a respeito de coisas práticas do nosso dia a dia. 

Criei então, essa nova sessão: "Dicas mil: vida prática na Suécia". Em cada post tentarei dar essas pequenas e simples sugestões sobre assuntos com os quais me descabelei no início de minha vida aqui ou me descabelo até hoje. Eu não pretendo esgotar o assunto (o que me seria impossível), nem mesmo tentar tirar o gostinho de que cada um viva seus próprios desafios, mas apenas dar uma mãozinha, se me for possível. 

Com os posts, talvez a gente receba ajuda dos "universitários", ou seja, do pessoal que já vive aqui e talvez tenha informações muito mais relevantes que eu e, quem sabe juntos, nós possamos ajudar os corajosos que por aqui chegam a fazerem menos malabarismos e se equilibrarem melhor na corda sueca do que nós.

...

(ps: estou atrasada com as respostas aos comentários feitos nos últimos dias, mas prometo fazer isso até o fim dessa semana!)

Comentários

Elland disse…
Looking forward to that.
:)
Beth/Lilás disse…
Boa tarde e boa noite para vocês aí!
Espero que esteja tudo bom com vocês aí tão longe.
beijos cariocas
Somnia Carvalho disse…
Manda ver pergunta que eu tento ajudar... se conseguir!
Unknown disse…
Ola, Sonia. Muito obrigada por todas estas dicas. Estou me mudando para a Suecia p/ estudar na Lund University e adoraria ouvir mais da sua experiencia vivendo ai.

O meu e-mail e leilakaas@gmail.com

Obrigada!!

Abraco,

Leila Kaas.

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nela. Nest

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis