Pular para o conteúdo principal

"Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso..."

(Quando eu assobio eu também chupo cana. Festinha da Gigi e encontro com amigos no fim de semana retrasado, só para não perder o costume... Malmö, novembro de 2009)

No meio da minha pouco pacata vidinha na Suécia eu ando ultimamente apenas com uma música na cabeca:

"Alguma coisa acontece no meu coração...
Que só quando cruzo a Ipiranga com a Avenida São João..."

Eu fico cantarolando Caetano o tempo todo porque falta bem pouco para eu ticar quase tudo que me restava fazer e começar a fazer as malas. Daqui duas semanas estarei pousando na cidade mais controversa por onde morei até hoje.

E isso tem me deixado super ansiosa. Desejo de ver todo mundo de novo... apertar forte cada um dos meus e rir com quem gosto depois... Sentir o calor na pele e pregar o olho no céu azul celeste.

Ticados:

Já passei na prova nacional do inglês. Dei o workshop que foi bem, obrigada!
Antes de ontem fiz a prova nacional do sueco e vou saber o resultado amanhã. Devo ter passado, então não tô nervosa.
Hoje encerrei o curso de cerâmica.

Para ticar:

Amanhã vou fazer um de decoração de Natal.
Aí só falta visitar mais umas escolinhas para ver para onde Ângelo vai ano que vem. E acertar umas encomendas artísticas aqui.
Escrever os últimos trabalhos do curso. Ir às aulas até a véspera de ir para o Brasil.
Responder os comentários dos últimos posts aí atrás e escrever uns 13 posts que não desgrudam da minha cabeça.
Terminar preparativos para festa do Natal que terá sábado aqui.
Comprar presentinhos.
Fazer as malitas.
E... oj!

Bom... aí será a Ipiranga, a São João, a Paulista e tantas outras avenidas da minha avessa São Paulo que vão tocar o meu coração.

E pode ir preparando a feijoada aí Brasil que logo a Somnia tá chegando!

Comentários

Ju Moreira disse…
Brobuleta, quando tu vai p a terrinha? Estamos viajando em duas semanas tb! :) Sinto exatamente o q vc descreveu. Ansiedade tomou conta de mim. Concentração é o que mais me falta neste momento p completar minhas muitas tarefas q tenho! :p

Ahh esqueci de comentar, vc ta bonitona ruiva! ;)

xeroca
Ueba!! Será que a moçoila vem ao Rio tb!!
Se vier, vms marcar um encontro e incluir a Beth, tb!!

Adorei as novidades e parabéns pelos excelente resultados!!

Beijos
Beth/Lilás disse…
Brabuletinha,
O que a Barbie comentou aí em cima tá de pé, se vier pra essas bandas do Rio, vamos ao seu encontro, batendo asinhas correndinho!

Olha, custo a acreditar que vc conseguirá fazer tudo isto que tem pra fazer! E a procrastinação, já superou?!

Então, vamolá: Eu tô voltando, lalálálá!

bjs cariocas
Mariana disse…
Já que ainda não estou podendo viajar peço que vc aproveite ao máximo a nosa cidade. Vc viu como choveu hj por lá? Espero que vc encontra um tempinho bem melhor!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nela. Nest

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis