Pular para o conteúdo principal

Na praia seu voto vai para a cerveja ou para o topless?

(Turma brasileira fazendo piquenique a la brasileira na praia sueca: salgadinho com cerveja, Malmö, maio de 2009)


O fim de semana foi de calorzão aqui. Na casa quase dos trinta graus os suecos e todo povo que mora pelas bandas pousou na praia. 

Como nós estamos mais "sueco" que qualquer um, fomos de mala e cuia, a mala cheia de tudo quanto é comida e bebidinha pro piquenique e a cuia cheia de breguetinhos para a molecada. 

Guarda sol enfiado na areia, uns tapetões especiais típicos daqui para se estender na areia, carrinho de criança, baldinho, pazinha, tudinho que se tem direito para farofar de azul e amarelo. 

Eu e minha pequena família com os paulistas Xu, Gus, Liana, Thiago e a pequena Giovana. 

Na festança toda surge uma quase polêmica de beira de praia: na Suécia é proibido levar e tomar cerveja na praia, razão pela qual não há esses quiosquinhos que a gente tem aí cheios de bebida alcoólica para comprar. É proibido beber, coisa que a gente no Brasil faz adoidado, mas é permitido fazer topless, coisa que, no Brasil, já não é visto (no sentido literal também) como algo tão natural assim.


(Ângelo se divertindo adoidado na praia no verão passado e lá atrás dele, topless, Lomma, 2008)

Algumas mocinhas estavam ali livres, leves e soltas de forma naturalíssima que pareciam até homens. Do mesmo jeito, algumas famílias chegavam e trocavam sua roupa ali mesmo na praia, na frente do resto do povo todo. Uma toalhinha discreta e vlupt! tira cueca e põe o calção ou vice-versa. Algumas pessoas não se preocupam em esconder nada. Elas tiram, como tirariam em sua casa, o sutião e ou a calcinha e põe o biquini... O mesmo acontece com as crianças, se bem que a maior parte fica mesmo é peladinha. Total. E assim rola a praia... Isso porque, além de ficar nu ser algo realmente visto como natural na cultura sueca, bem como em muitas outras européias, a lei sueca permite que as mulheres façam topless. 

A discussão filósofica a respeito de por que tomar cerveja não pode, mas ficar pelado pode rondou nosso guarda-sol e ficamos lá a elocubrar, quando uma mocinha sueca passou e disse pro amigo Gus algo do tipo: "Não sabe que é proibido tomar cerveja na praia?". Daí nossa elocubração pegou fogo...

E então que fiquei curiosa como os brasileiros, em geral, veem essa diferença. Como você acha que reagiria se tivesse na mesma cena da foto aí acima: atrás do Angelinho, numa foto de um ano atrás, há um grupo de amigos e amigas e uma loirona com os seus belos peitos de fora.Tão natural como se tivesse de biquini. 

Eu não quero continuar o post agora, porque gostaria antes de saber a opinião de vocês: você apoia a cerveja ou o topless na praia? Qual "regra" faz mais sentido na sua opinião? 

...

ps: o post dos sapatos ainda será concluído e também responderei os comentários dos dois anteriores a noite, ok? beijocas!

Comentários

Mr.Jones disse…
Eu vou no do topless. primeiro porque nao sou chegado a bebidas alcoolicas. Se fosse a questao: Nescau ou topless. Certeza que eu escolheria sem pensar "NESCAU". E em relaçao ao topless, não causa tanto espanto. O mundo vê mulheres mostrando tudo nas capas de revistas, Tv, internet. O que seria de tão espantoso numa praia?

abraços
Eu voto pela proibição dos dois!!
Hoje há muita falta de respeito, quem mostra em revista... (prefiro não comentar, cada um faz o que quer), agora na praia, onde estamos com a família, acho falta de respeito.
E, sinceramente... cerveja deixa a pessoa muito animadinha e algumas bebem em excesso e fazem besteiras, lugar onde tem família!
Apesar que aqui, no Rio com a lei seca, as pessoas tem bebido menos.

Fica dada minha opinião!!

Ah!Hoje fiz uma entrevista num blog bem legal, o link está no meu cantinho!

bjks
Beth/Lilás disse…
Humm, praia e topless!
Volto mais tarde prá ler com calma.
Tenho médico.
bye e bom dia!
Eveline disse…
Oi amiga, tudo?
Eu não me sentiria a vontade para fazer topless, nem de ficar na cia. de quem faz, acho que é minha formação rígida de alemães luteranos, hehehe e bebida na praia não tem nada a ver, alcool e sol na cuca.... perigoso. Sou mais de um chimarrão, bebida da minha terra.
Beijos
Lúcia Soares disse…
Eu apoio os dois. Faz topless quem quer, bebe quem quer. Essa vida é cheia de proibições, heim? Aí você entra num avião rumo a Paris, na viagem dos seus sonhos e ele cai no oceano!
Tá doido, chega de proibições inúteis!
Vamos nos unir pra ser criado um decreto universal proibindo as pessoas de fazerem o mal umas às outras? Seria a felicidade total!
Maariah disse…
Também acho que podem ser os dois. Em muitas praias de Portugal há bares que vendem cerveja e faz topless quem quer.
É um assunto também cultural, ao que estamos habituados e como tal achamos estranho ou não.
Beth/Lilás disse…
Ah, não tem jeito, acho que cabem os dois, apesar deu eu nem gostar de cerveja e nem fazer topless.
Há anos em Trancoso, estava eu, maridex e o filho ainda garoto na praia e as moçoilas que serviam saladas de frutas nas bandejas só de sainhas, daquelas de dançar lambada, e sem a parte de cima do biquini, peitcholas no meio das saladas de frutas. Imagine os olhares dos homens e as caras da mulheres!

Ô borboletinha, se eu fosse você aderia ao topless imediatamente, só prá ficar igualzinha à suecada. Pow, tem que se integrar mais aos hábitos do país, né meRmo! hahaha
beijos cariocas
Mariel Stupp disse…
Voto pros dois! Em uma sociedade que esteja preparada, é CLARO!! Nao vao querer colocar topless no Brasil porque o assédio vai ser enorme (jà que realmente aqui a nudez nao é vista com a mesma naturalidade que na Suécia), e tambèm nao queiram colocar cerveja na Tunisia!!
Como na Suécia eu acho que eles estao bem preparados pro àlcool (até demais, como se ve em festas e baladas!), porque nao liberar a cervejinha também?
E isso me lembra as tantas vezes que eu era a ùnica de toalha na sauna da academia...vencì fàcil o pudor pra tomar banho na frente da mulherada toda do vestiàrio, mas sentar no banco sem nada embaixo, onde todo mundo jà fez o mesmo...me xeirou a falta de higiene, mas vamos ver se dessa vez eu chego là!! rsrs
ps: ontem lì teu blog logo antes de dormir e acabei sonhando que eu estava cuidando do Angelo enquanto tu dava aula pra crianças numa escola que eu nunca vì na vida!
Luciana disse…
Eu sou a favor da proibicão da cerveja pelo fato de ser uma forma de tentar brecar o consumo exagerado do álcool, bom, um desincentivo (fiquei numa dúvida com essa palavra, mas acho que dá pra entender) ao álcool, e li que o gasto dos governos com pessoas com problemas alcóolicos é bem grande, então além de saúde é economia também.Sem falar que tem bêbado chato, bêbado violento, já evita.
Já o topless não tenho nada contra nem a favor, quem quer faz, não incomoda, e dependendo do lugar, como aqui, aí, as pessoas veem de forma natural. Já no Brasil é diferente, além de proibido, ne?!
Beijo
Aiii vixe, salão é caro?? Poxaaa...
Mas vc é linda e loira, como deixa os cabelos sempre lindos assim??
Salão em qualquer lugar do mundo, tinha que ter preço acessível, a mulher merece estar bonita!!
O fantástico fez uma reportagem com mulheres amigas, que se uniram e cada uma cuida da outra... Uma faz as unhas, outra faz escova... parece ser legal, resta ter akela amiga preeeendada!! hahaha

Obrigada pelo comentário na entrevista! Amei :)

Beijos e bom fim de semana!!
Mari disse…
Eu sou mais a favor do topless, e tenho certeza que meu marido tambem,rs. Eu acho que qualquer bebida tem que ter controle e concordo com a Luciana (desincentivo). E é um saco gente que bebeu demais trançando as pernas em qualquer lugar (detesto quando me sinto autoritária!!!).
Quanto ao topless: eu jamais faria, também não usaria fio dental e não me sintiria confortável dentro dos shortinhos minúsculos que as canadenses usam no shopping. Mas não me sentiria nem um pouco incomodada se alguem estivesse por perto fazendo ou usando. Este tipo de coisa é cultural mas depende também da maneira como é feita. Eu já vi mulheres fazendo topless em São Paulo, mas de uma maneira tão discreta que não causou constrangimentos (e ninguem chamou a policia). E apesar dos shortinhos das canadenses serem minúsculos elas não ficam vulgares como as mulheres frutas (melancia, melao,etc).
Até me lembrei de uma historia engraçada: uma amiga brasileira de fio dental na Espanha causou furor nas espanholas (muitas de topless). Vai entender...

Marilena
Fabi disse…
Hum...questão polêmica heim sonia?
Não sou contra nenhum dos dois, cada um sabe o que faz da vida. Particularmente falando acredito que não me sentiaria a vontade em fazer toples. Mas tudo é uma questão de cultura. Abraço!
Unknown disse…
Se a cerveja estiver gelada e o peito for bonito voto nos dois!!!!
Somnia Carvalho disse…
Gente boa e belíssima,

Esses comentários estarão reunidos no post que farei concluindo o assunto to topless e da cerveja ok?

com eles fiz uma idéia melhor das opiniões de vocês e vou tentar resumir o que e o topless na suecia e porque a cerveja é um problema que pra muitos de nos não seria no Brasil.

beijocas

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que