Pular para o conteúdo principal

"Em algum lugar sobre o arco íris..."

(Israel Kamakawiwo'ole)


Eu e Renato estávamos, há pouco, olhando um programa sueco qualquer que trazia como tema de fundo uma das canções mais lindas que já ouvi até hoje. Tenho-a aqui comigo num cd que minha amiga Janete me deu e que eu sempre páro para ouvir. 

Entretanto, só hoje, depois de ouvir pela TV sueca, tive a curiosidade de buscar alguma informação sobre o cantor e a letra completa etc. Para minha surpresa, o dono de uma das vozes mais lindas que tenho entre todos os meus cds, não tinha necessariamente a "cara" que eu imaginava. 

Gigante, em muitos sentidos, o havaiano, e não americano como eu pensava, Bradda Israel Kamakawiwo'ole, põe todos os estereótipos por terra. Depois de ler sobre sua história de vida por alguns minutos, ouvindo "Somewhere over the rainbow", é impossível (para mim foi) não se apaixonar também pela figura de IZ. 

A vida tem de muitas coisas e a música é algo magnífico, porque, quando meu encantamento por essa música começou, em 1998, Israel Kamakawiwoʻole já estava em "algum lugar sobre o arco-íris". O cantor faleceu em 97, com apenas 38 anos de idade, deixando para o mundo sua voz como herança. 

Sem falso positivismo, eu acho um privilégio dar de cara com gente assim na vida, ainda que seja pela TV, pela internet, ou por um aparelho de som. Quando ouvi sua versão de "What A Wonderful World", de Louis Armstrong, da qual eu já gostava, pensei como é que alguém podia criar coisas tão bonitas. Como o compositor e cantor podia ter conseguido dar ainda mais luz, mais paixão, mais suavidade e cor à canção clássica de Armstrong. 

E todas as milhares de vezes que ouvi, lembrei de cenas do "Mágico de Oz", perdidas em minha memória, pensei nos arco-íris que havia visto na vida, em minha amiga Jamnis (a Janete) que me fez um cd só com músicas muito especiais. Todas as vezes pensei em coisas bonitas e sinceras que havia sentido durante meus lindos trinta e sete anos.

E hoje, ouvindo "Somewhere over the rainbow" aqui na TV sueca, e fuçando sobre Bradda Israel (que possivelmente muitos de vocês já conheciam muito melhor que eu) para escrever este post, novamente esse sentimento me invade. Com certeza, para cada um de vocês, a experiência deverá ser diferente e já que uma sensação não é facil de se explicar, melhor que cada um possa vivê-la. Por isso, trago nos links deste post e no youtube do Borboleta, algumas versões dessa maravilhosa composição, e mais sobre o "Gigante Gentil", como o cantor era conhecido. 

Por favor ouçam. Meu post não vale nada sem a experiência. Abaixo, vocês podem conferir a letra e a tradução para quem precisar de ajuda dos universitários. 






Somewhere over the rainbow

OK this ones for Gabby
Ooooo oooooo oooooo...

Somewhere over the rainbow
Way up high
And the dreams that you dream of
Once in a lullaby

Somewhere over the rainbow
Blue birds fly
And the dreams that you dream of
Dreams really do come true

Someday I'll wish upon a star
Wake up where the clouds are far behind me
Where trouble melts like lemon drops
High above the chimney top thats where you'll find me
Oh somewhere over the rainbow blue birds fly
And the dreams that you dare to, oh why, oh why can't I?

Well I see trees of green and
Red roses too,
I'll watch them bloom for me and you
And I think to myself
What a wonderful world

Well I see skies of blue and I see clouds of white
And the brightness of day
I like the dark and I think to myself
What a wonderful world

The colors of the rainbow so pretty in the sky
Are also on the faces of people passing by
I see friends shaking hands
Saying, "How do you do?"
They're really saying, I...I love you
I hear babies cry and I watch them grow,
They'll learn much more than
We'll know
And I think to myself
What a wonderful world

Someday I'll wish upon a star,
Wake up where the clouds are far behind me
Where trouble melts like lemon drops
High above the chimney top thats where you'll find me
Somewhere over the rainbow way up high
And the dreams that you dare to, why, oh why can't I?
Ooooo oooooo oooooo...

(Israel Kamakawiwo'ole)


...



Em algum lugar sobre o arco-íris

Ok, esta vai para Gaby
Ooooo oooooo ohoohohoo

Em algum lugar sobre o arco-íris
Bem lá no alto
E os sonhos que você sonhou
Uma vez em um conto de ninar

Em algum lugar sobre o arco-íris
Pássaros azuis voam
E os sonhos que você sonhou
Sonhos realmente se tornam realidade

Algum dia eu vou desejar pôr uma estrela
Acordar onde as nuvens estão muito atrás de mim
Onde problemas derretem como balas de limão
Bem acima dos topos das chaminés é onde você me encontrará
Em algum lugar sobre o arco-íris pássaros azuis voam
E o sonho que você desafiar, por que, porque eu não posso?

Bom, eu vejo árvores verdes e
Rosas vermelhas também
Eu vou assistí-las florescer pra mim e pra você
E eu penso comigo
Que mundo maravilhoso

Bem eu vejo céus azuis e eu vejo nuvens brancas
E o brilho do dia
Eu gosto do escuro e eu penso comigo
Que mundo maravilhoso

As cores do arco-íris tão bonitas no céu
Também estão no rosto das pessoas que passam
Eu vejo amigos apertando as mãos
Dizendo, “como vai você?”
Eles estão realmente dizendo, eu, eu amo você
Eu ouço bebês chorando e eu os vejo crescer
Eles vão aprender muito mais
Que nós saberemos
E eu penso comigo
Que mundo maravilhoso

Algum dia eu vou desejar pôr uma estrela
Acordar onde as nuvens estão muito atrás de mim
Onde problemas derretem como balas de limão
Bem acima dos topos das chaminés é onde você me encontrará
Em algum lugar sobre o arco-íris pássaros azuis voam
E o sonho que você desafiar, por que, porque eu não posso?

(Tradução: Marina Guimarães)

Comentários

Beth/Lilás disse…
Caramba! Já tem alguns meses postei algo e botei esta música, só que sem a imagem do cantor e somente com paisagens, parecido com o teu vídeo, mas nunca poderia imaginar que esta voz tão linda, melodiosa, fosse desse cara gordinho! Vejam só como são as coisas e como não podemos julgar só pelo estereótipo!
Que pena que ele faleceu tão jovem!
Terá sido de quê ou porquê?
beijos cariocas
Anônimo disse…
Hej Somnia!!
Tb acho essa música muito linda!! A voz dele é muito doce e tranquilizante.

xero
Lúcia Soares disse…
Não conhecia o cantor. Que voz maravilhosa! Certamente vou procurar um Cd dele. Pena, mesmo, que ele já não esteja entre nós...Que mágica é a vida, não? Ele não passou por ela em vão, com uma voz dessas. E ficou para sempre neste mundo, enquanto houver pessoas com sensibilidade para apreciar uma boa música e uma tão doce voz. Inexplicável (ou não...) um corpo daqueles "abrigar" uma voz dessas. Pra quem duvida de deus, taí uma boa prova de Sua existência...
Anônimo disse…
Muié

Muito obrigada por "me fazer" ouvir a música antes de dormir... ela é linda! E o cantor, eu também não fazia idéia de quem era, muito menos que era havaiano. Muito bom que ele tenha deixado esta heranca pra nós.

Beijos
Xu
Anônimo disse…
Oi amiga, tudo?
Já conhecia o cantor e a música, linda por sinal. Conheci atravez de um program de rádio que tinha aqui que se chamava "músicas do mundo", o programa era maravilhoso, pois só tocava músicas e artistas desconhecidos do mundo todo. Com idiomas bem diferentes, uma delícia e o melhor era no final de tarde de domingo, naquela hora que vai dar uma drepre, pois amanhã é segunda.... Beijos e te cuida.
Somnia Carvalho disse…
Lilás, o IZ morreu em decorrência do problema de peso mesmo...
Somnia Carvalho disse…
Ju, é lindo né! suave... vivo ouvindo! muito legal saber que vc curtia também...
Somnia Carvalho disse…
Eveline,

esses programas de rádio são um achado não?
Em todo canto que vivi eu tentei achar rádios legais assim... agora minhas rádios preferidas são umas da internet... que você pega no i tunes, você conhece?
Somnia Carvalho disse…
Lúcia,

gostou? sim! muita sensibilidade... por isso escrevi o post... porque a gente sempre julga a aparência e sempre julga que alguém fora do padrão nunca pode ser sensível assim, mas a gente erra... e muito não_?
Somnia Carvalho disse…
Muié,

fiquei muito feliz que vc tenha gostado!!!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nela. Nest

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis