Pular para o conteúdo principal

"É Primavééééra..."???

(Foto alheia do Teatro Scala de Milão, que por fora não é assim uma Brastemp, mas por dentro belo! hum... belíssimo!)

Gente querida,
Meu termômetro aqui, do balcão da janela da cozinha, está marcando exatos zero graus.
E, lá fora, acaba de cair neve por uns quinze minutos. Lindo! A neve deixou todas as árvores do jardim branquinhas, porééémmm...

Se ver a neve caindo e o meu quintal dessa cor é tão bonito, não é nada legal pensar que agora era pra ser Primavera!!! E que aqui tá todo mundo, inclusive a suecada branquelinha que nunca ouviu o Tim Maia antes, querendo cantar:

"É Primavééééra!!! Te amo! 
Trago esta rosa, para lhe dar!"

Foi essa a previsão que o aquecimento global deu para o feriado inteiro, não só na Suécia, mas neve em muitos países aqui por perto. Esse foi um excelente motivo para a gente fazer as malas, meio em cima da hora e ir para Milano, como dizem os italianos! 

Todo mundo esqueceu meu aniversário semana passada, quase todo mundo! minha santa mãe se lembrou! rs...  Mas eu ganhei o passeio de presente só para ficar fazendo fusquinha para vocês agora... háháháhá...

O único porobrema é que nós... esquecemos a câmera! e... eu esqueci o celular! Verdade! E... o Renato (isso é imperdoável, vindo dele!) levou um celular sem a câmera funcionando. Ou seja, tivemos uma viagem deliciosa e muita coisa pra contar, mas, but! vou ter que colher fotos alheias da internet e colar a gente nelas para vocês verem que lindeza de lugar aquele Milan, onde aquele bom mocinho, o Cacá, joga futebol. Aliás, tinha um cartaz enorme dele na frente do Duomo e do Scala de Milão!

Siiimmm! Eu conheci o Scala de Milão e da Callas! E que mérévilhosso!!! como ficavam dizendo todos os italianos aqui, quando viam o Angelito Lito Lito.

E esses assuntos todos, eu espero, serão temas de alguns posts que espero ter tempo para escrever. Por ora, vou pôr a vida em dia e desejo a vocês uma semana muito boa, com muuuuita saudade do Brasil e dessa gente que quando vê um bambino, como Anghelo, vai se jogando, catando o muleque no colo, beijocando e falando: "Mah que bello!, belíssimo!", ao contrário dos escandinavos que elegantemente mandam um "hej", de longe.

Foi uma delícia estar na Itália porque os italianos me aproximaram mais uma vez de todos aí. A Itália é a nossa cara! É mais quente (tava fazendo super 15 graus lá), tem gente alto astral, tagarela e sem se mancol, igualzinho qui nóis tudo aí.

Saudades, mas com sabor de felicidade.
Tiau bellos!

(Os créditos da linda foto alheia são da página do wikipédia, sobre Milão.)
 

Comentários

Ed. disse…
saudades, sempre muito bom falar com vc, no msn ao vivo sentado na mesa de um bar ou aqui no blog.

sigo sempre aprendendo!

bjo
Somnia Carvalho disse…
Edilino,

Já fui lá e já apreciei a escrita de hoje!
obrigada por dividir-se!!!
Anônimo disse…
Sonia, tb esqueci do seu aniversário...mas mesmo atrasada e com a maior cara de pau quero te dar os parabéns e desejar que a vida continue lhe dando mais e mais passeios maravilhosos como esse, para que as amigas esquecidas conheçam o mundo pelos seus olhos. Um abraço bemmmmmmmmm apertado. Pinta

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

Na Suécia também não tem... bebê com brinco na orelha

("Não tem brincos: é menino ou menina?", criança sueca posa para grife Polarn O. Pyret ) Nove em cada dez vezes que alguém no Brasil tenta ser simpático com uma grávida ou alguém com um bebê de colo a pergunta é sobre o gênero da criança. Menino ou menina? Já repararam? Embora essa pareça ser a única pergunta possível para tanta gente, a verdade é que ela diz muito sobre nosso modo de ser e pensar e a importância que damos ao sexo e a escolha sexual de uma pessoa. Tomemos outra situação: quando alguém olha para um bebê menino nas ruas no Brasil você acredita que haja alguma expectativa quanto a algum sinal, uma marca, deixando claro e evidente se tratar de um menino? E quando encontra uma menina? Bom, fato é que nossa menina Marina agora tem 8 meses e eu simplesmente não tenho condições de contar as dezenas de vezes em que fui parada nas ruas em São Paulo por alguém perguntando se tratar de uma menina ou de um menino.  Até aí nenhum problema! Bebês no começo não tem