Pular para o conteúdo principal

Das coisas mais belas do mundo




(Tirei a foto deste barquinho ha uns dois meses, em Öland, uma ilha ao sul da Suecia, e hoje ela me veio muito a calhar)



Não tem me faltado temas para escrever aqui no blog. Na verdade, tenho uma lista em mente, mas se não falta assunto e inspiração, ainda falta tempo. Tô num dos intervalos angelicais, mas queria deixar hoje uma canção maravilhosa do grupo português Madredeus.

Há muitos anos tenho o costume de ouvir música tranquila durante o café da manhã. E foi assim minha gravidez inteira. O Madredeus, a Fortuna, a Enya etc além de muitas rádios de música clássica. Do Madredeus foram muitos e muitos dias ao som do álbum "Existir" que eu considero das coisas mais lindas de se ouvir.

Qual não foi minha surpresa ontem, quando colocamos o cd para tocar de manhã e o Ângelo, com apenas 8 dias de vida, parou o que tava fazendo, foi se virando, com olhos bem abertos, procurando de onde vinha o som e ficou lá... quietinho, praticamente reconhecendo a música e curtindo... super relaxado. Foi outra das coisas mais belas do mundo.

Esta música, O Navio, é das minhas preferidas. Fala do afastar-se, tomar um navio e seguir sozinho quando se precisa estar longe da multidão. Coincidência ou não, fala do tema que coloquei no post passado. Aqui o navio toma lugar do túnel que falei anteriormente.

Para mim, mesmo quando não se está a deriva, colocar-se no mar e ouvir uma música assim é bom demais. É quase uma prece.

A letra segue um pouco a melancolia do fado português, mas o efeito da música não é de tristeza, ao contrário, é uma quietude e uma paz interior maravilhosa. Infelizmente aqui vai sozinha a letra. Enjoy...


Madredeus - O navio
(Álbum Existir)

"Só deixei no cais a multidão
a terra dos mortais
a confusão
navego sem farol, sem agonia... distante
e vou nesta corrente
na maré
no escuro da menor consolação
acordo a meio do mar que me arrepia
e foge...

a minha paixão é a loucura

ando...
numa viagem perdida
o navio anda à deriva
sozinho
não é grande o mal, bem pouco dura
e quando...
afundar a minha vida
se calhar sou prometida... do Mundo"

Comentários

Anônimo disse…
Que saudade!

Stela
Somnia Carvalho disse…
Querida Stelaaaaa!!

eu tombémmmmmmm!!!

e do pundim da Maria tombémmmm!!!

buááá!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nela. Nest

"Em algum lugar sobre o arco íris..."

(I srael Kamakawiwo'ole) Eu e Renato estávamos, há pouco, olhando um programa sueco qualquer que trazia como tema de fundo uma das canções mais lindas que já ouvi até hoje. Tenho-a aqui comigo num cd que minha amiga Janete me deu e que eu sempre páro para ouvir.  Entretanto, só hoje, depois de ouvir pela TV sueca, tive a curiosidade de buscar alguma informação sobre o cantor e a letra completa etc. Para minha surpresa, o dono de uma das vozes mais lindas que tenho entre todos os meus cds, não tinha necessariamente a "cara" que eu imaginava.  Gigante, em muitos sentidos, o havaiano, e não americano como eu pensava, Bradda Israel Kamakawiwo'ole , põe todos os estereótipos por terra. Depois de ler sobre sua história de vida por alguns minutos, ouvindo " Somewhere over the rainbow ", é impossível (para mim foi) não se apaixonar também pela figura de IZ.  A vida tem de muitas coisas e a música é algo magnífico, porque, quando meu encantamento por essa música come

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que