Pular para o conteúdo principal

"So... bless me!"


(Catch the Rainbow, Dio)

Eu escrevi este post ouvindo a música acima. Te convido a ler o post fazendo o mesmo... 

Eu tive uma semana corrida e cansativa.
Marildu viajando, Marina super gripada (mas já está melhor hoje com cuidados e moito amor), muito trabalho em casa e algum fora dele (oba! tô dando algumas aulas particulares de redação para o vestiba de novo!) e eis que chega a sexta-feira.

Hoje, então, não foi nada diferente.
São 19:11 e eu não consegui fazer mais da metade do que eu havia me proposto, inclusive postar lá no Sexta-Feira, o que eu quero muito fazer até o fim da noite.

Aí eu passei por alguns blogs e cheguei ao da Grace. Num dos seus últimos posts, Grace, a brasileira que vive na Suécia, a fotógrafa cujas experiências na África são de bater palmas!, fala da morte de seu cunhado com a leveza de quem já aprendeu a lidar fortemente com as perdas necessárias da vida, mas a foto que ela coloca, a música ai! me deu uma coisa tão forte! Tão incrível que fui ouvindo a letra e digitando no google. Eu não conhecia e precisava saber melhor da canção, da letra... Tudo isso me pôs num segundo para parar e de novo agradecer tanta gente maravilhosa que venho conhecendo através dessa teia incrível que são os blogs e nesta minha vida toda! Tantos amigos, amigas que se agregaram a minha adorada família!

Ao fim da tarde, falando com Teresa ao telefone, eu tive aquela sensação de "Caramba! Quantas voltas a vida dá!". E também como em cada momento de minha vida eu tive preocupada com alguma coisa a qual eu julgava a mais importante e instranferível do momento! E passou! E daí vieram outras e outros! Sempre novos compromissos, sempre novas tarefas baseadas nas escolhas do momento! E sempre tanta coisa boa para tirar proveito e dirigir agradecendo por elas!

E então pensei também que não há problema algum num atraso e em outro. Essa semana passaram posts que não pude escrever, passaram tantas coisas e então eu disse há pouco to my self: "tudo bem Sônia! o importante é fazer! se fazer for mesmo importante pra você!".

Então vai aqui:

1. Obrigado de novo pelo concurso! Vocês viram a votação que coisa linda? Até agora Grace, Ed, Dri e Lilás concorrendo aos primeiros lugares, mas a gente sabe que nos próximos 16 dias muita coisa virá!
Mesmo que você tenha um conhecida (o) e gostaria de votar nela (e) NÃO DEIXE DE LER os outros textos. São tão lindos! Tão de valer a pena para as almas nada pequenas! Aí se você ficar em dúvida pede pro vizinho de frente votar com o computer dele na outra pessoa que você quer!

Eu acho que participar e escrever era o objetivo principal sim! Acho participar e não ganhar totalmente válido, quase como já ter ganho algo! Aliás eu não entrei em nenhum dos dois Salões de Arte (um teve 710 inscritos e o outro quase 500) para os quais mandei até agoras as telas da série Fugacidade. Mas foi tão bom ter enviado! Pintei mais para enviar! Aprendi sobre essas coisas de Salões e agora tenho um dossiê pronto e sei como participar dos próximos!

Ainda assim vamu combinar uma coisa: Escrever é muito bom! Participar é melhor ainda! Mas ganhar uma tela da magnânima Somnia Carvalho, non tem preço! hihihihi...

2. Tenho recebido - ou vocês tem recebido - vários coments atrasados nos textos participante do concurso. Comentários tão bonitos! Tão incentivadores! Infelizmente meu tempo não dá mesmo para responder, mas adoro ler! Então passem por lá e leiam! Retribuam se possível os seus leitores! "Gente lesa gera gente lesa", dizia um cartaz besteirol que uma amiga postou ontem no facebook.

3. As pinturas do concurso? Sim! Elas sairão em breve! Estão no forno? Não conhecem artista? Pois é... pois é... pois é...

4. Na semana passada eu tive o prazer imenso de não só participar de uma conversação super gostosa entre Glorinha, quem esteve em Sampa para falar de seu livro e sua experiência com menopausa e temas correlatos, e muitas mulheres. Isso graças aos céus e à sogrita quem ficou com a molecada. Umas blogueiras outras não. Foi uma delícia! Fiz uma correria porque queria vê-la. E ela? Ela gente é desse tamaninho! Moito baixinha, igual qui a amiga dela, a Lilasona quem eu a-do-ro e e já conhecia e quem of course Baby! veio cheia de presentinhos pra todo mundo!

Pude ficar assim comendo bolinho de chuva com Lu Brito, uma fofa, uma criatura doce, que nem lichia, e aura boa! que me emprestou dinheiro (e ainda não o recebeu de volta! sorry Lu!) pra comprar o livro da Gló porque eu, o-b-vi-a-men-te esqueci dinheiro e cartão! Conheci Ângela, outra alma boa de fala mansa, quem me deu carona até o metrô numa conversa boa! E ainda a Macá bonitona, elegantérrima, quem organizou o evento além de outras.

5. E por falar nisso semana que vem vou poder apertar nos braços outra blogueira quem amo! a LOLA, uma pessoa de quem eu encho a boca para falar. Fui convidada para participar de um evento bate-papo (sorry não convidar, porque é fechado!) de uma ONG (não sei ainda se eu posso ficar divulgando, vou perguntar) sobre criança e consumo. Muito legal né? Adorei saber da ONG, do projeto, de ser convidada e ainda por cima poder dar um abraço espremido em Lolíssima!


Bom, tá aí então algumas das milhares de coisas em que eu vinha pensando hoje e esses dias...

Beijos e boa noite!!! Quer dizer... não ainda porque até fim da noite eu volto!
Ah! E abaixo... a letra para você acompanhar a música!



...

Catch The Rainbow

"When evening falls
She'll run to me
Like whispered dreams
Your eyes can't see

Soft and warm
She'll touch my face
A bed of straw
Against the lace

We believed we'd catch the rainbow
Ride the wind to the sun
Sail away on ships of wonder

But life's not a wheel
With chains made of steel
So bless me

Come the dawn
Come the dawn
Come the dawn
Come the dawn

We believed we'd catch the rainbow
Ride the wind to the sun
And sail away on ships of wonder

But life's not a wheel
With chains made of steel
So bless me, oh bless me, bless me

Come the dawn
Come the dawn
Come the dawn
Come the dawn
...

Catch The Rainbow (Tradução)

"Quando a noite cai
Ela correrá para mim
Como sonhos sussurrados
Seus olhos não podem ver

Macio e morno
Ela tocará minha face
Uma cama de palha
Contra o laço

Nós acreditamos que prendemos o arco-íris
Passeando no vento ao sol
Viaje nos navios da maravilha

Mas a vida não é uma roda
Com raios feitos de aço
Então me abençoe

Venha ao alvorecer
Venha ao alvorecer
Venha ao alvorecer
Venha ao alvorecer

Nós acreditamos que prendemos o arco-íris
Passeando no vento ao sol
Viaje nos navios da maravilha

Mas a vida não é uma roda
Com raios feitos de aço
Então me abençoe

Venha ao alvorecer
Venha ao alvorecer
Venha ao alvorecer
Venha ao alvorecer"

Comentários

Vivien Morgato : disse…
Engraçado reavaliar o que foi e/ou é importante, o que foi/é um problema.
Sempre penso nisso.
Não sei sobre qual concurso vc se refere, vou navegar aqui pra ver se descubro.
ih..tentei coemtnar.....e desapareceu...
No momento, ainda< nao postei sobre a votacao por que estive internada, e ainda estou
d ebilitada.


Desde a decada de 40 que a minha familia é atacada por uma molestia, um esquecimento total, até do proprio nome, e os medicos no Brasil, nunca descobriram. Agora, duas médicas suecas, depois da minha crise, decidiram investigar.



A perda do meu cunhado foi algo que mudou muito o meu viver, na Suécia. Ele foi meu chao...meu ponto de referencia.- Eu o amei mais do que ao meu marido. Um amor de irmao...A gente se entendia via skype, via sorriso e quando ele partiu, meu mundo parou.


Beijos e dias felizes
Ana Flavia disse…
Correria boa essa sua hein: Coisa gostosa. Tudo de bom.
Obrigada pela visita la no europrosa, sua linda.

Inveja branca aqui dupla: da Lola, que vai te abracar, e sua, que vai abraca-la. Mimimi eu quero a oportunidade de tomar um cafe/ um vinho, abraco apertado em ambas, que eu adoro, assim dessa adoracao virtual que um dia, Deus queira, possa se materialisar.

Meu email: afad98@hotmail.com

Bjos

Ana Flavia
(te respondi la no meu blog) =*
e agora vou ler alguns posts. devagar e sempre!
Lúcia Soares disse…
Linda a música.
Temos que dar graças a todo momento.
A vida é muito complicada e precisamos ter consciência disso pra valorizar cada segundo.
Tenho tentado dar conta de tudo, mas vejo que é impossível e agora olho pro que tem de ser feito e espero o momento certo.
Marininha sarou de todo? Uma pergunta que sempre me faço é: por que as crianças têm que passar por isso? Quando Letícia (que é a que está perto de mim) adoece, meu mundo para!
Nem preciso dizer que "me mordo de ciúme" quando ouço falar desses encontros dos quais não posso participar...rsrsr
Beijo!
Beth/Lilás disse…
Soninha!
Vida de mãe e blogueira é uma correria danada mesmo. hehe
Expresso gratidão por todo o bem que há em minha vida. Cada dia traz novas e maravilhosas surpresas, esta é a verdade.
God bless you!
bjs cariocas

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que