Pular para o conteúdo principal

Café, muita arte e criação em sintonia com o meio. Você quer?

(Detalhe de mesa do Café Fazendo Arte)

Gente querida, moradora de São Paulo!

É com muito prazer e orgulho que eu convido a vocês a inauguração do Café Fazendo Arte, de minha amiga (e primeira professora de pintura) Eloisa Remédio nesta quarta-feira, dia 17 de Agosto, aberto em horário comercial.


(Capricho, detalhe de mesa do Café Fazendo Arte)

Há muito tempo a Elô tem este sonho de integrar seu ateliê e escola a um café onde as pessoas pudessem sentar, tomar um café ao mesmo tempo em que apreciassem livros e objetos de arte. Isso tudo simplesmente porque ela, como eu, adora respirar arte e sabe que muitas outras pessoas também o amam fazer.


(Bonecos da série "Circo" de paple machê ficam pendurados acima da cabeça de quem se delicia com o café, Café Fazendo Arte)


Imaginem um lugar no qual basicamente 98% dos móveis e objetos foram reaproveitados e reformados. Encontrados na rua, doados, a mobília toda do local recebeu o toque das mãos da Elô. O gosto por recuperar peças esquecidas e por quase nunca produzir lixo é uma atitude tão natural nesta artista quanto o é respirar e viver. Exemplo da criação totalmente em sintonia com o meio ambiente é uma mesinha muito detonada que eu peguei no lixo em 2003, com ajuda da Eloisa. Depois de pintada e viver 8 anos na minha cozinha ela foi totalmente recuperada pela minha amiga e passa a fazer parte das atividades do Café.

(Mesinha pega por mim e Elô em 2003 no lixo e reformada por ela para inauguração do café, Café Fazendo Arte)

Café Fazendo Arte será um espaço dedicado à venda de pinturas, de papel machê, cerâmicas e artesanato e cadeiras. A maior parte do acervo se constitui de peças da própria Elô que é artista plástica e arte educadora e atua no bairro em São Paulo há muitos anos. Outra menor, vem de diferentes artesãos e artistas, incluindo nesta festa cadeiras que eu tenho restaurado desde aquela brincadeira, cujo início se deu com o incentivo de minha amiga Xu, na Suécia. Vocês se lembram? Pois sim! Eu trouxe alguns tecidos da Suécia, já tenho aqui várias cadeiras e estou finalizando uma para a inauguração.

(Detalhe do lustre trazido por mim da Suécia e reformulado por Eloisa, e ao fundo tela dela)

Além disso, o local promoverá saraus (um dos quais eu já estou agitando com Adriana Silveira, amiga, poeta e cantora de mpb), bate-papo cabeça sobre arte, aulas de pintura para adultos e crianças e workshops, além de festas infantis de aniversário no ateliê que já vinham sendo feito com muito sucesso antes. Tudo isso regado a quitutes com um cafézinho bem gostoso, um chá, se você preferir, ou se o dia estiver pedindo, um vinho...

Em breve, um Encontro de Blogueiras, a ser organizado pelo Borboleta, também vai agitar o lugar. Aguarde e verá!

Espero vocês no Café!!! E a Eloísa também!!!



Rua Dr. Miranda de Azevedo, 691. 
(Esquina com Cel. Melo de Oliveira)
Vila Pompéia - São Paulo.

tel: 3868-1510

Comentários

Wilqui Dias disse…
nooossa que idéia bacana, já ta na cara que vai ser mil. Legal mesmo, pena morar tao longe...sniiifff
Beth/Lilás disse…
Ai, meu Deus, porque este lugar gostoso e charmoso não é aqui perto de mim?!
Olha, se bobear eu vou neste encontro de blogueiros tá sabendo!
Adorável o lugar, tem tudo o que eu gosto, aliás, que qualquer mulher de bom gosto curte.
Sucesso pra amiga!@
bjs cariocas
Que tal chamar a escritora Glorinha Leão pra fazer um bate papo sobre maturidade? Eu toparia...só preciso ver com uma amiga se posso ficar na casa dela...hehehe Adorei, meu sonho sempre foi ter um desses...eu já tive um, mas era só de aulas e vendas...Gostei! beijos,
Mari disse…
Adorei a idéia. Preciso encontrar umas amigas animadas como vcs duas aqui em Toronto!!!
E vc acredita que tenho um apê exatamente nesta rua???? Estou tentando imaginar onde fica o atelie!!!

bjs
Xu disse…
AMEEEEI a idéia! Pena q eu tb faco parte da turma "que mora longe" (e bota longe nisso...rs).
Baby, muito sucesso aí nesta nova idéia. Vc sabe q se eu estivesse em Sampa, certamente estaria aí e até emprestaria minha cadeira pra decorar o lugar. ;-)
bjs
Somnia Carvalho disse…
Wilqui, quem sabe nas suas ferias? rs..
Somnia Carvalho disse…
Lilasona, entao! eu tenho que me organizar para organizar este tal encontro! dai ce aparece!!! rs
Somnia Carvalho disse…
Escritora Glorinha,

então ja ta anotado! rs...

acho que sua amiga vai gostar de te hospedar na casa dela! rs...

serio: deixa a poeira da inauguracao baixar que começo a tentar "agendar" estas coisas todas com minha amiga!!! beijos!
Somnia Carvalho disse…
mari, fica na esquina da coronel melo com a miranda de azevedo... uma casa antiga de dois andares...
Somnia Carvalho disse…
Baby, mas voce vai ter que vir quando vier de ferias!!! rs
Somnia, agora, com o Mestrado gorando, talvez, eu terei uam galeria e, junto , um estudio fotografico.
Ainda nao estou com cabeca para organizar isso. Mas, desde já, desejo à idealizadora, muita sorte e sucesso
Imprensa disse…
Muito bacana mesmo, parabéns!
Só vi igual em Berlim, sucesso!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que