03 abril 2012

A Radioactive Lady Sônia derruba alguns mitos sobre o iodo radioativo...

("Manao Tupapau: O Espírito da Morte continua observando", Paul Gauguin, The Spirit of the Dead Keeps Watch

Como vocês sabem, ou não sabem, estou terminando um tratamento contra um câncer (eu sei que vocês ainda se assustam com este nome) de tireóide.

Tireóide, cujo nome de origem grega significa "Escudo",  é uma coisinha em formato de Borboleta (vejam que ironia!), e a qual todos nós seres humanos normais temos na garganta. Sim! Você também tem "Tireóide"! hahaha...

Uma amiga mui amada, das Literaturas, quando soube, me escreveu:

- Sô! Não acredito! Como você foi pegar esta tireóide amor?

Hahaha! Serviu tanto para eu me divertir!

Outras pessoas dizem: "Fulano tá com tireóide!" E eu penso: "Oh! Sorte dele!"

Você pode achar - como eu achei quando ouvi o nome pela primeira vez - que ela, Dona Tireóide, é alguma parenta distante da vizinha que nasceu no Paraná, mas não. Ela está aí em você desde que você nasceu. Até que nada ande errado com a danada você continuará na ignorância e esta até que é uma delícia!

Eu soube que tinha algum problema na tireóide totalmente ao acaso. Não! ao acaso não! Por conta de uma ultrassonografia para descobrir dores na minha tortinha coluna (ainda quando estava morando na Suécia) os exames indicaram nódulos na tireóide.

Claro! Com este nome, uma observação tranquila e o retorno pra Suécia marcado para o mesmo dia, voei para lá e fui verificar. Fui ao médico, fizeram exames de sangue e indicaram que tudo estava normal. E que eu repetisse o exame em um ano. Não sei dizer se o que fizeram foi certo. É o procedimento deles e, segundo minha endócrino, eles tem outros medidores do sangue que nós não temos, então não usam tão corriqueiramente o ultrassom. Ainda porque radiação pode ajudar a desenvolver câncer. E eu? Eu tomei muitas na vida porque meus médicos do Brasil nem apertavam minha coluna e me mandavam pra ultrassonografia, ressonância magnética, o escambal radioativo.

Então, eu não dando bulhufas para a Senhorinha que envelhecia na minha garganta só fui refazer o exame dois anos e meio depois. Depois do segundo parto, depois da nona mudança. Uma sinfonia longa e inteira mesmo!

Só bom lembrar que, além de todo mundo ter tireóide, 70% da população - se nela fosse feito um ultrassom - indicaria nódulos benignos na Borboletinha. Portanto, não se assuste! Se estiver com problemas de tireóide não significa câncer de tireóide. Isso é mito! Até onde li são 5% dos casos.

Uma mocinha no elevador, vendo meu esparadrapo na garganta quis saber mais (eu nunca notara como as pessoas são curiosas com essas coisas e como todas fazem uma cara de "nojinho" quando explico que tirei o treco tireóide da garganta). E quando falei, ela corou e quase começou a chorar, porque a endócrino dela tinha dito que ela também estava com os hormônios da tireóide desregulados. Então, ela, coitadinha! Já estava prevendo que teria que arrancar tudo como eu! Mito! Cuide de regularizar os hormônios, mas não comece a encarnar um espírito do Tupapau.

Procurei uma endocrino e uma segunda endocrinologista e depois um cirurgião (posso indicar estes últimos dois - Renata Marques e José César Siqueira - quem são excelentes!, mas a primeira não porque era moito ruim! Uma elefantinha, eu diria!). Todos me indicaram cirurgia. Além de estar muito grande, cheinha de nódulos benignos, ela também tinha um minúsculo (menos de 1 cm) que era maligno. Em outras palavras: eu tinha um câncer na maledeta tiróide que eu nunca ouvira falar.

Me assustei! Of course! Quem não se assusta? E fui entendendo que se tratava de algo comum e, hoje em dia, facilmente tratável. Curável mesmo com um tratamento muito simples se você comparar outros para se curar um câncer.

Foi um pouquinho depois de descobrir e escrever aqui sobre o câncer de Teresa. (Aliás, tenho uma entrevista filmada com ela, enorme, linda que preciso editar e publicar aqui)

Retirei a velhinha toda e ela era feia! Ai credo! Mas ela era excepcional! Quer dizer, até começar a tropeçar demais, não enxergar bem, cair aqui e ali, minha Senhorinha Tireóide tinha me dado tudo na vida: os hormônios que regulam todo meu metabolismo. Sem ela eu agora, para the rest of my life terei que tomar meus hormônios sintéticos, algo que a medicina moderna maravilhosamente criou! E neste mês sem eles eu aprendi a amar os cientistas que o criaram!

Meu cérebro falha, com buracos enormes sem palavras, sem saber o que fazer etc, o cansaço é insuportável, sono etc. Foi muito difícil manter o equilíbrio nas aulas e na rua. Essa parte fica mesmo complicada sem os hormônios e com a dieta. Tudo que a volta dos hormônios amanhã não comece a resolver...

Então é isso: cá estou no meu exílio radioativo (com tempo de sobra para escrever posts interessantes e asnerentos) - agora sob cuidados da equipe da também conceituada Dra. Marília Marrone - e já fui batizada pela minha "colega de profissão", Graciette, e leitora há anos deste blog, mas quem só conheci por acaso no meu atual trabalho de: Radioactive Lady Sônia...

Para minha felicidade, desde ontem, vários mitos que rodeavam a minha cabeça e a de gente próxima a mim foram por terra. E só tenho um conselho: se estiver doente não fuce na internet antes de falar muito com seu médico e médica, porque quem pára para escrever ou é doido igual eu ou quer muito contar de seu caso e como são poucos é fácil você saber apenas dos casos muito difíceis e especiais.

- Meu "câncerono" (vou apelidá-lo assim, acho mais simpático) era bemmm pequeno.
Na cirurgia não havia metástase, sabe? quando a coisa vasou, mas ele estava tentando escapulir, por isso fui indicada a fazer a radioioterapia. Esta terapia com iodo radioativo que mata o bichinho se ele ainda existir ou se migrou células capachas dele para o corpo.

Foram três etapas: 1. cirurgia (tranquila, sempre se comparado com coisas complicadas); 2. dieta sem iodo, um porre! Fiquei sem poder absolutamente nada de laticínios, sem leite, queijo, sem nada que fosse feito com gema de ovo, sem nada enlatado, engarrafado, drapeado, o que fosse ado tava fora do cardápio!

Tomei uma dose pequena então do iodo e estoy aqui. Plena e radiante. Mas não brilhando no escuro, como era o desejo de minha amiga Mafer. Não tenho, portanto, fotos cheias de neon para tirar a noite. Nem festinha eu posso fazer!

Mitos derrubados:

- não enjoei.
- não vomitei.
- não estou passando mal.
Why? Me deram na veia um remédio que impede que eu sinta isso, pois se eu vomitar bye bye iodo radioativo do corpo e tem que começar de novo. Do you understand me?


- não posso ir pra casa ficar num quarto quietinha depois do hospital porque tenho crianças e elas vão me beijar, grudar porque eu sou muito querida delas, então irei pra um hotel mais quatro dias depois de amanhã. Caso contrário, poderia voltar e ficar isolada para segurança total dos entes queridos.  Mas.... contudo, todavia:

- não preciso ficar trancafiada como uma doente terminal. Posso até dar umas caminhadinhas por Higienópolis, onde ficarei, se eu não ficar em aglomerados de pessoas, se não parar para falar com elas. Posso caminhar no quarteirão e voltar. Is not this amazing? 


Eu posso até, me afirmou o físico nuclear, comprar um mc cheddar com coca cola zero gigante num MC Porcariodonalds da vida, se a fila estiver curta e andar rápido. Perfeito porque tem tudo descartável.

- a radiação estará muito baixa, quase tolerável para o convívio, mas por garantia ainda esperarei mais. Sem conversa, sem visita, sem proximidade por mais de alguns segundos. Isso com certeza não afetará as pessoas. E eu, claro! como uma lady que sou irei atravessar a rua se ver uma alma viva. Faço questã!

- voltei a comer! Comi muito, apesar da comida com gosto de cabo de guarda-chuva (como se escreve isso nas regras novas?) do Hossspital. Estou no Samaritano!

- não há, portanto, um Manao Tupapau, um espírito da morte rondando o quarto e a vida de quem tem câncer de tireóide. Só um de muita ansiedade por voltar à vida e a quem amo. Desejo de caminhar lá fora, como as pessoas que vejo pela janela e comprar uma torta de morango bem gostosa da padaria! No meu caso só o espírito do besteirol!

Que mais?

- os médicos e enfermeiros vêm me ver com uma roupa de ferro. A sala é protegida por ferro. Eles não vêm com roupas de astronauta e um globo transparente na cabeça como imaginei a partir da leitura de outros blogs.

- eles falam comiga! Legal né? Fazem piadinhas! Legal né? e todo o lixo que eu produzo é mandado ralo abaixo ou encapsulado num lixo de ferro especial, tipo uma espaçonave.

Acho que é isso! Ao menos os mitos que eu tinha sobre este tratamento e o medão terrível que me tomou por alguns minutos em alguns dias diferentes desses meses (embora eu deva afirmar que 95% do tempo eu nem me lembrava disso e tudo só vem mesmo a ser sentido durante a dieta) não se sustentavam. Então, Caçadores de Mitos! Confirmado: mito do iodo radioativo e vômito obrigatório detonado!

Ah! muitos amigos e amigas ficaram tão chocados com o diagnóstico quando contei, mesmo eu dizendo, é tranquilis e tal, que sumiram. Aí agora eles estão aparecendo e pedindo tantas desculpas, achando que eu estava contabilizando o sumiço deles. Estão culpados! Queriam me ajudar e não souberam como. A Radioactive Lady Sônia tem a afirmar sobre isso o seguinte:

- mito!

Eu não fiquei chateada com ninguém, nem estou com quem não está telefonando (Gente, um sossego até que é bom! rs...) nem mesmo porque eu nem sabia que tinha a ver com isso! Foi só uma históuuuria que você contou a você mesmo! Fiquem comigo! Eu amo vocês!

6 comentários:

Daniela disse...

Que post lindo! Melhoras, querida. Que seja leve.

Beijo grande.

Marcela Orsini disse...

Boa recuperacao! Bjs

Loide disse...

Oi Somnia! :-)

Estou sempre acompanhando as suas notícias e posts. É muito bom ver a sua atitude positiva e esclarecida. Fico feliz em saber também que tudo está correndo bem e que muito em breve você estará de volta para a sua família!
Te envio muitas energias positivas daqui das terras geladas junto com minhas orações para que você possa sempre ter muita serenidade!!!

Bjssss

P.S. não coma macporcaria....é porcaria mesmo :))))

Lu Souza Brito disse...

Bom dia Somnia,

Com todo seu senso de humor, é bom mesmo ver cair por terra tantos mitos. Escuto falar com frequencia da tal tireóide (é uma glandula, não?). E me parece que toda pessoa gorducha que passa a vida toda se entupindo de mcporcaria (adorei isso pq evito mc donald´s) quando descobre este nominho e é colocado na parede sobre mudanças alimentares, se justifica, dizendo que tem tireóide. Por isso não emagrece, mesmo comendo direitinho (cof, cof, cof).

Fico feliz de saber que está bem, que está levando tudo numa boa e quebrando mitos, ahahaah.

Um beijo

Lúcia Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lúcia Soares disse...

Sônia Somnia, desejo que vc esteja ótima. Passar o feriado da Semana Santa em retiro, mais ou menos é o que vai fazer. Aproveita pra descansar bem, orar muito, agradecer todas as bençãos e saber que pedras há no caminho, mas podemos chutá-las pra longe!
Bom feriado, e que o domingo de Páscoa seja o renascimento para uma vid plena de saúde e alegrias.
Também amo você.
Beijo!