Pular para o conteúdo principal

"Uma música, mil lembranças": "Escorrendo pelos meus dedos", por Ingrid K. Lima



("Slipping through my fingers", ABBA)

Há alguns meses recebi alguns emails de uma menina de 12 anos que chegara a este blog porque procurava por informações sobre o grupo ABBA. Então a história da Ingrid se cruzou com a minha e o ABBA que eu dancei minha juventude inteira, apesar de ser já um grupo de uma geração anterior, nos uniu.

O mesmo ABBA que dancei com amigas e amigos na Suécia, de quem ouvi falar na escola de sueco e cujo filme vi rodeada de amigas do mundo todo, numa cidadezinha chamada Malmö. O mesmo ABBA quem servia de trilha sonora aos meus xororôs na volta ao Brasil. O mesmo ABBA que inspira o blog da Ingrid.

A Ingrid, tão jovenzinha, me mandando este texto para participar do concurso me deixou extremamente emocionada. "Slipping through my fingers" (cuja tradução é "Escorregando pelos meus dedos"), a música escolhida por ela e a letra já foram tema para um dos meus posts e é incrível como eu sempre chore tannnnto quando escuto esta música. O motivo que me faz chorar é o mesmo a ter levado Ingrid a escrever o texto para o concurso. Tantas de nós talvez se veja nesta canção e como um dia estivemos na pele da menina que saía com a mochila nas costas e hoje vejo as nossas meninas saindo pela porta carregando a delas...

Nesta manhã, depois de ter passado por todos aqueles dias isolada e voltado à ativa, às preparações de aula, provas, correções, fim de trimestre para salvar, o texto da Ingrid me faz ainda mais sentido. E é muito curioso que eu o tenha aqui para publicar no dia em que a família e amigos de um de nossos alunos, tão jovem quanto Ingrid, esteja se despedindo dele para sempre, porque a vida é leve, dela nada sabemos e nós não temos garantia de que o Sol nascerá amanhã.

Que bom, querida Ingrid, que você consiga tomar para si os momentos tão únicos e só seus e que a gente aprenda com os mais novos!

Obrigada pelo seu texto e sua participação!

...


"Escorrendo pelos meus dedos"

"Me lembro dessa música, pela sua letra e como cada momento é inesquecivel e único. Nunca volta!
Sou super fã do ABBA. Esse é um outro motivo para lembrar dessa música. Outro dia mesmo estava indo para a escola, de repente quando escutei essa linda canção simplesmente comecei a lembrar de mim mesma pequena, quando não queria entar na sala, quando aprendi a ler. Tantos acontecimentos da minha vida vinham à mente, e quando a música acabou, simplesmente veio a Ingrid do presente...


A Ingrid que quer ir esudar na Suécia, ser professora e realizar seus outros sonhos. Vi como o tempo se foi...


Todos os dias na nossa vida são muitos especiais. Cada momento vale muito. Mas esse muito o dinheiro não paga. Parece que o tempo passa cada vez rápido, o tempo escorrega pelos meus dedos. Sinto mesmo que foi ontem que eu vim ao mundo, mas se páro para pensar que já fazem 12 anos que estou vivendo simplesmente não acredito. Se pensar que apenas poucos anos atrás que eu queria estudar no colégio que estou hoje e isso já correram dois anos. Quando me lembro que queria viajar para vários lugares para os quais já viajei. As emoções que eu vivi, as pessoas que eu conheci, tudo isso é fantástico!


Há muitos anos, eu sonhava em conhecer alguns lugares por onde viajei e toda as viagens que fiz foram emociantes pelo simples fato de descobrir um lugar novo e ir conhecer esses lugares com as pessoas que mais amo. Foram momentos muitos importantes...


A verdade é que não sei se amanhã essas pessoas estarão comigo vivendo momentos inesqueciveis! Simplesmente o tempo não espera, ele passa e você é que tem que saber aproveitar cada segundo, cada momento, saber aproveitar cada oportunidade. Além disso, não adianta ficar esperando tal dia chegar para ser feliz, esse dia é hoje!


A felicidade se encontra dentro do seu coração no seu próprio eu... A feliciade se conquista nas pequenas coisas e se ficarmos parados, pensando o dia que ela vai chegar então o tempo passará e se perderá. O tempo não espera por ninguém! Por isso cada momento vale muito, mas muito!


Nunca perca uma opurtunidade! Você não sabe se esta felicidade momentânea vai voltar porque o tempo escorrega pelo seus dedos!"



Comentários

Nina disse…
Ah que boninha a Ingrid. Tbm amo Abba, tem tanta musica boa!

Bom tbm viajar ne Ingrid? realizar sonhos, conhecer lugares, pessoas novas, aprender...eita coisa boa...
Tudo de bom lindinha!

Postagens mais visitadas deste blog

Na Suécia também não tem... bebê com brinco na orelha

("Não tem brincos: é menino ou menina?", criança sueca posa para grife Polarn O. Pyret ) Nove em cada dez vezes que alguém no Brasil tenta ser simpático com uma grávida ou alguém com um bebê de colo a pergunta é sobre o gênero da criança. Menino ou menina? Já repararam? Embora essa pareça ser a única pergunta possível para tanta gente, a verdade é que ela diz muito sobre nosso modo de ser e pensar e a importância que damos ao sexo e a escolha sexual de uma pessoa. Tomemos outra situação: quando alguém olha para um bebê menino nas ruas no Brasil você acredita que haja alguma expectativa quanto a algum sinal, uma marca, deixando claro e evidente se tratar de um menino? E quando encontra uma menina? Bom, fato é que nossa menina Marina agora tem 8 meses e eu simplesmente não tenho condições de contar as dezenas de vezes em que fui parada nas ruas em São Paulo por alguém perguntando se tratar de uma menina ou de um menino.  Até aí nenhum problema! Bebês no começo não tem

Azulejos em carne viva? O que você vê na obra de Adriana Varejão?

( "Azulejaria verde em carne viva" , Adriana Varejão, 2000) Gente querida, Domingão a noite e tô no pique para começar a semana! Meu grande mural preto, pintado na parede do escritório e onde escrevo com giz as tarefas semanais, já está limpinho, com a maior parte "ticada" e apagada. Estou anotando aqui o que preciso e gostaria de fazer até o fim desta semana e, entre elas, está finalizar a nossa apreciação da obra de Adriana Varejão , iniciada há dias atrás. Como podem ver eu não consegui cumprir o prazo que me dei para divulgação do post final, mas abri mão de me culpar e vou aproveitar para pensar mais na obra com vocês. Aproveito para convidar quem mora em São Paulo a visitar a exposição da artista, em cartaz no   MAM , Museu de Arte Moderna, no Parque Ibirapuera, com entrada gratuita e aberta ao público até 16 de dezembro deste ano. ("Parede com incisões a La Fontana", Adriana Varejão, 2011) Para "apimentar" a dis

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel