Pular para o conteúdo principal

Vou mergulhar no teu amarelo...

(Eu, jogada na plantação de granola (ops! canola! já me corrigiram nos comentários), típica da primavera daqui, Malmö, maio 2008)

Sempre que me imagino velhinha, lembrando dessa época que vivi na Suécia eu penso que me lembrarei do seu amarelo...

Do quanto desejei me jogar uma, duas, milhares de vezes em suas plantações amarelinhas do início da Primavera...

Me lembrarei de um amarelo intenso tal qual eu nunca havia experimentado antes...

E experimentar esse amarelo significa experimentar uma sensação repleta de emoções... Não dá para passar sem notar, não dá para passar sem que dentro da gente o coração sorria...

Não há tristeza que sobreviva ao amarelo radiante de energia e luz...



(Eu, curtindo a vida em amarelo, em Landsrköna, em 2009, nos raps na, ainda grávida do Ângelo, Malmö,em 2007, Ângelo em piquenique em frente de casa e os girassóis do casal de amigos poloneses que vivem numa fazenda, ambos em 2009)

Inspirada pela idéia da Glorinha, que conheci através da colorida Lilla, resolvi selecionar de meu acervo de fotos pessoais, algumas fotos das milhares que tenho com tons amarelos...

Tentei lançar meu olhar para aquilo que já vivo e ver nele o que já há do colorido amarelo.

Nas fotos seleiconadas vejo coisas simples, onde a cor e a alegria na verdade estão sempre presentes, embora meu olhar não as tenha percebido.


(As mangas amarelinhas e doces do quintal da minha avózinha, sendo dadas por ela ao Ângelo, Brasil, 2010, e eu grávida do Ângelo, 2007)

E penso que todos os dias, ou quase todos, a energia amarela está ali... mas é só o olhar que pode tomá-la para dentro...
Se o olhar está desviado demais com cinzas e escuros o amarelo ficará num tom sujo... pálido...

Adorei a idéia do post porque eu, particularmente, não consigo viver sem a presença de cores... Minha casa está repleta delas, meu trabalho, minhas roupas, a comida...

E em dias amargos e sombrios nada melhor que tentar receber todas as vibrações que a natureza nos dá, como sabiamente fez a Glorinha. Ao invés de focar o escuro, girar o olhar para o colorido e ver que há vida, apesar de naquele momento a vida parecer estranha para a gente.

Nessa segunda-feira amarela desejo à Glorinha e para vocês que aqui passam que seus dias de escuridão (se os tiver) passem logo e que a energia que ela tem buscado na blogagem coletiva de cores se derrame como um punhado de tinta colorindo sua casa, suas coisas, sua família, sua alma.

Comentários

Beth/Lilás disse…
UauauUuauUauauau!
Ponto pra você borboletinha abilolada!
hehe
Ficou demais este post e as fotos belíssimas deste amarelo lindo aí da Suécia!
Obrigada pelas lindas palavras e nunquinha que eu ficaria zangada contigo, porque sei muito bem o quanto me gosta verdadeiramente.
Foi apenas um 'lápis'. hehhe
A Glorinha também é uma super amiga e merece esta emanação de cor, precisa muito dela inclusive neste momento.
beijos grandes
Oi Borboletinha!

Que linda postagem, fico muito feliz em sua adesão à blogagem coletiva, tb reuni fotos minhas com as cores amarela.

Amei suas palavras e as cores sempre me renovam, por isso estão sempre presentes em minha vida.


Beijos e boa semana!
Somnia, muito bem vinda! Estou emocionada com seu post, de verdade!
Colorir a vida nesse momento crucial da minha vida foi uma das melhores coisas que podia fazer por mim mesma...e vc me lembrou isso!
É preciso força e coragem, mas elas emanam através de amigos, pouco importa se recentes ou antigos...vc me deu um presente hoje.
Sua presença, seu lindo post com tão lindas fotos, seu filho que mais parece um anjo, e é Angelo...tudo isso, iluminou meu dia!
Obrigada por vir brincar nessa linda ciranda, onde todos, de mãos dadas,podemos nos dar as mãos uns aos outros, trazendo luz para nossas vidas e para as vidas de quem brincar com a gente!
Grande beijo, minha nova amiga!
Richie disse…
Oi! Conheci teu blog através do Colorindo a Vida da Glorinha e poxa, que lindo teu post amarelo! Fotos muito bem selecionadas, momentos lindos, todos em tom de amarelo.

Adorei, parabens!
Camila Hareide disse…
Sonildes, deixei uma resposta looonga pra vc lá no blog, porque não cabia (em termos de significado) aqui!

beijo
Jacinta Dantas disse…
Nossa!
aqui viajei no tempo. O amarelo daqui trouxe-me uma lembrança e um sorriso nos lábios. Essas mangas, imersas nessa bacia com água. Tudo de bom. Levou-ve à infância.
tudo de bom.
Um abraço
Gina disse…
A 1a. foto ficou ótima nessa plantação de flores amarelas.
Gosto muito dessa cor, levanta o astral e suas palavras vieram de encontro ao meu estado de espírito. Quero absorver um pouco dessas boas energias e desejar a você também boas vibrações.
Bjs.
Luciana disse…
Também adorei a ideia dessa postagem colorida, e as fotos, tanto as suas como das outras, estão lindas.
Eita vontade que me deu dessas mangas madurinhas, imagino o cheiro.
Beijo
Açuti disse…
Oláa

lindo blog!!
Fotos lindas de se ver...vibrantes!!

Obrigada por participar da postagem coletiva e ajudar a colorir nosso mundo!!

bjkss e tenha uma excelente semana!
Luma Rosa disse…
Vou sair energizada do seu blogue! Além da energia do amarelo, a energia de vida bem vivida!! Ah, não deixei de notar o encontro de gerações :=))) Beijus,
Xu disse…
Muié, tava eu aqui, lendo este post lindo e vendo, de canto de olho, as flores amarelas (q vc me deu 5a passada) no meu vaso... tadinhas, já estão todas caidinhas... mas não criei coragem de joga-las fora... pois são lindas d+!

Muito oportuno ler este post todo amarelin... num dia tão ensolarado como hoje :-D

Beijos

P.S. só pra não perder o costume...rs... a plantacão é de Canola, não de GRanola (hahahaha) :-P
Nossa, só a Glorinha mesmo para me fazer conhecer espeços tão especiais...amei esta postagem sua..que energia maravilhosa que senti..
beijos
vi
Daniela disse…
Olha, eu não gosto de amarelo não. Sempre digo que "o que seria do amarelo se todos tivessem bom gosto?" hohohoho. Mas as fotos estão DIVINAS!!

E estou em dívida com vc. É, eu sei :-(
Richie disse…
Somnia, manda receitinhas típicas da Suécia pra gente?? Li seu perfil e gostei mto! Mestrado sobre o Adorno, que legal!
Onde a gente vê tuas telas?

bjo, obrigado pela visita!
Andrea disse…
Oi Sônia, lindo o amarelo nas fotos! O Ângelo aparecendo nas situações mais rotineiras também está uma graça. Eu também não consigo viver sem um pouco de cor na vida!
Abraço, Andrea
http://segredosdaborboletadomar.blogspot.com/
Danissima disse…
Somniaaaaaaaaaaaaa,
vc sabia que amarelo é a minha cor preferida????????
Thaiis disse…
"o que seria do amarelo se todos tivessem bom gosto?"(2) QPWOIEQWOPIEQPOI mas tbm nunca tinha visto um conjunto desses de flores amarelas, muito bonito as fotos! :D
Françoise disse…
Tá lindo demais, entrei na foto e parece que mergulhei no amarelo das canolas também!
bjos
Françoise
Eveline disse…
Oi amiga, tudo?
Amarelo é a cor preferida da minha mãe, sempre que vejo essa cor penso nela, e tem tudo a ver, é alegre, quente e agitada.
Deve ser como você. Lindas fotos, amei.
Feliz Páscoa para toda a família,
Bjs
Anônimo disse…
sOMNIA, BELO AMARELO..mENINA, EU fico louca com as paisagens daqui....
kkk
Eu gasto horas ao amanhecer e ao entardecer....kkk
Feliz Primavera..Ah,e stive em Malmö, quando voltei da HOlanda, de carro..bjs e dias fleizes


graceolsson.com/blog
Unknown disse…
Essa primeira foto é de porta-retrato, hein?
E eu que achei que só esse fosse maluca de conseguir me ver lá na frente, pensando em todo o meu presente como passado... rsrs

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que