Pular para o conteúdo principal

A mão de obra feminina brasileira e a minha sétima mudança em sete anos

(Ângela e Xu-Muié, empacotando, comendo, dançando e tagarelando super feliz, tudo ao mesmo tempo, Malmö, 2009)

A correria tem sido tanta e tanto assunto pra por em dia que me dei conta de que não contei ainda que estamos nos mudando. De novo! Sim, simmm salabim! como diz minha amiga da foto.

Estou aqui com a casa de cabeça pro alto e tropeçando pelas caixas. 

São sete anos de casamento, completados agora em janeiro, com meu Renatão e, na próxima quarta, serão sete mudanças desde que nos casamos. Não tem do que reclamar já que a cada vez que fomos obrigados a nos mudar, normalmente porque o dono resolve vender o apê ou coisa assim, a gente sempre acha um lugar melhor e uma nova vida se abre.

Trabalhei duro os últimos dias, mas o resultado é realmente bom: além de ter as melhores empacotadoras do mundo me ajudando nesse fim de semana, ainda temos a alegria de poder ir pra um cantinho cheio do azul do mar.

Eu tenho comentários muito legais de vocês para responder, mas não consigo agora e queria falar tanta coisa que também não dá, não dá... mas só para jogar a discussão no grupo eu fiz esse post aqui. Pensem se é possível ter melhores empregados do que os brasileiros.

(Eficientes e alegres, coisa que "não tem preço", Malmö, 2009)


Essas amigas aí da foto acima, a Xu-Muié e a Ângela, passaram o sábado empacotando dezenas de caixas. Também tivemos uma ajuda rápida da alemã Nikol, mas elas superaram em tudo.

Além da mão de obra extremamente barata (bastou pegar uns sushis no japonês que elas toparam), tem ainda aquela alegria contagiante de quem veio do país do samba e do futebol.

Fizeram 80% da casa em um dia e numa felicidade que eu nunca vi em trabalhador nenhum!

Eu não sei se elas estavam saltitantes porque puderam dar umas boas desculpas pros maridos e filhos e sogros e sogras para se ausentarem do sábado ou sei lá se tem uns parafusos masoquistas a mais como eu, só sei que eu sou a a mais sortuda do planeta, porque ajuda de "grátis" com sorriso verdadeiro no rosto "não tem preço!".

Agora deixa eu correr, correr e correr, porque, além de ir pro curso de sueco toda manhã eu preciso terminar muito aqui ainda e estar na casa nova na quarta feira de manhã pra começar tudo de NOVO!

beijocas e "vis ses!"

Comentários

Beth/Lilás disse…
A mão de obra feminina é sensacional, porque além de trabalhar, dançam e falam muito.
Já os homens quando teem que fazer alguma coisa desse tipo, para falar, teem que parar tudinho.
Somos mesmo muito eficientes e merecíamos ganhar a ISO 15000. haha

Oba! Depois quero ver fotinhos desse lugar perto do mar.

Ah, o lustre da sala parece-se com o meu do quarto. Bonitão, né!

Boa sorte, brabuletinha!
bjs cariocas
Mariel Stupp disse…
Brasileiros trabalham o dobro pela metade do preço, e com um sorriso no rosto! Fora a solidariedade, nao pode ver um amigo precisando que tà là dando uma mao! Delìcia isso, hein?
Eu estou também passando por uma mudança e sei a trabalheira que dà...estou aos poucos levando minhas coisas de Floripa pra casa da minha mae pra poder alugar o apartamento no 1 ano que vou estar na Suécia.
Estou encontrando tanta coisa que nao serve mais pra nada, é incrìvel o nìvel das descobertas! rsrs
Anônimo disse…
Hej Somnia!!
Uau! é isso aê! mudança não é brincadeira, mas acho que com ajudantes tão alegres assim, imagino que tudo até foi divertido, não é?

kisses :)
Ju Moreira disse…
Mudanças são trabalhosas e cansativas mas no final são uma delícia. Só em pensar em começar de novo, me da um friozinho bom na barriga. É como se estivéssemos fechando um caítulo e abrindo um novo sem limite de páginas! ;)

boa sorte com a mudança!

xero grande
Anônimo disse…
Soninha, depois se quiser apague este comentario.
A data dos seus posts não estão aparecendo, você já tentou alterar na configuração do blog, acho que você precisa mudar para uma que começe com o ano, tente fazer isso e ela vai aparecer.
bjks
Cristiane
Lúcia Soares disse…
Iiiii! Eu sou boa ajudante de mudanças, viu? Trabalho que é uma beleza. Já fiquei expert e resolvo tudo num minuto. E não sou eu quem muda, estou na mesma casa há 24 anos. Mas ajudo filhos, amigos, faço "de um tudo"! Não digo que com tanta alegria das moçoilas das fotos, nem consigo ser tão saltitante, mas que agrado, agrado. Rsrsrsr
Anônimo disse…
Como assim? Ta tropecando nas caixas espalhadas pela casa??? Nós deixamos tudo bunitinho, empilhado num canto... pra não te atrapalhar. ahahahahahahaha!

Miué,

Não precisou de desculpa esfarrapada não. Sábado passado foi muito divertido mesmo... pelo simples fato de estarmos juntas e, principalmente, por te dar uma forcinha nessa tarefa nada fácil. Adorei o comentário da Beth/Lilas: merecemos ISO15000!!!!!
Agora, o que vc deveria fazer é colocar um fundo musical neste post com a música que estávamos dancando. Parece que foi feita pra nós, naquele momento: "A semana inteira, fiquei esperando, pra te ver sorrindo, pra te ver cantando..."

Queria muito estar pertinho pra poder te ajudar ainda mais ... mas o dever me chama (rs). Quinta-feira eu tô de volta! :-)

Beijos e boa sorte amanhã!
Xu-Muié (enviada especial na Hungria)
Luciana disse…
Dá trabalho, cansa, mas no final é bom ir pra um cantinho novo, principalmente se for melhor que o lugar onde morava.
Muita sorte e felicidade na sua nova moradia.
Beijo
Janaina disse…
Oiie!!
Nossa, vai mudar?? Pra onde? Malmo mesmo? Por ai pertin de onde já mora?
Saudades de ti flor!!

Mil Bjs
Ed. disse…
saudadeeeeeeeeeeeeeeeeees
Mr.Jones disse…
Oi, acompanho seu blog, e acho perfect!
E gostaria que aceitasse dois presentinhos "selos"
O selo REAL do meu Reino e o selinho da postagem de hoje.
é de coração e merecimento.

abraços sinceros.
Luciana disse…
oi Somnia, tudo bom?
Passei pra deixar meu email.
lucianaquinino@hotmail.com

Bom final de semana.

Beijo

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que