Pular para o conteúdo principal

"Não importa quem você seja, não importa onde você vá..."





Há mais ou menos um ano atrás, eu conheci o Jocelyn, um francês de Lyon, num curso de sueco da Folkuniversitetet, no mesmo grupo onde conheci aquele irlandês de quem já falei aqui. Calmo, mas falante e cheio de idéias, o Jocelyn logo se transformou numa boa companhia para estudo, cafés e almoços. Junto com sua Maria, uma sueca sorridente e simpatiquésima, eles estão entre os nossos grandes amigos daqui.

Depois de voltarmos a nos cruzar no Komvux para estudar sueco de novo, nada segura nossa troca de experiência, de vivências. Ontem, o Jocelyn enviou o vídeo acima para os amigos que fez pelo mundo e também enviou-o para mim. Esse vídeo faz parte de uma série de outros intitulados "Tocando para a mudança, música ao redor do mundo". Depois de ouvir a canção e cair de queixo por ela; depois de não resistir e me contagiar de uma "sentimento bom", tal qual Jocelyn também disse haver sentido, eu ouvi a música novamente. E, então, como o Ângelo ouviu de longe e veio conferir, me pedindo para pegar o violão, cantar e dançar com ele, a gente ouviu de novo junto... E ainda mais uma vez. Foi aí que eu não consegui não escrever esse post para tentar compartilhar isso com vocês também.

Eu sempre tive pra mim que a música tem um poder de conectar almas e mentes em cantos distantes e desconhecidos da terra e esse vídeo é uma prova viva disso. Ele é prova porque conecta os cantores e instumentistas que estão nele e porque conecta quem os ouve a eles e porque ainda conecta outros que tentam passar a experiência adiante.

Talvez você não goste, vai saber... mas eu tenho cá pra mim que você vai adorar... Não pare nos primeiros minutos e vá até o final. É a experiência da coisa toda que faz a diferença. Prove! Assim como me conectou a meu amigo francês pode conectar-me a vocês também...

"Não importa quem você seja, não importa onde você vá em sua vida... não importa o quanto dinheiro ou amigo você tenha conseguido, em algum momento você vai precisar de alguém para estar do seu lado e defender-te..."

Abaixo a letra pra gente cantar e dançar junto...

...

Stand by me 
(versão "Playing for change")


"This song says: no matter who you are, no matter where you go in your life, at some point you're gonna need somebody to stand by you...


Oh yeah, oh my darling, stand by me..
No matter who you are,
no matter where you go in life.
You're gonna need somebody
to stand by you.
No matter how much money you got,
or the friends you got.
You're gonna need somebody
to stand by you.
When the night has come,
and the land is dark
And that moon is the only
light we'll see
No, I won't be afraid,
No, I won't shed one tear
Just stay as long as the people coming, stand by me
And darlin', darlin' stand by me
Oh stand by me
Oh stand, stand by me, come on stand by me yeah!
When the sky that we look upon
when should tumble and fall
Or the mountain may should crumble into the sea
I won't cry, I won't cry, no,
I won't shed a tear
Just as long as you stand, stand by me
So darlin', darlin' stand by me
Oh stand by me
Please stand, stand by me, stand by me
And darlin', darlin' stand by me
Oh stand by me
Please stand, stand by me, stand by me
Oh baby, baby...
So darlin', darlin' stand shälana mi
Oh stand shälana mi
Oh stand, Oh stand, stand-stand by me
come on, stand by me
Stand shälana mi,
Oh I want to stand shälana mi
Oh stand shälana mi
Oh stand, Oh stand, stand-stand by me
come on, stand by me
When the night has come,
and the land is dark
And that moon is the only
light we'll see
No, I won't be afraid,
No, I won't be afraid,
Just as long,
Just as long as you stand, stand by me

(Letra original de E. Ben King)

Comentários

Anônimo disse…
Querida Sônia, esse som é super 10!!
Adorei, muito lindo! Obrigada por compartilhar!

Beijos :)
Beth/Lilás disse…
Brabuleta querida!
Quando eu retornar prã Niterói no domingo, vou ver no meu próprio computer.
Tenham um lindo final de semana!
bjs cariocas
Beth/Lilás disse…
Aha, cheguei!
Vi e me lembro que já tinha visto antes também, mas é tão legal que revi mais esta vez.
Mostra que a linguagem da música é universal e seria tão bom se os seres humanos pudessem interagir uns com os outros através de algo que fosse como a música.
Nesta minha viagem à América, onde ouvi várias linguas faladas em NYCity, pensei assim; porquê não falamos uma só lingua neste planetinha? Porquê tantas línguas diferentes e por causa delas nos distanciamos na comunicação às vezes?
A música é tudo de bom por isso, né mesmo!
bjs cariocas
Mariel Stupp disse…
Linda!
Jà conhecia a musica, mas com outro ritmo. Acho a letra lindìssima, tocante!!
Luciana disse…
Linda essa música.
As atualizacões do blog não estão subindo.
Beijo
Maike disse…
Este som é realmente fantástico, me tocou muito, obrigado por postar a letra!

Cordialmente, Maicon Maciel.

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que