18 janeiro 2008

"Amigos a gente encontra"



("Mulerada" na cozinha da Ivone - de vermelho, à direita - em seu especialíssimo jantar de Natal Brasileiro)


Quando eu dava aula aí no Brasil, a chegada dos vestibulares nos cursinhos era sempre muito parecida. Me lembro bem dos meus alunos e alunas queridos, cuja tensão e ansiedade era tanta que muitos adoeciam.
E ser professora nessas horas difíceis é ainda mais recompesador. A gente dá o ombro, o colo, oferece palavras de ânimo, fica horas a mais para tirar dúvidas, perde o sono junto com os alunos e sofre com eles também.

E era nessa mesma época que eu me punha a "fazer a cabeça" daqueles que pensavam em jogar todo o investimento de energia e dinheiro, de um ano todo, em apenas uma universidade, só porque ela ficava na mesma cidade onde moravam.

"Saiam!" "Mudem de cidade, de ares, de vida!", eu sempre repetia.

E me lembro também que um medo comum deles era o de perder os amigos e estar longe da família. E aí eu entrava com o meu discursão sobre a necessidade da gente "saiar da barra da saia" dos protetores e seguir carreira solo. Isso porque sempre acreditei que enfrentar os desafios, às vezes deliciosos, às vezes terrivelmente difíceis, do dia-a-dia traz amadurecimento e traz reconhecimento por aqueles que sempre cuidaram de nós. É claro que eu omitia bem a parte que a gente fica assim, miudinho de saudade...

Tenho me lembrado muito desses meus conselhos, porque, de certa forma, estou ainda mais longe e experimentando ainda mais esses dois lados da moeda. Mas, se por um lado, sair dói na saudade, por outro, é muito bom ver que a gente pode fazer novos amigos. 

E, pensando nisso, eu já havia selecionado algumas fotos e pensado alguns textos sobre cada encontro que tive aqui e queria ter publicado um por um até o fim do ano, mas tudo foi me atropelando.

Aqui, juntei algumas fotos de encontros e gente que venho conhecendo para, de um lado, agradecer essas pessoas que têm sido minhas companheiras aqui. Que me telefonam, que me visitam, que me oferecem sua casa e sua alegria. De outro, para provar - talvez para quem pense igual aos meus alunos, talvez para mim mesma - que, embora a gente não possa substituir ninguém (que ótimo!), como diz Raimundo, o Fagner, "amigos a gente encontra"...


(A deliciosa mesa da Ângela e do Kenth, em típico jantar sueco na casa deles)


(O querido casal Gãs, minha amiga Xu e seu maridão Gustavo, provando minha sopa de ervilhas em casa)

....

"Quem me levará sou eu"

(Fagner, música de Dominguinhos e Manduka)


"Amigos a gente encontra
O mundo não é só aqui
Repare naquela estrada
Que distância nos levará

(A sueca mais doce que conheci: Inga lil, enfermeira do Ângelo que se transformou em amiga)

As coisas que eu tenho aqui
Na certa terei por lá
Segredos de um caminhão
Fronteiras por desvendar
Não diga que eu me perdi
Não mande me procurar
Cidades que eu nunca vi
São casas de braços
A me agasalhar

(A querida cearense Márcia, cujas filhas suequinhas eu adoro e quem adora o meu filho, setembro/2007)

Passar como passam os dias
Se o calendário acabar
Eu faço contar o tempo outra vez,
Sim, tudo outra vez a passar

(Grzegorz e Agnieszka, o casal de poloneses mais legal da Suécia, com o super tradicional e trabalhoso prato que nos fizeram)

Não diga que eu fiquei sozinho
Não mande alguém me acompanhar
Repare a multidão precisa
De alguém mais alto a lhe guiar

(Maria, minha amiga portuguesa falante, de quem falo tanto neste blog)

Quem me levará sou eu
Quem regressará sou eu
Não diga que eu não levo a guia
De quem souber me amar"

8 comentários:

Andréa disse...

Ter amigos é realmente maravilhoso. Não dá prá viver sem eles, né?
Bjs
Andréa

Daniela disse...

Somnia, vc tem toda razão. Eu, que já me mudei algumas vezes de cidade, sou prova viva disso! Ótimo texto!

beijos

Dani
1daystand.blogspot.com

Myrna disse...

Maravilhoso ler suas palavras, o final da gravidez tem me deixado meio estranha...tenho me sentido só, até sonho em voltar pra Campinas pra ficar debaixo da asa do meu Paizão.....saudades...
Um beijo

Myrna e Ana

Somnia Carvalho disse...

Andréa,

sim!!! é bom ter vocês!!!

Somnia Carvalho disse...

Dani, e pelo jeito você não pensa em parar!
Este estar aberto às mudanças e às novas amizades na verdade faz toda diferença nao é?

Somnia Carvalho disse...

Querida Myrna!!! já tá no fim!!! ela logo vem aí!

Eu sei o que você tá dizendo... é um misto tão grande de sentimentos esta fase aí... a gente quer o colo de quem ama, quer carinho e se sentir segura!

queria poder te dar um abração agora e te dizer: "vai tudo correr muuuito bem!" e você logo estará dando de mama e tendo muitas idéias com sua Ana!

Ah!! lembra da Lujan? também está nos dias de ganhar! o Theo!

Anônimo disse...

Mulé, tô contigo e não abro... vale muito a pena encarar "o novo". Apesar de alguns pesares (a tal saudade por ex.), a gente aprende muito, né? Não vou discursar sobre os prós & contras de morar na Suécia... só quero dizer q é bom demais ter uma amiga como vc por aqui.
A propósito, amei a foto do casal "Gãs"! (rs)
Beijos
tia Xu

P.S. o "vale presente" não tem data de validade, viu!

Somnia Carvalho disse...

Mulé,

se a gente faz esses pit stops pelo Brasil, de vez em quando, a gente se reabastece e continua a dura, mas feliz caminhada pela Suécia... rs...

Logo vem a Primavera e nós seremos super felizes de novo! haha...

o vale presente em breve será utilizado! aguarde!