06 janeiro 2008

"Não adianta bater"...


(O quintal de casa ontem depois da neve da noitinha)


"Quem bate?
É o frio...

Não adianta bater,
Eu não deixo você entrar
As Casas Pernambucanas é que vão aquecer o meu lar.
Vou comprar flanelas, 
Lãs e cobertores, eu vou comprar
Nas Casas Pernambucanas
E nem vou sentir o inverno chegar..."


Você se lembra do comercial que as Casas Pernambucanas tinham para o inverno?
Eu me lembro bem da versão mais "moderninha" dos anos 80 (moderninha para quem tá véinha que nem eu), com uma música gostosa ao fundo e uma porção de edredons no comercial.

Hum... dava uma sensação gostosa de quentinho, de casa aconchegante e todo mundo juntinho.
Por aqui tenho me lembrado muito dessa sensação, vendo a neve cair lá fora e a gente todo quietinho em casa...


(Se deixar o carro na rua, cê vai ter um trabalhinho amanhã na hora de ir pra "firrrma")

Mas é engraçado pensar que eu passava mais frio aí no Brasil do que na Suécia. Eu odiava tomar banho e pisar no frio e acordar cedo pra ir pra escola. 

Só nessa rotina de sair de casa com menos alguma coisa (ontem com -2, sensação de -7) com vento de 30 e tantos quilômetros por hora, mais neve e chuvinha, que me faz entender uma frase que o meu marido "chatonildinho" vivia me repetindo aí, quando eu vestia meia e dormia com edredon a 25 graus: "Não faz frio no Brasil!"... 

Fazer friiiio, percebo agora, não faz mesmo, mas que eu passava mais frio dentro de casa aí do que aqui, isso eu não posso negar... Nem mesmo os edredons e flanelas das Casas Pernanbucanas me salvavam!

Trem bão mesmo é aquecedor! Das Casas Pernanbucanas eu fico com a música!




2 comentários:

Anônimo disse...

Lindo o texto sobre o seu irmão. E linda a foto do vovô Angelinho. Tô morrendo de saudade.

Bjs,

Tia Dri.

Somnia Carvalho disse...

Brigada querida!!!!