Pular para o conteúdo principal

"Caminhando contra o vento, sem lenço e sem documento", literalmente falando



Noite de sono não muito boa, atraso na hora de acordar.
Olho pela janela e "não!". Zero grau no termômetro, nada de primavera! Chuva e neve fina do lado de fora. "Não tem graça nenhuma!" 

Corre, corre. Dá mamadeira, sem tempo para tomar café, pega tudo. Veste roupa, pega livros, cadernos, mala. "Go, go, go!" 

Frio, vento. Deixa bicicleta, pega carona.

Na escola: "preciso comer, preciso comer, preciso comer". Na cafeteria: "putz!, esqueci a carteira na outra bolsa!". Caço moedas. Ok, "en banan!" 

Sobe, sobe, sobe. Chego. A professora: "Hoje teremos prova surpresa para avaliar o nível de cada um". "Oh! shit!". Engole banana guela abaixo, começa o teste. Ok! Primeira parte encerrada. Hora do intervalo.

Fome! Fome! Fome! A amiga polonesa convida pro café: "sim! sim! sim!. Hora de pagar: "carambola! esqueci! não tenho dinheiro!"

Ok, café e bolinho pago pela amiga. Volta, termina segunda parte do teste, desce até a biblioteca para devolver livro e cd. Em frente à balconista: "Hummm cadê o livro?" Revira a bolsa, revira, revira e...

"Que droga! esqueci na sala?" Volta 5 degraus de escadas. Procura, procura. Nada. Onde deixei? Onde deixei? Ah! no banheiro!

Ok! livro pego! Biblioteca de novo, balconista: "eu preciso do seu cartão!" "Ó claro! o cartão! O cartão, o cartão! Nãoooo acredito! ficou na carteira que ficou na outra bolsa que ficou em casa. Caçarola! só amanhã!

Saio correndo para o estacionamento de bikes. Ahnnn... cadê? onde tá? Ah! esqueci! hoje não vim de Madalena. Corro pra tomar um ônibus. Quase no terminal: "carammmba! esqueci que não tenho dinheiro!" 

Enfrenta o frio e o vento em direção à casa. No caminho: "ah! preciso fazer a compra de comida pro jantar" ... "Ai!" esqueci de novo que não tenho..."

Vento forte, cabeça dói, zólho, zorelha, zovido, penso se não seria melhor tentar algum analgésico mas.... "Cacillllda! Estou sem..."

Três, quatro, cinco, seis quadras, vento de voar mamona e a promessa de cozinhar pra amiga sueca grávida e cheia de vômitos? "Não posso!, não estou com a porcaria do..." OK! telefona, explica... hej då!" 

Anda, anda e nunca chega. "Raios! Eu deveria comprar um remédio pra memória!" "Ah! esqueci! sempre fui assim! E piora quando tô com fome!". 

Que jeito? Só indo pra casa! Ok! chego em casa com fome, com dor de cabeça, com o "zovido" tinindo, sem comida, sem o remédio e sem paciência para sair e enfrentar tudo de novo nos próximos trinta minutos. 

Tá bom! vida na Suécia não é fácil, mas pra quem é pancada e esquecida de vez em quando fica um pouquinho mais complicado!


Comentários

Beth/Lilás disse…
kkkkkkk
Acordo e quando vejo que você postou alguma coisa, venho logo ler antes mesmo de aprovar meus comentários, pois sei que vem texto engraçado.
Mas tô rindo das suas desgraças, tadinha!
É que vc escreve de um jeito que parece que estou ouvindo você falar.
Oh, dia, oh mês, oh azar!!!
Lembra desse desenho?
Hoje será um dia melhor!
beijos outonais cariocas
Janaina disse…
nosssa,, um dos post mais engraçado q li aqui...
perdoa eu por rir da sua afliçaoo!!!

bjjs
Lúcia Soares disse…
Pois é, foi de rir demais, mesmo, lendo. Você tem uma "veia" ótima de escritora, também. Além de pintora.
Por isso detesto trocar de bolsa..Só o faço pra sair à noite...A do dia, pasme! não me desfaço dela há...3 anos, que se completarão agora, em abril. Sou ou não sou uma mulher alienigena?
A propósito do comentário no post das fotos do seu aniversário: meu signo é Touro. E só recentemente descobri que com ascendente em Escorpião. Você entende de signos? O que isso significa? Dá um "bom samba" essa conjunção? rsrsrsr
Anônimo disse…
Soninha querida,
tenho pensado muito em voce e hoje ate peguei o telefone para te ligar, quando fui distraida pelos meus pimpolhos, e acabei nao ligando e quando lembrei novamente jah estava tarde e me senti meio culpada. Depois tive um tempinho para ler seu post e rindo conclui que ate que nao foi tao ruim assim. Certain things happen for a reason...Will call soon.
Muitos beijos saudosos
Sandra Reynolds.
Anônimo disse…
Ai Sonia, tadinha de tu!!

Fiquei aflita so de ler!! Enquanto as meninas ai em cima riram eu esta aqui, só na aflição!!

Esta semana tb esqueci a carteira na outra bolsa e foi aquela coisa "ohh esqueci a carteira, fome, fome", bom tu sabe bem, né? hehe

xero
Anônimo disse…
Hahaha... muito bom este texto. Dei boas risadas, mas também sei como a gente fica com raiva depois de um dia atrapalhado desses.

A vantagem é que no Brasil a gente sempre dá um "jeitinho" quando esquece dinheiro pro ônibus ou p/ o pedágio, por exemplo, aí as coisas não funcionam desse jeito!

Bjs,

Da sua cunhada bem atrapalhada também!
Hahahaha, dei boas risadas aqui, e, como a Beth falou, parece que estou ouvindo vc contar... kkk
Por gostar tanto do seu cantinho, tem um selinho para vc com mtoo carinho!

beijos
Somnia Carvalho disse…
Entendi Lilas! eu sou a piadinha do seu dia?!

hehe...

eu lembro do desenho sim! a unica coisa e que nao e uma exceção que eu tenha dias assim! o diferente e quando eu faco tudo de jeito normal. Como gente normal e equilibrada... rs
Somnia Carvalho disse…
Jana, pode rir da desgraça alheia!
Somnia Carvalho disse…
Lucia, jura? tenho veia de escritora? ueba! haha!

voce tem a mesma bolsa ha 3 anos? sem trocar? uau! e mesmo uma agulha no palheiro! eu nao tenho nada caro, tudo simples, de pano colorido, coisas assim, mas tenho uma bolsa pra cada coisa. Pra escola, pra academia, pros brinquedos do angelo etc.. e e claro que eu vivo fazendo coisas do tipo do que fiz na terca!
entao a diferenca entre eu e voce?
voce e inteligente!
Somnia Carvalho disse…
Sandra ex vizinha da infancia querida,

obrigadissima por ficar se sentindo culpada por nao me ligar! haha... eu sabia que um dia voce iria pagar por disputar chegar no pao da perua da rua antes de mim!

entao, ontem foi loucura! acabei nao retornando a ligacao! mas amanha eu ligo! hoje ja e hora de jantar aqui... to num intervalinho... Beijos e muitas saudades! e afagos nos pequenos!
Somnia Carvalho disse…
Ju voce nao riu porque sabe e-xa-ta-men-te o que significa esquecer a carteira, andar a pe no friozao com vento ne?

agora voce deve ter passado piores bocados ainda, ja que considerando a vilinha que e malmo perto de estocolmo, ficar sem dinheiro! uiuiui
Somnia Carvalho disse…
Dri, mesmo voce que e minha cunhada brastemp riu do meu dia?

aqui nao tem muito "jeitinho", mesmo porque nao da pra eu chegar no balcao da padoca e pedir pra pagar no outro dia, mesmo que o cara me conheca ha muito tempo, entende? voce tem razao nisso! sem jeitinhos aqui! mas eu podia ter pedido dinheiro emprestado pras amigas polonesas do curso, mas sabe qual foi o problema???

eu esqueci!!!!!!
Somnia Carvalho disse…
Hey barbiegirl!!! vou la correndo ver ok!?

obrigadísisma!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que