Pular para o conteúdo principal

"Eu vejo flores em você!"

("Wood & Wool Stool, in: Decor8)

Gente bonita do nosso Brasil veronil e gente desse mundão belezura todo,

Tivemos aqui uma semana muito das gostosas com a visita da minha sogritia Irene e da Tia Lourdes do Renato. A coisa de reencontrar a família e sentir-se num laço de irmandade é muito saudável. Faz bem para o corpo e para a alma.

Tenho fotos e tal, mas não tive tempo nenhum de postar nada até agora. Espero ainda fazê-lo...

As duas embarcaram hoje de manhã e ficamos orgulhosos delas que estavam ressabiadas no começo, porque não falavam outra língua que não o português, mas tudo saiu muito bem e estão agora quase nas bandas da Holanda.

A casa tá meio vazia e fica saudade, mas a nossa rotina continua e vamos vivendo nossa Suécia linda e logo fria de cada dia.

Eu, por hora, volto às minhas aulas e tenho aqui em mãos um livro super bonito de uma história bem sueca, Anna Hanna och Johanna. Preciso terminar de ler, escrever um resumo e apresentar amanhã lá na escola.

Vou voltando aos poucos com vocês e aí no espaço de vocês.

Por enquanto só para dizer que o outono chegou com todas as folhas vermelhas, amarelas e marrons possíveis. O frio começa a dar também as caras e estamos na casa dos 15 graus. Hoje, vento e chuva. Dia nublado e ótimo para eu investir nos estudos e limpeza.

Espero que tenham uma ótima segunda-feira. Obrigada pelo carinho de quem passa aqui e me faz companhia. Adoro esse Café chamado Borboleta. Acho até que vou colocar como codinome do blog com um leminha mais ou menos assim:


"Sejam sempre bem vindas e bem vindos ao nosso Café Borboleta, onde se proseia de tudo um pouco, onde se toma um café com leite de creminho em cima, ou chá de aromas e ervas com bolo de chocolate numa canequinha de latinha mineira, onde e onde a gente quer mesmo é se sentir a vontade..."

Beijos e essas flores, que vi ontem num blog de decoração americano que gosto muito, vão para cada um de vocês!

Bom dia!

Comentários

Camila Hareide disse…
Coisa boa receber família! O duro é que depois que eles se vão, a casa fica enorme e vazia, mesmo!

Boa estudada!

beijo
Beth/Lilás disse…
Hello Sonildes!

Obrigada pela florzinha, cê sabe que eu adoro elas, né!
super beijo carioca
Beth/Lilás disse…
Ahhhh, te respondi lá no post, mas vou dizer aqui também que já aprendi a programar posts e principalmente para quem levanta aí neste outro hemisfério.
beijocas
Ingrid disse…
Oi,

Escrevo para uma breve apresentação. Na verdade, mais para me mostrar como uma nova leitora do seu blog. Há um certo risco (ou seria alguma chance?!) de que eu vá para a Suécia daqui um ou dois anos. Como eu só falo em português e tenho uma filhota que está com dois anos, essa perspectiva me deixa tensa e angustiada, com uma pitada de excitação. :)

Então estarei por aqui, lendo mais do que escrevendo, mas procurando compreender um pouco do que esperar.

Abraços,
Somnia Carvalho disse…
Camila,

bom mesmo! e dei uma estudada! haha

adorei o verbo
Somnia Carvalho disse…
Sim Lilas voce sempre me da flores!!! entao ofereci algumas!!!
Somnia Carvalho disse…
Ingrid!

seja bem vinda! ao blog e depois a Suecia!
tomara que de certo!

eu sempre digo pra quem pensa em mudar a rotina totalmente: va! arrisque! tomara que vc tenha a oportunidade!

aqui ha coisas bem dificeis e normalmente eu nao falo muito delas, apesar de pincelar por alto: o tempo, nao falar a lingua bla bla... mas o fato e que acho que cada coisa dificil e compensada pela inacreditavel experiencia! tudo!

eu realmente adoro poder viver esse tempo aqui... embora eu tambem ame viver na minha terra.

passe sempre por aqui! e se der uma pesquisada nos posts antigos capaz de ter mais coisa que te ajude... bjs

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que