09 julho 2008

"Filhos, pra que tê-los?" ou Até meus amigos "bicho-grilo" decidiram ser pais

(O pézinho gordinho do dorminhoco do Ângelo, em clique do pai coruja, julho de 2008)


Ultimamente tenho recebido algumas notícias de amigos que, até pouco tempo, eram totalmente improváveis de serem pais ou mães um dia... 

Improváveis não por serem incapazes, mas porque levavam bem suas vidas sem pensar no assunto e derepente, me dizem: "Somnia, serei mãe, serei pai"... como ouvi de minha amiga maluquinha Lu Dias, de quem falei esses dias, e de meu amigo todo filósofo e descolado Ferracini.

Amigos que mudaram de idéia ou simplesmente acham que chegou o momento de cuidar de outra vidinha também. Talvez a gente mude  porque a decisão de não ter filho é tão difícil que a gente não quer correr o risco. Talvez porque parece um ciclo meio em cadeia... a gente tem os sobrinhos e fica deslumbrado, daí vem o filho de uma amiga e outro e outro e você quer ter alguém para ler aquele livro lindo que um dia leu...

Quer cuidar,
Quer amar,
Quer dedicar tempo a educar...

Quer participar das conversas chatas de fraldas e começar a tirar fotos de pezinhos ... e achar o máximo!

Talvez a gente seja egoísta e queira uma coisa fofa só pra gente, mesmo que por alguns anos...
Não sei como decidimos ter os filhos... mas depois que decidimos é tão impossível pensar que durante tantos anos, eles não fizeram parte da nossa vida... 

Por essas razões eu penso que decidir não ter filhos é uma decisão muito mais corajosa do que o contrário, embora tê-los exija, após isso, uma coragem e uma dedicação que você sequer imagina antes disso...

Depois que eles vêm, fica difícil voltar atrás, porque é impossível não amá-los mais que a gente mesmo... é como se você agora existisse apenas se pudesse pensar essa outra parte de você lhe completando... É bobo, estranho e maravilhoso.

Mas só se você dá o passo nessa direção pode achar, talvez, que o que eu digo não seja idiota...
A verdade é que fico imensamente feliz de ver tudo isso ocorrendo e embora eu sempre repita o mesmo: adoro ver que a vida sempre pode mudar!


2 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Sonia. Nossas coisas pequenas estão crescendo lindas e gordinhas e fofinhas e cheirosinhas e safadinhas...Seu filho está muito gostosinho, parabéns. Faz um aninho nesta semana, né. Dá um abraço bem apertado nele e come um pedaço de bolo bem gostoso por nós. Bj Pinta.

Somnia Carvalho disse...

Sim Pinta! eles estão crescendo tãooo rápido!

eu parece retardada: não largo o coitado e só fico beijando, beijando...