25 novembro 2008

Para Sonildes agora é tempo de Brasil




Dentro muitas dúvidas cruéis, uma Sonildes não tem: quando Suécio se torna muito frio, é hora de se jogar nos braços de Brasil, com quem ela encontra o calor que precisa. 

Depois de umas semanas sentindo o gelo de Suécio, aquele jeito estranho de novo de ser, aquela maneira de fazer esquecer o quanto ele pode ser carinhoso, amável e caloroso, Sonildes pensou que é hora de se entregar a Brasil por umas semanas. 

Ela havia dado uma desculpa esfarrapada para o coitado do Brasil e estava no Rio com Suécio há algum tempo. Compreensivo, Brasil esperou esse tempo sem reclamar. Apenas dizia: "quando é que você volta? Estou com saudades!" E Sonildes saía escorregadia: "Logo, meu amor, assim que acabar o trabalho nesses eventos todos!". 

E assim ela curtiu quietinha esse tempo com o belo Suécio. E curtiu sua casa colorida, seu jardim cheio de flores amarelas, seus amigos cheios de conversas gostosas. Entretanto, como todo mundo já sabe, a moça anda mesmo sem saber o que quer da vida e prefere ter tudo enquanto pode. 

Resolveu jogar as desculpas esfarrapadas dessa vez pra cima de Suécio. E nem foi difícil fazer isso, porque depois de uns jantares nos quais ele nem queria ir e de terem pego uma virose danada, Sonildes vai sem culpa.  Não basta ser loiro, lindo e inteligente, tem é que poder beijar.

Semana que vem ela tá na ponte aérea, rumando para o querido Brasil. Lá ela quer curtir o Natal, o Reveillon e a praia com ele. Quer tomar água de côco, rir até de madrugada, comer comida caseira da mãe de Brasil e de sua mãezinha. Vai se derreter de amores por seus irmãos, cunhadas e sobrinhos. Ela vai reencontrar os amigos de quem ela sente tanta falta quando está com Suécio, vai ver o amado jogar capoeira, vair dançar um samba, tomar chopp nos happy-hour até dizer chega!

Se ela esqueceu Suécio e a vida que pode ter com ele? Não. Ter esse tempo com Brasil é uma entrega necessária. Sonildes sente que precisa se entregar a um, depois a outro, sem culpa e sem pensar demais, porque tem aquela coisa na veia lhe dizendo que precisa ser feliz. Agora é hora de Brasil! 


7 comentários:

Beth/Lilás disse...

Quack, quack, quack!
Então tú vens, já estou esperando desde às 6!

Se vierem para o Rio, please, contate-me para tomarmos um chopp gelado na praia ou em Itaipava um café gostoso com aquela torta gostosa.

Ah, que maravilha! Deixa prá lá o Suécio gelado por ora e vem se aquecer nos braços do Brasilzão amado.

bjs cariocas

Jana! disse...

:(
ficarei mais só!

maria disse...

virei fa do blog. acompanho cada capitulo como se fosse uma boa novela.

Iscadeleopondo disse...

depois de muito tempo (muito mesmo...) voltei a ler teu blog...
estive muito ocupado, e seus posts são mei grandes...
Da outra vez você disse do meu "Iscadeleopondo" isso é só um nome que uso na internet, meu nome é Arthur XD
Então virá para o Brasil, seja bem vinda de volta...
Não consigo acreditar que alguém queira voltar para o Brasil, mas é compreensível, afinal, a saudade aperta...

Te mais vê, procurarei acompanhar - e comentar sempre que possível - seu blog!

Iscadeleopondo disse...

depois de ler os posts antigos (já coloquei teu blog no google reader para não perder nada xD) eu percebi que meu comentário foi estranho e não tinha nada a ver xD

acho que eu interpreto as coisas da forma que meu conhecimento no momento determina, e o resto é a imaginação que faz a confusão toda...

té mais

Marcia Lima Gomes disse...

Boa viagem! Esbalde-se nos braços do Brasil! Aqui (EUA) também já está frio e sinto uma saudade danada do nosso calorão!

Somnia Carvalho disse...

Sim pessoal,

Sonildes vai encontrar Brasil, mas fique tranquilo Leopoldo, é por um mês e pouco....

Jana, fofa, ce tem que voltar na epoca boa da colheita, no calor, pra gente passear todo dia!!! agora e tempo de muito recolhimento!!! mas fique aqui e aproveite o centro de Malmo cheio de papai noel! curta o inverno friozinho por mim! adorei te conhecer e a gente precisa fazer foto, pro post...

Betona, aparece em Sumpaulo pra gente tomar um chop na vila madalena!!! aparece!!!

Maria de Dublin, ter uma fã assim não tem preço!

Márcia, vou cair nos braços do amado Brasil e vou pensar em voce e mandar energia quentinha!