Pular para o conteúdo principal

Eram "quatro e quinze da noite" quando tudo aconteceu...



Eram quatro e quinze da "noite" no relógio escandinavo...

- quando a gente saiu do playground e parou nesse Café escuro, em frente de casa, quinta feira, para tomar um leite com chocolate, junto do Iven e da Nikol.






- quando a gente preparava o jantar das cinco e meia para receber nossos amigos suecos Paulina, Babaqui e Kian, sábado passado...




- quando Ângelo estava todo pulante na minha cama e a chuva e o dia caíam pela janela. 







- quando encerramos o passeio do dia e deixamos o frio pro lado de fora...

No outono sueco em que só se vê alguma luz do sol lá pelas oito ou nove da manhã e a noite chega as quatro e meia da tarde, a vida acontece sempre a qualquer hora da noite ou de uma quase noite. 

Outono parece tempo de dormir com as árvores...




Comentários

Beth/Lilás disse…
OI, Somnia!
E pro Ângelo isso passa batido, ou seja, está sempre felizinho!
Crianças são maravilhosas e seu mundo também.
Como ele tá lindo, gente!
bjs cariocas
Anônimo disse…
Essa época é bem esquisita prá gente, né? Também passei por isso em Londres. Ia prá escola de manhã, ainda noite. Entre a escola e o trabalho, eram os únicos 30 minutos que conseguia ver a luz do dia. Qdo saía do "batente", às 17h, já era noite de novo. Mas depois tudo passa e a vida volta ao normal, não se desespere!!!
Bjs
Andréa
Elland disse…
Esses horários não usuais... Mudam o jeito de ver as coisas...

Ah, só hoje, vi o comentário num dos meus textos, e descobri que o blogger não está mais avisando quando comentam meus textos... Então, explicando: Eu estou indo para a Suécia no final do ano que vem, espero.
Ainda tenho de ver a questão de visto/matrícula na universidade, e por coincidencia, pretendo ir justamente morar em Malmö.
Só eu sei, ou não, o problema que é aprender suéco sozinho, sem livro, sem professor, etc... mas eu tenho esperanças, pra completar, vou fingir que não sei inglês, quando estiver por aí, pra ver se eu aprendo mais rápido.
Lúcia Soares disse…
Nossa, como seu filho é lindo, Sõnia! Deus o abençoe! Eu tenho um neto maravilhoso, também. Mora em Londrina, no Paraná, e eu moro em Belo Horizonte, Minas Gerais...É uma tortura viver longe dele!
Sabe que fico "agoniada" em ler a descrição do tempo aí, no outono? Ah, deve ser difícil pra você, lembrar-se desse nosso Brasil tão ensolarado! Este ano, inclusive, até ensolarado demais, um calor de tirar a gente do sério, ainda nem sendo verão!
Mas o importante é o momento e seu momento é aí, com seu marido e seu filho. Parabéns por ele! A fôrma foi caprichada!
Jana disse…
Olá Somnia!
Sou brasileira e mãe de três filhos (Felipe 4 anos, Murilo 2 anos e Nina 1 ano) e meu marido recebeu uma proposta para trabalhar em Estocolmo. Tenho muitas dúvidas é lógico, pois estaríamos indo com 3 bebês, comecei a procurar informações e encontrei o seu blog, que por sinal é muito gostoso de ler, parabéns! Como vc é mãe, resolvi pedir uma ajuda... Gostaria de saber, se com visto de trabalho e permanecendo apenas 6 meses no país, meus filhos teriam o direito de frequentar escolinhas públicas. Se vc puder me ajudar ficarei extremamente grata.
Obrigada pela atenção e desculpe qualquer coisa
Janaina Pesci
janapesci@yahoo.com.br
Anônimo disse…
Nao estou escrevendo para comentar o texto e sim outra coisinha...como o Angelo tá liiiiiindo. parabéns. Bj. Pinta
Somnia Carvalho disse…
Lilás, é verdade! embora o Ângelo nunca vá ter consciência do que viveu aqui, apenas uma memória meio apagada, ele também não se lembrará do que era difícil! Ser criança é mágico...

beijocas
Somnia Carvalho disse…
Andréa, quando foi que vc viveu em Londres? super legal! é verdade... a gente sai e volta e nem vê a luz do dia... Hoje foi assim, chuva o dia todo e nada, nada de luz... Eu não me desespero, porque faço de tudo para estar na ativa e não sentir essa escuridão. O segredo é ficar dando jantar, indo a jantar, não deixar de ver os amigos, ainda que dê preguiça... senão, você ja sabe ne?
Somnia Carvalho disse…
Elland,

legal! seria muito legal se eu ainda tivesse aqui... olha, uma coisa: quando vc estiver aqui vai poder aprender sueco de graça e em cursos muito bons. É legal tentar aprender antes, mas é difícil e aqui você verá que com o inglês vai se virar fácil no começo...

na minha lista de blog tem um que ajuda no sueco... e uma dica de livro excelente é uma coleção "sueco para falantes de..." aí tem para falantes de ingles, espanhol, italiano etc... não tem para o português, aliás, algo que eu adoraria fazer... se eu um dia conseguisse... Garanto que com esse livro voce vai avançar muuuito rapido. Ele é excelente e comprei aqui: "A concise swedish grammar", svenska grammatik på engelska", Natur Kultur.

abraços, boa sorte e me mantenha informada! rs.
Somnia Carvalho disse…
Querida Lúcia,

Um netinho longe também? eh vida amargurada dessas avós modernas! rs... no passado era tom fácil né? todo mundo morava ali na mesma fazendinha, agora esse pessoal fica se enfiando em cada lugar e levando os netinhos pra longe das avózinhas... rs...

Eu fico com a maior pena de minha sogra, minha mãe e você... deve ser dureza ter os filhos e ainda os netos longe.

Lúcia, o tempo aqui é uma experiência tão forte que eu tinha me esquecido totalmente da sensação dessa escuridão de novo... o verão e a primavera são tão intensos quanto o inverno... é uma experiência única e forte pra cada estação, mas é claro que nessa época eu morro de vontade de passear no Brasil, Itália... e na primavera eu esqueço disso.. .rs... A boa notícia é que eu vou estar no quentinho com vocês no fim do ano todo... eba!
Somnia Carvalho disse…
Jana, dê uma olhada no meu post seguinte e me diz se ajudou! foi um prazer! beijão e não deixe de responder ok?
Somnia Carvalho disse…
Pinta amiga, você sempe aparece e eu nunca mais consegui falar com você... a gente vai se ver em breve e você vai conferir a beleza do meu Anjo e eu da sua Rocha... beijos

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que