Pular para o conteúdo principal

"Suíte das Folhas"

(O caminho de árvores na esquina de casa pelo qual me apaixono em cada estação, Malmö, outubro de 2008)


Domingo é dia de família pra mim. 
Domingo é dia de saborear um prato gostoso e comer uma sobremesa caprichada.
Domingo é dia de soneca depois do almoço ou de filme no fim do dia.
Domingo é dia de prece silenciosa pela semana que passou.
Domingo é dia de se jogar nas almofadas e ouvir nossas canções preferidas.
Domingo é o dia De... fazer tudo aquilo que passa pela cabeça durante a semana, sem deixar que o sonho escorregue por entre os dedos. 


("Maissss, maissss", Ângelo curtindo o outono e o domingo em seu carro possante, Malmö, outubro de 2008)

Passeando novamente pelas folhas amareladas das árvores hoje, vi que muita tem saído às ruas com sua câmera fotográfica... As crianças se espalham pelas folhas e os pais ficam atrás das câmeras. E muitos tentam fotografar as folhas amareladinhas caindo ou então jogam-nas para cima, querendo capturar esse momento de profunda delicadeza. 
Eu continuo ouvindo canções quando passeio por entre essas árvores e achei incrível como o quarteto português "Sons do Tempo" conseguiu traduzir esse sentimento tão bem em "Suíte das Folhas, Poema a uma folha caída".


(Bruuum, bruuum, Malmö, outubro de 2008)

Esse tipo de música, domingo e outono é um casamento perfeito. 
Cliquem no link acima para ouvir a canção e tenham um domingo e um início de semana suave suave...

Comentários

Anônimo disse…
Oba, rico domingo, li o seu blog inteiro ! :-D
Beth/Lilás disse…
Boa tarde!
Ah, sim! O domingo aqui foi mais ou menos parecido, só não empurrei um Ângelo no carrinho, nem vi folhas ao vento, mas de resto também teve música e aconchego do lar.
Linda a música e vocês!
bjs cariocas
Unknown disse…
Ah!Mas que forte motor
Este carro tem!
Ah! Que belo!
E folgado!
É seu motorista!
Nesta linda pista!
Mais,mais,então!
Este motorista!!
Esta certo e cheio de razão!!!!
Somnia Carvalho disse…
Hey Jo Ann,

uau! adorei seus comentários nos posts antigos! obrigada! é legal ter um feed back de textos que já passaram, mas continuam aí na rede.

É um prazer poder ser lida como gente como vc!
Somnia Carvalho disse…
Lilás,

meu domingo foi inspirado pela sua música, eu já disse... obrigada pelo "mio bambino caro"!
Somnia Carvalho disse…
Vavá poeta! Deixa o Angelinho entender poesia que vai pedir: maissss, maissss..
Ed. disse…
quero um domingo assim
antes que a vida escorra pelos meus dedos.


tantas saudades

bjos

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que