12 outubro 2008

...nas Teresas, nas Gis e nas Marias todas, amém!



"Em Teresa brotou a Rosa" é o título dessa tela que fiz há algum tempo e que foi comprada pela querida Gi - Gislaine. Ela e o Christian caíram de amores pela "Teresa" e foram buscar a tela em São Paulo. Desde então, ela está na sala deles lá nas Suíças...

A "Teresa" acompanhou os primeiros tempos do casamento dos dois apaixonadíssimos e pôde ver a Gi de barrigona, coisa que eu não consegui. Nessa foto que "tomei" do álbum da Gi as duas estão tão cara de uma, barriga de outra que a impressão que tenho é que pintei "Teresa" a partir da Gislaine, embora engravidar fosse apenas um projeto da Gi, quando ela conheceu minha pintura. 

É interessante demais pensar em como o que vemos e sentimos pode afetar o que somos. Enquanto alguém pode olhar pra esse mesmo quadro e sentir algo ruim, ou detestar a idéia e as cores, outra pessoa pode ficar em êxtase com ela. Eu acho magnífico o que uma pintura, uma poesia, uma música pode fazer com a gente...

Semana passada, por exemplo, a Irene, minha sogra, me disse que uma foto que pus no blog comigo, Ângelo e Re juntos é quase idêntica a uma pintura que fiz da Sagrada Família há um tempo e dei para duas pessoas da família dela de presente.

Curioso tudo isso... curioso como a Gi poderia ter se espelhado nas cores da "Teresa" quando pôs sua blusa rosa e sua barriga cheia de Ana Carolina para posar na foto no dia do chá de bebê de sua esperada. Curiosíssimo pensar como eu posso ter em mente, sem querer, que minha pequena família é um tanto "sagrada" e posar para fotos na mesma posição que fiz meus quadros ou fazê-los de forma que lembrem àquela admirada família, mesmo quando não a tenho em mente conscientemente. Viagens minhas, talvez. Talvez não.

Bom, o fato é que, depois de meses de paixão e espera, em Gislaine brotou a Ana Carolina que nasceu no dia 21 de setembro.

E vendo essa foto tão linda e única das duas aí, coladinhas uma na outra, a mãe cheia de orgulho, a filha cheia de segurança junto dela, eu fiquei pensando que a cada nascimento todo mundo se torna um pouco sagrado. Toda mulher é um pouco "Maria" ao carregar dentro de si uma criatura cheia de vida e ao dar a luz a ela depois... 




Todo homem é um pouco José, quando segura nos braços o fruto do seu fruto, como o Christian nessa foto abaixo, todo bebê, um milagre...

Acho que foram idéias assim que me levaram a pintar "Em Teresa brotou a Rosa" e outras telas mais... A gente tem mais de idealismo e pureza dentro de si do que assume e a vida é mais arte do que a gente imagina. 


4 comentários:

Marcia Lima Gomes disse...

O quadro é lindo! A Gis é a cara da Teresa! E o texto é delicado. Um primor!

Lilás/Beth disse...

Beleza! E ainda por cima pintora!!!
bjs cariocas

Somnia Carvalho disse...

Obrigada Márcia! Valeu por levantar minha bola toda vez Lilás!!!

Gislaine disse...

Querida Sonia,
muita obrigada pela homenagem - homenagem, pois é assim que eu a entendo! A Teresa continua florindo por aqui, independente das estações. E eu flori também, junto com a minha Ana, toda cheia de graça. O Christian se delicia com suas duas mulheres, e nós, claro, abusamos um pouquinho da boa vontade paterna.
Infelizmente não achei o texto. Deve ter se perdido em algum computador que passou por aqui. Culpa deste meu marido da informática, que adora brinquedinhos novos.
Deixo um beijão imenso pra vocês. Vou pedir pra folhas amarelas de sol carregarem até a Suécia