21 julho 2010

"O tempo passa, o tempo voa e..." os medos mudam


Hohoho,

Já estava a caminho do banho quando achei nem sei como um site de ortopedia, onde encontrei uma entrevista que dei há vários anos sobre o meu medo de dentista, citada num texto chamado "Medo atrapalha tratamento no dentista".

Meu! pra falar verdade nem sei para quem dei a entrevista na época, mas sei que alguém aproveitou bem o meu melodrama dentístico...


(...) O medo também pode ter raízes no passado. "Muitas vezes, o paciente torna-se odontofóbico porque vivenciou dor ou teve alguma experiência negativa com dentistas na infância", afirma a odontopediatra Eliana Amarante. Foi o que aconteceu com a professora Sônia Maria de Carvalho Pinto, 32.

"Acho que meu medo começou quando era pequena e fui a alguns dentistas ruins que fizeram o tratamento de qualquer jeito; até desmaiei por causa do medo de sentir dor", lembra. Já adulta, ela passou por outra experiência ruim: mesmo depois de seis doses, o anestésico não surtiu efeito, e ela foi obrigada a tratar um canal sem estar anestesiada. O medo até provoca insônia. Neste mês, ela teve de extrair dois pré-molares para usar aparelho ortodôntico. "Fiquei sem dormir três noites, tomando chá para tentar me acalmar", diz a professora."



Morri de rir comiga mesma e pensei: "uau! que maravilha que os problemas mudam, os traumas tem chances de diminuir e a gente de crescer!"...

Eu aqui, nesta cama de hotellll, num canto norte do Globo, com minha barriga indo e vindo em ondas de chutes da Marina, esperando para voltar ao Brasil em dois dias dou de cara com a Sônia antiguinha... Tudo bem que ainda de-tes-to ir ao dentista, mas tá melhor... tá melhor... oi se tá!

Depois de ter tido filho em parto normal na Suécia ainda consigo fazer drama para dores, porque é mais forte que eu, mas vamos combinar que a mocinha de anos atrás era demais de exagerada não?

Um comentário:

Ivana disse...

Sõnia, se eu te disser que cochilo com a boca aberta no dentista, tu acreditas?