Pular para o conteúdo principal

A Felicidade mora..., 1a. parte

(... no colo carinhoso e anônimo das brasileiras, moradoras do Japão e que iam de férias para o Brasil, vôo de Frankfurt para o Brasil, dezembro de 2009)

(... numa festa de casamento, com noivos jovens, lindos e apaixonados. Casamento da Lúcia e Gabriel, no qual Ângelo foi pajem, Brasil, dezembro de 2009)


(... nas alianças trazidas pela daminha e nos caixinhos mais cobiçados da noite. Casamento da Lúcia e Gabriel, Brasil, dezembro de 2009)

(... no orgulho da avó e na fama invertida... Ângelo com Cris Polly, a Super Nanny brasileira, que sabia quem era o Ângelo que ainda não sabia quem era ela. Casamento da Lúcia e Gabriel, Brasil, dezembro de 2009)


(... na babação da tia lindona... Tia Dri, vavá Irene e Vô Caetano matando a saudade. Casamento da Lúcia e Gabriel, Brasil, dezembro de 2009)

(... nas dezenas de presentes dados com amor por aqueles que nos amam. Ângelo brincando no amigo secreto do Natal, Brasil, dezembro de 2009)

(... e na festa de Natal celebrada em família. Ângelo com a vó Maria, Luana, Gustavo e Júnior, Brasil, dezembro de 2009)

(... na festa de aniversário da Bizavó, com direito a canção em português e sueco, dirigida pelo Angelinho. Niver da Dona Conceição, Brasil, janeiro de 2010)

(... nos primos de quem sentimos falta e pedimos para ver, mesmo depois de voltar à Suécia. Ângelo Luana e Júnior, Brasil, dezembro de 2009)

(... numa história contada por uma amiga e em noites inesquecíveis. Luana e Ângelo ouvindo minha amiga Fá lhes contar uma história... e os dois dormiram felizes até o outro dia... Brasil, dezembro de
2009)


(... numa imagem que queremos guardar na lembrança...Foto pedida pelo Ângelo, antes de minha família ir embora no dia da nossa despedida do Brasil. (minha mãezinha Maria, eu, Re, minha irmã Sandra, cunhada Vanessa com Gustavo, irmão Lê, Ângelo, Jú e Luana), Brasil, janeiro de 2010

Comentários

Lúcia Soares disse…
Oi, Somnia. Como é que você não viu sua Gaultier na parte II dos presentes, logo abaixo da bolsa vermelha da Laura?? Tô "bege" em saber que vc pensou que eu não lhe presentearia com uma! Prestenção, menina! Vai lá e aprecie, vê se lhe agrada. Olha bem se ia esquecer você! Humpt!

E as fotos, que delícia! Depois conta pra nós o que a Super Nanny estava fazendo no casório. Bonitona ela, não?
Você se parece com sua mãe, talvez não em todos os traços, mas é o mesmo jeito de sorrir.
Ângelo super-fotogênico, lindo em todas.
Luana "já lá vai" virando uma mocinha.
Que noiva linda, heim? O vestido dela é um mimo. O noivo, lindo também.
Felicidade se encontra mesmo em coisas simples. Bj
Daniela disse…
Lindo!

Você tem uma família bonita, a alegria é aparente.

A Cris Polly é lindona.

Adorei os noivos super despojados.

Fotos com gosto de saudade né?
Luciana disse…
Somnia, que fotos lindas são essas?
Amei.
Menina, eu também não aprendi e sei que não vou aprender conviver com isso de envelhecer. Estou buscando os textos exatamente pra dar um ânimo, porque estou quase entrando em crise com isso,ok, sem ser muito exagerada, mas me entristeco de vez em quando com as perdas e com o peso da idade. Meu marido hoje disse que eu me conformasse e parasse de pensar nisso, porque é a tendëncia natural. Bom, antes envelhecer que morrer.
Vou escrever um post sobre isso e esperar comentários de quem tá passando por essas coisas, quem já superou... Esperarei seu comentário, mas acho que só escrevo lá pro final da semana.

Bem vinda de volta à terra ainda mais gelada.

Beijo
Adriana Cechetti disse…
Não vale bater asas pra longe de novo e publicar essas fotos só pra fazer a gente chorar!

Lindas e tão cheias de cada emoção que vivemos nelas. Me enchi de saudade...

Bjs coruja,

Dri
Adriana Cechetti disse…
Não vale bater asas pra longe de novo e publicar essas fotos só pra fazer a gente chorar!

Lindas e tão cheias de cada emoção que vivemos nelas. Me enchi de saudade...

Bjs coruja,

Dri
Beth/Lilás disse…
Nossa quanta gente bonita, alegre e simpática!
O Angelinho é o fofolete de todos pelo jeito e seu sorriso parece mesmo com de sua mãezona.
Engraçado que quando olhei a foto da Super Nanny fiquei pensando de onde a conhecia, pensei até que fosse alguma amiga nossa blogueira, mas tô vendo que era convidada também e ela é lindona mesmo.
Fotos muito bonitas e expressivas, adorei!
bjs cariocas
Camila Hareide disse…
Sonildes, acho que são essas lembranças deliciosas que nos mantém seguindo em frente também... É muito duro viver longe da família, né?

Eu acabei de encontrar toda a minha, sob circunstâncias nada felizes, mas aquilo me fez pensar que, se eu sou quem sou hoje, é por causa dela. Nós não somos NADA sem nossa família, por mais complicada que ela seja.

Muito legal você dividir esses momentos conosco E com eles!

beijo
Unknown disse…
Oi Borb, quantos momentos lindos!!!
Acho que essa é a nossa recompensa, certo? Os momentos juntos cmo quem a gente ama ficam muito mais intensos e cheios de alegria, sem a correria do dia-a-dia e com pouco espaço pro mau-humor!
E fico imaginando o Angelo, quais diferenças ele sente nessas andaças, desde o clima, a lingua, os mil afagos brasileiros...
Agora reza comigo pra que o inverno acabe logo!! rsrs
Beijos e bom final de semana pra voces!!
Somnia Carvalho disse…
pessoar... volto depois pra responder os comentarios desse ok? comecei de frente pra tras... rs...
Oláaaa, voltei agora de férias e sua passagem pelo Brasil me emocionou!!

Lindas fotos, linda família, quanto amor e quanto carinho!!

O bom da vida é isso, poder viver grandes momentos e depois ainda recordá-los!

beijos querida!!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que