Pular para o conteúdo principal

Just perfect!

(Ângelo brincando no jardim do Louisiana Museum, Dinamarca, novembro de 2009)

Simplesmente perfeito!

Foi o que pensei quando vi esta foto que Renato tirou ontem do Ângelo lá no Louisiana Museum que fica na Dinamarca.
Nesse olhar vivo e cheio de energia boa eu vejo o quanto eu não tenho mais um bebê em casa. O quanto esse menino é importante na nossa vida a e para nossa feliciade hoje em dia. O quanto é essencial que ele esteja bem, que ele coma, brinque, durma sempre da maneira mais perfeita. Vejo o quanto eu e Renato, como pais, tentamos ser perfeitinhos até o último com ele porque o amamos mais que tudo, assim como cada pai e mãe vê em sua criança a coisa mais preciosa do mundo.

Lembro de tanta coisa já vivida em dois anos e pouquinho e é como se a memória do que havia sido a vida antes dessa chegada tivesse sido meio que apagada.
Somos todos assim. Cheios de carinho pelos nossos filhos e cheios de gratidão por eles estarem conosco...
Bobos de amor...


Comentários

Beth/Lilás disse…
Sim. Dá uma sensação plena de realização quando vemos o fruto do nosso amor assim tão vivo, tão sadio e crescendo.
É mesmo 'just perfect' e assim devemos dizer e agradecer, pois tem tanta gente que sofre com filhos doentinhos ou com algo que acontece pela vida.
Que Deus o proteja sempre para crescer sempre feliz e fazer a felicidade de vocês!
beijão
Lúcia Soares disse…
Faço minhas as suas palavras e as da Beth.
Costumo chamar meus netos de "pedacinho de mim".
Filhos,então, sou eu inteira... Bj
Anônimo disse…
Que experiencia riquissima pra ele ser filho de brasileiros morando na Suécia! Certamente voces jà pensaram nas consequencias disso, na flexibilidade e entendimento que isso deve dar pra ele depois! :) fofinho de sorte esse de voces!!
E Sonia, respondì um tanto sobre a minha aula de aquarela là no blog. Se tiveres mais alguma pergunta, fica a vontade!!
Beijao e boa semana pra voces!
Luciana disse…
Um fofo, essa foto ficou perfeita. Menina, esse seu fofo tinha que ser modelo, ele é muito fotogênico.
Menino lindo!
Maariah disse…
Fotogénico, sem dúvida, um olhar intenso que eu adorei.

Ah, e o Louisiana Museum é muito interessante. Eu gostei, principalmente do espaço.
Adriana Cechetti disse…
Uma imagem que vale mais que mil palavras, ou melhor, que mil sorrisos...
Mari disse…
Chega até a ser um pouco injusto com todas as coisas boas que vivemos antes do nascimento dos nossos filhos, mas tudo fica mesmo meio apagado antes da chegada deles. É maravilhoso!

bj
lola aronovich disse…
Eu fico sem vir aqui por uns dias e perco um monte de coisa!
Primeiro, parabéns por ter passado no teste de inglês! Que bom, menos um!
Sobre inglês nas escolas brasileiras, é realmente muito ruim. Eu fiquei perplexa quando estive em Moscou e vi que com eles acontece a mesma coisa. Isso que todo russo fala inglês é o maior mito! Pouquíssimos falam, e olha que russo só é falado na Rússsia. Eles são que nem a gente: tem inglês nas escolas desde o comecinho (às vezes a partir da primeira série), mas o ensino é ruim. Resultado: terminam o segundo grau sem falar inglês, depois de anos de estudo. É um desperdício!
Eu fiquei muito decepcionada quando dei um semestre de inglês numa escola particular, no final do segundo grau. Eram poucos os que falavam, e poucos os que pareciam querer aprender. Eu dizia pra eles aproveitarem, porque iriam precisar do inglês (aliás, já precisavam; muitos tinham internet em casa, isso foi cinco anos atrás), mas eles encaravam as aulas de inglês como as outras aulas: não estavam nem aí, o importante era passar no vestibular e pronto. Foi muito triste constatar que, mesmo com boa vontade, eu não consegui fazer a diferença. Foi um semestre só, mas foi frustrante.
Mas vamos falar de coisas boas, como esse boneco aí da foto. Que lindo! O Ângelo vai dar trabalho quando crescer! Prepare-se, Som!
Anônimo disse…
Ih Borboleta, esquecì de comentar que meu pai gostou do teu comentàrio e respondeu (no tòpico da pintura em aquarela), todo corujando, ainda mais do que o normal! rsrs

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que