Pular para o conteúdo principal

Em noite escura e de lua cheia...

(Conde Rrrenat Carrneirr, Le Vampirry Brasilery na Festa do Haloween na casa da pobre donzela Mônica, Lomma, outubro de 2009)

Há muitos e muitos séculos atrás, quando a noite caía, o escuro tomava conta das cidades e a população malmoense se aconchegava no quentinho do seu lar, reza a lenda que, Rrrenat Carrneirr, Le Vampiry Brasilery que havia emigrado para as Escandinávias, deixava seu esconderijo e aterrorizava as mocinhas, as senhorinhas e todos os que pela frente dele passasse...





Em noites frias, com ventania, céu escuro e lua cheia, Rrrenat Carrneirr juntava sua tropa sedenta e invadiam casas e mais casas, trazendo apenas a desorrdi para os lares da pacata e fria Escurécia...




Juntamente de sua esposa, a ex do finado Adams Gomes, Sonícia Adams, Conde Rrenato tem elaborado mais e mais invasões às pobres famílias inocentes...




Dançando, pulando e comendo as malfadadas lagostinhas vermelhas eles passavam a noite celebrando a chegada do mestre Le Vampirrr. E não havia nada que os fizesse desistir. A noite ia cheia de absurdos vampirísticos, como na última em que Conde Rrenato Carrneiro invadiu a casa da ex-mortal Mônica, uma capixaba moradora da pacata cidade de Lomma.

Ao som de trilhas dracolinas como "Panela velha é que faz comida boa", a trupe celebrou seu Haloween e prometeu voltar à vizinhança no próximo ano...

Em dias de ventania assim, os escandinavos não tem medo que suas casas caíam, não tem medo que o frio os congele, nem o escuro os atormente... Eles temem apenas que ele, Conde Rrrenat, Le Vampiry Brasileiry, resolva aparecer e comer todas as lagostas que eles pescaram o verão todo, trazer sua trupe faminta e ainda palitar os dentes na mesa, na frente de todos sem modos nem compustura ...

Em noites assim, melhor manter as janelas bem trancadas...

Comentários

Beth/Lilás disse…
Sonícia Adams,

Você está um charme com seu maridex vampirex!

Eu adoro essas palhaçadas e se eu morasse aí ia querer fazer parte desta troupe meio louca.

Ia ser a tiazona do grupo, digamos assim, Betícia Adams, que tal!
Eu me divirto com esses seus posts maluquetes. kkkkkkkkkkk

O que é aquilo verde na boca da menina? Cruzes!

bjs cariocas
Imagine eu aí, uma barbie vampira!! hahahaha

Adoro essas suas festas doidas e bem divertidas!!!

E o pequeno Angelo, onde estava nessa hora?

Olha, fiz um post sobre recomeçar, sua opinião será muito importante para mim, passe lá!
http://cantinhodabarbiegirl.blogspot.com/2009/11/vamos-recomecar.html

beijos
Luciana disse…
Somnia, mandei um email pra você, mas voltou. Depois me mande outro email que reencaminho.
Meu email é lucianaquinino@hotmail.com.
Respondi seus comentários lá no meu blog, mas escrevi um email mais longo, e enfim, pode comentar e meter o bedelho a vontade, é sempre bem vinda.

Beijo
Beth/Lilás disse…
Somnia,
Vi e ouvi o vídeo agora à noite e amei. Música linda e gostosa, mas a historinha por trás da música lembrou algma coisa do filme Ghost.
E a música lembra também o ABBA ne!

Quanto ao post da foto,infelizmente não achei a bendita foto que eu pensava aque tinha aqui na serra, acho que está na casa de minha mãe, mas ainda vou tentar, ok.

bisous

----------------------------------------------------------------------
Anônimo disse…
Hahahaha Adorei!!!
Nòs nao tivemos haloween, procuramos e procuramos mas n encontramos nenhuma festa "acessìvel" (a ùnica que teve por aqui foi de uma menina que nao conhecìamos). ò vida!!! rsrs
Voces dois estao o màximo!!!
Lívia Chaves disse…
Muito muito legal, a produção também. risos.
Danissima disse…
quero ir nesta festa, tb!
Somnia Carvalho disse…
Gente querida,

nao to com tempo para responder os comentarios desse e dos outros posts... amanha, depois do workshop, espero voltar aos comentarios com maior cuidado...

beijocas

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que