02 dezembro 2007

Bozo, o filósofo pós-moderno


"Sempre rir, sempre rir,
pra viver é melhor sempre rir,
eu sou Palhaço e faço assim,
até dormindo o negócio é sorrir
é sorrir..."


Nada melhor do que um dia de domingo em que a gente sorria.
Hoje aqui o dia começou muito escuro. Oito da manhã pareciam quatro e a chuva não anima o passeio, mas dia de domingo sempre é especial pra mim.

Gosto desde a infância, quando eu acordava de manhã e continuava na cama, ouvindo as conversas da minha mãe com meu pai na cozinha durante o café... Ficava à espreita porque eles sempre estavam falando de nós, os filhos. E minha mãe estava a contar as novidades da semana, o que eu - danada, espertinha - havia feito ou aprendido... e eu me sentia extremamente especial.

Depois vieram as muitas missas do domingo, em que ou eu preparava a liturgia, ou cantava com o coral, ou ensaiava algo com adolescentes ou jovens para tornar a Santa Missa mais animada e mais "entendível" ao povo que lá madrugava.

E, depois ainda, veio a companhia adorável do Renato e os nosso cafés da manhã regados a muita conversa boa, conversa que hoje tem o Ângelo como tema e eu agora é quem fico a contar as novidades.

Foi esse mesmo personagem que, esses dias, me fez pensar em escrever aqui um post a respeito de como é bom, de vez em quando, pegar lá do baú escondido, algumas canções que marcaram nossa vida.
Eu tenho uma seleção de bregas ou ultra-românticas, religiosas ou clássicas, tudo misturado, que às vezes coloco assim, todas de uma vez...

E passo de Cake a Padre Zezinho. De Nirvana a Roy Orbinson, de Madredeus a Bethoven.

Assim começou meu dia com Ângelo na semana passada... e assim dançamos e cantarolamos umas "par delas", entre as quais eu havia escolhido "How can I go on", cuja lembrança pra mim é adorável: Freddie Mercury e Montserrat Caballe nas Olímpiadas de Barcelona, nos anos 80, juntando suas vozes poderosas.

Ao baixar a música, dei de cara, então, com uma obra prima: um vídeo produzido por dois amigos, de Pirassununga, há cinco anos atrás. E escorreram lágrimas de tanto rir...

E como foi bom! como foi bom encontrar duas almas perdidas por aí que se parecem tanto comigo. Que mesmo adultos, brincam como crianças, fazem rir e riem sozinhos... O mesmo que eu fiz na infância e até mesmo na universidade, quando eu, Lud e Janaína fingíamos ser cantoras italianas e chacretes. O mesmo que Renato adora fazer...


(Eu a fazer caras e bocas, Indaiatuba, 2004)


(E o marido a fazer graça, Paris, 2006)

De modo que, não posso deixar aqui o Freddie e a Montserrat sem o Daniel, Danzão, e seu amigo. E sugiro a você, se quer entender o que tô dizendo, que veja primeiro o vídeo original dos cantores em Barcelona. Depois, só depois, veja os atores de Pirassununga.

A letra e melodia dramática - e, de certa forma, melancólica - e a interpretação inesquecível dos dois cantores, foi totalmente transformada. Isso porque tudo é tomado de outro ângulo. De outro ponto de vista. Não do drama, mas da comédia.

Repare nos detalhes. Na escolha a dedo que fizeram do cenário. No varal e nos prendedores. Nas caras e bocas. No bigode e na gravata borboleta vermelha. Nas canecas a se cruzarem no ar, nas mãos se tocando...

É pura arte. Esbanja criatividade, mas eu acho que, acima de tudo, esbanja VIDA porque faz a gente dar tempo para a brincadeira, o riso e a alegria.

E embora a vida deles, provavelmente, tenha muitos dias nebulosos ou tristes, o que importa é que selecionaram momentos como este para manter na memória. Deles e na nossa. Como nós fazemos ao selecionar belas fotos para um álbum de retrato. Aquilo que a memória se alegra em lembrar.

Ótimo domingo para todos nós!

(Ah! a letra e a tradução de "How can I go on" vai abaixo, num outro post.
Veja os vídeos nos links do lado direito do blog. E se quiser ver mais dos amigos de Pirassununga, acesse: http://br.youtube.com/user/Danzao

4 comentários:

Danzão disse...

Obrigado pelo texto, gostei muito!

Anônimo disse...

Adorei vc ter se lembrado do Bozo... Eu e o Rê assistíamos sempre e o sonho dele era ganhar a bicicleta ou o tênis Montreal...(Vai ver q foi o famoso palhaço q o inspirou a ser tão piadista)

No ano passado, o verdadeiro Bozo esteve lá no SBT e tive que tirar uma foto c/ ele! Realizei um desejo de criança e fiquei feliz tb ao saber q a mãe da minha amiga Vitória não só trabalhava no programa, como era dela aquela mão do "Bozo-corrida", lembra???

Por mais "trash" q seja o nosso passado, nada como dar boas risadas mesmo...

Bjs,

Tia Dri

Somnia Carvalho disse...

Tia Driiiii!
Verdade! sua foto com o Bozo!!! como eu nao pensei nisso antes??? começar este post com você e ele?
me manda! me manda! me manda!

A gente ta contando as horinhas para ter você aqui, pena o tempo não estar lá essas coisas...

mas a gente vai ter motivo pra rir adoidado. beijos

Somnia Carvalho disse...

Danzão, que bom que gostou e que não deturpei muito o seu trabalho... rs...