Pular para o conteúdo principal

Vou me iluminar com teu azul...

("Hallelluya", Somnia Carvalho, 2010. A tela que pintei já influenciada pela chegada da primavera e também pela música de Jeff Buckley, há duas semanas, a fim de me iluminar de azull)



"Foi assim, quando eu vi o mar..."


Chegamos de viagem ontem* à meia noite e hoje fiquei cantarolando essa música do 14 bis (um grupo com o qual eu me identifiquei muito na adolescência) logo que acordei de manhãzinha e vi pela janela a imensidão do mar em frente de casa totalmente azul...

Coincidentemente o mesmo azul que hoje muitas de vocês trarão na postagem das cores da Glorinha que hoje é sobre o azul.

Azul é definitivamente a cor que mais amo e, para mim , azul é quase a cor do amor.
Diferente do amor vermelho, cheio de paixão e calor,
O azul é de um amor plácido e sublime.
Cheio de energia e vida cósmica.


(Renato Estreante Azul Cechetti cheio de felicidade e orgulho, no topo da montanha de 3 mil metros de onde desceu esquiando no fim de semana, Davos, Suíça, abril de 2010)


Azul pra mim é de um amor cheio de entrega,
porque é amplo, amplo e amplo.

Com o azul eu me perco no mundo e na natureza.
Foi assim que me senti também ao ver o céu azul nos Alpes Suíços iluminando a neve e as montanhas brancas nos últimos dias.

No meio do azul sempre me sinto pequena, mas iluninada.

E busco, tal como uma aprendiz de Van Gogh, as mais variadas tonalidades do azul:


"Continuo sempre à procura do azul. As figuras de camponeses, aqui, em regra geral,
são azuis. No trigo maduro, ou destacando-se sobre as folhas secas de uma ala de
faias, de forma que os matizes escalonados de azul escuro e de azul-claro recobram
vida e passam a expressar-se opondo-se aos tons dourados ou aos castanhosvermelhos
[...]"

VAN GOGH, Vincent. Cartas a Théo,
L&PM Editores, 1997, p. 173



("... A primeira vez que meus olhos se viram no seu olhar..." e Fábio Lukas, recém-chegado ao mundo ontem, filho dos amigos Gislaine e Christian, em azul na maternidade na Suíça, abril de 2010)



Azul celeste.
Azul ultramar.
Azul anil.
Azul cerúleo.
Azul cobalto.
Azul da Prússia...

É o azul que me faz pensar em cuidar do mundo,
ser carinhosa e responsável com a natureza,
e querer que meus filhos, e toda criança que ainda nasça, possam desfrutar da imensidão da vida.

EM AZUL...

...

* Eu publiquei esse post originalmente na quarta-feira passada, porque achei que fosse segunda... Foi minha amiga Lilás quem me alertou para o erro... Entretanto, hoje, meu azul estava em tom mais denunciador, daí o post que se segue, complementando este...

Comentários

Beth/Lilás disse…
Sonildesssss!

Não publica tá!

Menina, eu sei que vc é mesmo abilolada, cheia de energia atômica e pór isso não lê tudo, daí não sabe que esta cor é para a próxima semana, para a segunda-feira que vem, porque as postagens da blogagem coletiva são sempre nas segundas-feira.

Portanto, não exclua esta linda postagem, apenas guarde-a para a próxima segunda quando, enfim, será o dia do azul.

Esta semana, se vc não percebeu, foi Rosa.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Eu ri muito quando vi a sua confusão, mas veleu pela beleza de texto, como sempre, muito lindo e inspirador.

Tendeu, minha querida abilolada amiga?!

bjs cariocas
Somnia Carvalho disse…
HAHAHA Lilla lillas
eu morri de rir com seu comentario!

EU TEREI QUE PUBLICA LO NA PROXIMA SEGUNDA! hahah... sorry

entao! EU LEIO TUDO FOFA! haha... eu nao sou taoooo bilolada assim!!!

Agora se eu te disser que eu tinha a MAIS ABSOLUTA CERTEZA QUE HOJE ERA SEGUNDA CE ACREDITA?

HAHAHAHA

porque cheguei de viagem essa madruga e hoje o re foi trabalhar, tendeu?
entao eu nem sei como nao escrevi no post! hoje, segunda, amanheci... bla bla bla

de qualquer jeito amigona brigada!
fico gastando meu azul na semana rosa!

haha... por falar em rosa nao gosto muito! vai ver freud exprica
beijao!

ah! eu vou publicar seu comentario com esse email como resposta!
hehe

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que