Pular para o conteúdo principal

Bom dia! Bonjour! God Morgon! Good Morning! Guten Tag! Jo San! Ibuto?

("La pie", Claude Monet, 1869)


Bom dia para quem está aí do outro lado.

Acordamos com uma surpresa branca linda do lado de fora. O chão, as árvores e tudo o mais está cobertinho de neve!

Lindo, lindo, lindo!

Talvez uma das experiências mais maravilhosas que se possa ter da natureza é ver a neve cair, estar debaixo dela e, como diz minha amiga Mafer que vai dar a luz ainda essa semana, "ouvir seu barulhinho ao cair"...

Esses dias li o comentário de um leitor de um blog que gosto, acerca do caso da brasileira na Suiça. A moça dizia que, por coisas como as que aconteceu com Paula, ela nunca se aventura a sair do Brasil, para não ser recebida daquele jeito...

E eu digo que ficar fechado e achar que tudo que podemos conhecer é o caminho do trabalho para casa e vice-versa é muito, muito pouco para uma vida toda.

Há tanta gente maravilhosa em todo canto do planeta. Há tanta natureza para se ver, tão ou mais maravilhosa do que aquela com a qual você se acostumou a ver.

Há gente para amar e experiências para se viver em muitos outros cantos. No Brasil, inclusive. Mas achar que tudo é ruim porque alguém, ou muitos alguéns por aí, é ruim, é um pensamento piquininim que não cabe na palma da mão, escorrega.

Hoje, acordei ouvindo de Fagner a Edith Piaf... Dia de estudo, faxina e celebração. Tenho pensado em tanta gente incrível que tenho tido o prazer de conhecer. Os chineses tííímidos de meu grupo, a paquistanesa que me ajuda com o sueco, a sueca africaninha linda da escolinha, por quem Ângelo é apaixonado. Penso em Wendela, a mocinha sueca, com mãe grega-africana, tão carinhosa que cuidou do Ângelo no sábado a noite, para a gente comemorar o Dia dos Namorados daqui.

Penso na amiga Jéssica, brasileirézima, Nikol, alemãzona e Paulina, suequíssima, que virão em casa hoje a tarde. Amizades quentes, quentes...

Toda essa gente é boa demais e linda demais. E tem tanto respeito pelo outro como eu e você tem. 

Além delas, a natureza ali fora é pura vida, ainda que, ao contrário do que muita gente pense, só com calor se pode sentir tanta vida pulsando...

Bom dia para todos vocês!!!

Comentários

Anônimo disse…
Bom dia de uma "irmã" que acharia que vida no mesmo sítio seria tédio demais ! :-D
Neve por cá também, apetece ouvir música de discoteca ! :-D
Beth/Lilás disse…
Bom dia, querida 'brabuleta'!
Também acho que tem gente boa e má em todo o universo, nós é que temos que ficr 'ixpertos'. haha

beijão carioca quente
Anônimo disse…
Tambem acabei de voltar de nosso Brasil querido de 36 graus para encontrar neve do lado de fora e 10 graus (negativos), porem feliz de estar de volta ao lar, e de ter a oportunidade de poder vivenciar tantas coisas na vida...
Super beijos saudosos
Sandra R.
Anônimo disse…
Pensa em mim???? :D

Então concordo contigo Soninha!
Eu ainda nao viajei tanto comparado a vc.. Mas qnd gente maravilhosa eu conheci nessas minhas pequenas viajens!
E tantos brasileiros aqui para eu conhecer, fui conhecer uma brasileira ai na suecia..
Acredito que q a melhor pessoa que conheci ha tempos..
As vzs me pego a pensar, lembrar de qnd saia com vc, o jeito q vc falava comigo..
Hj aqui nao consigo explicar p todos sobre a pessoa que vc representou ai na suecia e ainda representa p mim!
Eu te considero uma grande amiga, como mesmo disse um dia que queria ser, uma pessoa tao do bem, que me dava conselhos e falava comigo como se fosse minha mae, talvez vc nunca percebeu isso.. Mas é como eu sinto, vc sabia exatamente o q falar p mim!
Nossa, sinto mts saudades de vc!

Bjs
olhodopombo disse…
Isso mesmo, muito bom!Concordo com tudo que escreveu....o mundo eh lindo e nascemos para sermos felizes.
isso de ver a neve cair deve ser uma experiencia fantasica!fotografa!,,,,
Érica disse…
Concordo com o que você falou, tudinho. Obrigada por passar no meu cantinho. Coisas sobre arrumar blog eu achei no Google, mas qualquer coisa estou aqui.
Somnia Carvalho disse…
Jo Ann, lindona,

irma com afinidades eletivas! haha.... eu sempre penso em voce quando conto essas historias! voce deve ter uma riqueza danada escondida ai por essas misturas e mudancas todas... e fico sempre pensando quando ouco gente dizendo "prefiro sempre viver no meu pais porque e mais "seguro" e conhecido" o quanto uma pessoa assim perde... ja perde porque nem sonhar se permite.
Somnia Carvalho disse…
Sim Lilas,

bobo de quem acha que o mundo e so florzinha e borboletinha ou so skinheadm e gente ruim...
Somnia Carvalho disse…
Janinha, minha queridinha,

eu nunca diria isso a voce, mas ja que mencionou: sim! eu percebia que a gente quase se tratava como mae e filha, apesar de eu nao ter idade pra ser sua mae! (epa! deixa eu salvar minha pele) rs...

eu percebi isso e ate tentei me controlar, me calar... voce cheia de sonhos e eu me vi um pouco em voce tambem.

Espero muito que voce seja realmente feliz! demais mesmo! e se for no brasil ou na suecia so importa se for bom demais para VOCE!!!!

BEIJOCAS TE ADORO TOMBEM
Somnia Carvalho disse…
Hey Erica,

eu vou pesquisar! e tentar fazer um blog mais arrumadinho tambem! rs...

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que