Pular para o conteúdo principal

Dicas Mil: vida prática na Suécia: vacinação infantil



Tentando dar continuidade àquela série sobre dicas da vida prática por aqui, vou aproveitar a pergunta da Talyane, uma querida "ouvinte" que nos escreve de Kalmar, aqui mesmo na Suécia.

A Talyane, com um barrigon de 7 meses, vive nessa cidadezinha gostosa, onde tem um castelo que já paga a pena viver por estas terras geladas e me pergunta o seguinte:


"(...) Bem eu estou grávida de 7 meses agora e estou com uma dúvida muito grande e creio eu muito importante, está me deixando de cabelo em pé... rs. E me lembro de suas matérias sobre maternidade... bem, como é o esquema de vacinas aki na Suécia? Estou com medo pq as principais vacinas são até os 6 meses de vida e minha filha vai estar sempre indo ao Brasil, até pq nos estamos aki de passagem pode-se dizer assim, e então ficoo muito preocupada com esse assunto. Como vc fez com seu bb? Melhor como é aki na Suécia, podemos pedir as mesmas vacinas? elas existem por aki?"


Bom, querida Talyane, por sua conta e por conta de um comentário antigo seu no meu post "Curiosidades sobre a Suécia, pré-natal" eu tenho em mente um texto inteirinho a respeito do meu parto aqui na Suécia que pretendo ter coragem de ainda escrever. Sobre essa sua última dúvida, digo o seguinte:

Vacinação de bebês na Suécia é fácil, simples, seguro e organizadíssimo. Não se preocupe. 
Assim que um bebê estrangeiro, cujos pais tenham documentação legal para estar no país, nasce aqui na Suécia, o próprio hospital encaminha todos os dados do bebê, dos pais etc para alguns órgãos legais. Isso quer dizer que os pais nem mesmo precisarão ir a um cartório para expedir o registro, como no Brasil. Com isso, todos a rede de saúde terá os dados do bebê e de seus pais. 

Vacinas:

Para o início das vacinas, bem como de qualquer tratamento de saúde infantil, é preciso procurar o Vårdcentral (que é uma versão de primeiro mundo dos nossos Postos de Saúde) mais próximo da casa da família, onde uma enfermeira, com especialidade em pediatria, fará o acompanhamento da criança. Em alguns casos, o posto especial para crianças pode ser chamado Barnavårdcentral e ficar separado do Vårdcentral.

Toda visita é agendada, não há fila de espera, nem demora ou salas lotadas. 

A maior parte das vacinas é dada por estas enfermeiras, numa consulta agendada especialmente para o bebê. Após ter inscrito a criança, as profissionais praticamente fazem todo o trabalho para a gente: enviam pelo correio o agendamento de vacinas e não deixam passar um delas sequer. 

Quando a criança precisa sair do país e seguir para um lugar de "risco", como às vezes o Brasil é considerado, é possível administrar alguma dose extra de vacina, que normalmente não é dada na Suécia. Todos esses itens podem ser conversados com a enfermeira, sem maiores problemas.  
É possível que os pais precisem arcar com a despesa da vacina, caso ela não esteja incluída no plano de vacinas das crianças suecas e o valor é parecido com o que se cobra no Brasil. Entretanto, são casos raros, já que o programa de vacinação sueco é quase o mesmo que o brasileiro. 

Nos primeiros meses essas enfermeiras são as responsáveis por checar, quinzenalmente (ou mais) peso, altura e estado geral do bebê. Elas são experientes, atenciosas e competentes, na maior parte dos casos. O bebê também terá consultas agendadas com o médico periodicamente para fazer alguns testes de saúde, como audição, visão etc. 

No site de cada região é possível encontrar muitas informações sobre o funcionamento dos Barnavårdcentral. Sobre Malmö ou a cidade de Kalmar é preciso pesquisar em:


Para saber qual o Vårdcentral mais próximo, consulte o site:


Espero que tenha lhe dado uma luzinha, antes que o dia de dar a luz lhe chegue Talyane!
Escreva se precisar. Se eu souber e puder ajudar, respondo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que