Pular para o conteúdo principal

"É a mulher com quem eu vivo a sonhar!"



Por umas três ou quatro semanas, desde que chegamos ao Brasil, eu - e também o Renato - me senti estrangeira em minha própria terra. É como se a gente se esquecesse totalmente o funcionamento da vida aqui e tivesse se adequado tanto à vida sueca que não entende como viveu tanto tempo sem perceber alguns "detalhes".
Eu quero falar disso com mais calma. Por ora, cheguei na casa de minha mãezinha querida e vou ficar por aqui uns dias. Espero pôr em dia as respostas aos comentários que foram feitas aos posts passados e aos atuais. Depois dessa semana, terei apenas um tempo para se despedir em Sampa e embarcar para minha nova terra, onde provavelmente irei por um tempo me sentir estrangeira de novo também.
Agora tô aqui curtindo o quase insuportável calor que tá fazendo, inclusive de quase 30 a noite. Tinha me desacostumado com isso também. Mas queria deixar um momento registrado, porque achei tão curioso e bonito pensar como algumas coisas tão simples podem trazer a gente de volta ao sentimento de pertencer a um lugar novamente.
Existem várias coisas que conseguem fazer isso comigo, como comer o milho verde refogado de minha mãe ou a maria mole de minha sogra. Semana passada, num delicioso e especial hotel fazenda em Nazaré Paulista, um simpático moço cantando ao vivo, fez eu rodar a baiana, quer dizer, a "Sandra Rosa Madalena" contida em mim, dentro da piscina.
Eu e Ângelo pulamos tanto na água, fizemos tanta festa que aquela sensação de se sentir estranhamente brasileira desapareceu por completo. Lembrei e revivi milhares de momentos da minha vida, minhas festas na Unicamp, em casa, meus momentos com as amigas e nossas festas de aniversários e casamentos, todos os lugares onde fizemos questão de dançar ao som do Sidney Magal. Brega, super brega, histórica e deliciosamente brega a música está em nós como uma cicatriz de infância. Está gravada em mim e ajuda a lembrar quem sou, de onde vim e o que vivi.
Por isso aqui vai a letra e a canção. Quem sabe você recorda também, se for da mesma época que eu, ou conhece um pouco do que pode ter sido um pedacinho do Brasil nos anos 80. Um beijo para vocês, para meu Renato, para quem eu sonho ser sempre a "Sandra Rosa Madalena" e de quem já tô morrendo de saudade e quem já tá curtindo o friozinho e a calma de Malmoe. Excelente semana! Volto logo!

"Quero vê-la sorrir
Quero vê-la cantar
Quero ver o seu corpo
Dançar sem parar...

Ela é bonita
Seus cabelos muito negros
E o seu corpo
Faz meu corpo delirar
O seu olhar desperta em mim
Uma vontade
De enlouquecer
De me perder
De me entregar...

Quando ela dança
Todo mundo se agita
E o povo grita
O seu nome sem parar
É a cigana
Sandra Rosa Madalena
É a mulher
Com quem eu vivo a sonhar...

Quero vê-la sorrir
Quero vê-la cantar
Quero ver o seu corpo
Dançar sem parar...

Dentro de mim
Mantenho acesa uma chama
Que se inflama
Se ela está perto de mim
Queria ser todas as coisas
Que ela gosta
Queria ser o seu princípio
E ser seu fim...

Quando ela dança
Todo mundo se agita
E o povo grita
O seu nome sem parar
É a cigana
Sandra Rosa Madalena
É a mulher
Com quem eu vivo a sonhar...

Quero vê-la sorrir
Quero vê-la cantar
Quero ver o seu corpo
Dançar sem parar..."

Sidney Magal

Comentários

Anônimo disse…
Adoro o Sidney!!!
Adoro ser brega provavelmente porque brega e tambem cultura...nao sei, mas gosto.
beijos, saudades...
/JR
Unknown disse…
Oi Somnia, Olá há muito tempo tenho vontade de entrar em contato com vc, mais ñ sei bem como é esse esquema de blog e eu havia perdido contato.
Bem eu estou morando aki em Kalmar como havia falado...
Bem eu estou grávida de 7 meses agora e estou com uma dúvida muito grande e creio eu muito importante, está me deixando de cabelo em pé... rs
e me lembro de suas matérias sobre maternidade... bem como é o esquema de vacinas aki na Suécia? Estou com medo pq as principais vacinas são até os 6 meses de vida,e minha filha vai está sempre indo ao Brasil, até pq nos estamos aki de passagem pode-se dizer assim, e então fiko muito preocupada com esse assunto.
Como vc fez com seu bb?
Melhor como é aki na Suécia, podemos pedir as mesmas vacinas? elas existem por aki?
Bem se puder me mndar a respoosta ou até mesmo ficarmos tendo contato, meu msn é:talyaneferreira1@hotmail.com
Obrigada!!!
Talyane Ferreira.
Anônimo disse…
Oi Somnia,
Sou artista plástico e adorei seu trabalho rs desculpe escrever no seu blog, não achei o seu email, estou precisando de algumas dicas, estou indo para a Suécia e ficaria muito feliz se você me pudesse me dar informacoes, anota meu email: diegocaliu@gmail.com

Obrigado !! Lindo seu trabalho,
gostaria de manter contato,
abs
Dk
Somnia Carvalho disse…
Jessica, queridona,

Voce tem cara de que ama o Magal! a gente precisa fazer uma festa brega brasileira em Malmo! que tal (nao acho meu interrogacao, esqueci como funciona o teclado sueco)
Somnia Carvalho disse…
Cara Talyane, desculpa a demora em responder!

voltei de viagem agora e nao tinha muito tempo para as respostas!

sobre as vacinas! fique suuuuuper tranquila mesmo!
Assim que sua bebezinha nascer voce vai ser encaminhada ao vardcentral mais proximo da sua casa. La tera uma enfermeira especial para ela que acompanhara tudo nos primeiros meses... peso, altura, vacinas!

ela mantera tudo em ordem, voce sempre recebera em sua casa as cartas indicando a data... quando for ao brasil, como angelo foi 3 vezes, ela dira se precisa de vacina extra. Eu dei por exemplo a rotavirus no angelo, la no brasil, por minha conta, mas normalmente nao ha diferenca. eles dao aqui quase tudo que temos la. nao todas, mas quase... e se voce pedir, eles tambem te ajudam a fazer e encaminham pro hospital.

vou tentar fazer um post com sua duvida, ok? bjs e continue escrenvdo!
manda no email do borboleta tambem se preferir e quiser tirar outras duvidas... tem ai no lado direito do blog.
Somnia Carvalho disse…
Oi DK!

sorry! publiquei seu comentario e nao percebi que tava junto seu email... vou te escrever sim, mas me manda primeiro sobre o que vc quer falar...

borboletapequeninanasuecia@gmail.com.

(Talyane, aqui ta o email para voce tambem)

EScreva! vou adorar poder falar de arte com alguem, ainda mais que queira vir para a suecia!

abracao

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que