Pular para o conteúdo principal

"Não se admire se um dia..."

(Xu, Gus, Nikol e Nik "comemorando e bebemorando" meu aniversário sem mim em Malmö hoje)


O que dizer dessa mulher?! Da força do seu olhar?! Das cores com que decora a vida?? Do amor que propaga?? Da beleza dura de sua franqueza?! Da criatividade que brota pelos poros?! Poderia eu falar tantas coisas sobre ela...mas me faltariam pincéis pra pintá-la tamanha é sua grandiosidade! O que digo, então?! É que sou feliz de tê-la por perto! De poder saborear sua sabedoria!
Felicidades, sempre!
Com todo amor que houver nessa vida!

Decidi esta semana, depois uma horrorosa virose que tomou a mim e as crianças e ainda pelo fato de não poder comer nada gostoso ou beber direito que iria comemorar meu aniversário apenas em abril, depois da Páscoa, quando tiver voltado do meu retiro de loba solitária no tratamento do iodo.

Qual sentido de fazer festa se a aniversariante terá de passar vontade enquanto os convidados se lambuzam em coisas deliciosas? Nãnãninãnão!

Bom, o problema não foi este, problema é que sou tão maluca (e a falta do hormônio neste momento só tem acentuado esta minha tendência) que nem sequer pensei em alguém me ligando hoje. Sim! De certo modo eu deletei que fosse de fato meu aniversário! E eu tenho este meio desapego com o celular, então de vez em quando eu esqueço da existência de celulares no mundo, sobretudo quando estou no interior. Bom, esquecendo eu perdi então várias ligações de gente adorada e fiquei até baixo astral quando vi a somniada que tinha feito!

Então, agora acabo de ler tanntas dezenas de mensagens carinhosas e verdadeiras, vi telefonemas perdidos os quais não sou capaz de devolver hoje ainda por conta do cansaço e demonstrações tão únicas de amizade que me deixaram, claro, num maior chororô. Entre tanta coisa boniiiita está esta mensagem aí de cima, da Dri, a qual eu posso adotar como slogan de campanha se eu um dia for tentar me candidatar a ministra ou qualquer coisa e que vou reproduzir num mural aqui em casa só para ficar olhando para ela e me achar essa pessoa linda que ela descreveu. :)

Então sim! Fiquem felizes! Vocês conseguiram! Podem agora me passar um lenço!

Eu poderia dizer que não mereço tudo isso, mas confio mais no julgamento de vocês do que no meu, de modo que eu só posso agradecer tanto amor e carinho. Adoro vocês todos e obrigada! É bem bom ser amada assim como eu sou!

Comentários

Beth/Lilás disse…
Amada Soninha!
Eu não tenho andado mais pela rede, mas não poderia deixar de passar por aqui para deixar registrado o meu carinho e admiração especial que tenho por ti.
Que Deus ilumine sempre teus caminhos e que não perca nunca este sorriso alegre, este jeito de menina, de boa moça, de gente maravilhosa que és.
Feliz Aniversário e muitos anos de vida!
um mega abraço da amiga que te adora,
Beth Q.Lilás
Dri Cechetti disse…
Que lindo ver o texto aqui! E te garanto que vc nem cabe em palavras! Bjs mil...
Lu Souza Brito disse…
Bom dia Somnia,

Uai gente, eu também não podeia deixar de vir aqui e desejar a você muitos anos de vida. A mensagem da DRI diz exatamente o que eu gostaria de dizer, mesmo a gente tendo se encontrando uma única vez. Te admiro muito. E o mundo seria muito melhor se existisse mais pessoas como você.
Um beijão e tenha um lindo dia.
Orvalho e Geada disse…
Parabéns, que teus anos sejam abençoados.
Orvalho e Geada disse…
Parabéns, que teus anos sejam abençoados.

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que