02 dezembro 2008

God Jul pra todos! God Jul pra todos!

("Feliz Natal e Bom Ano Novo", Olle)


Eu sei, ainda estamos só no início de dezembro e faltam quase três semanas para o Natal. Acontece que eu já estou total no clima de Natal, apesar da chuva que tem caído aqui em Malmö. E o fato de estar ansiosa com a viagem me faz tagarelar mais e mais, apesar de tanta coisa para fazer.

As ruas da cidade estão iluminadas e enfeitadas, tais como as lojas todas. As pessoas estão pelas ruas passeando (de preto, claro!), comprando algo ali e acolá, tomando chocolate quente ou glög e mandando ver nos quitutes da feirinha de Natal que fica entre o canal e a praça Gustav Adolf.

Eu estou louca para passar o Natal com a família, mas também sinto de não poder curtir mais essa época por aqui. Sabe aquela atmosfera que a gente vê em filmes infantis que passam o dia todo na TV em época de Natal? É mais ou menos parecido e é uma delícia. 

Depois que a gente conhece bem a paisagem daqui no inverno, entende porque o Natal europeu ou dos países frios têm aquele pinheiro gigante. Faz sentido ter a árvore e pendurar coisas nela, porque o pinheiro é praticamente uma das únicas árvores que conseguem sobreviver o inverno rigoroso. Ter uma árvore assim (muita gente só usa as que tombaram na floresta) acaba sendo meio que celebrar a vida no meio de uma época em que a vida é uma promessa. 

Eu acho bonito, simbólico.

Pelas ruas a gente também encontra corais de jovens cantando músicas natalinas e um ou outro Santa Claus (Papai Noel) distribuindo doce e ouvindo a criançada. Ainda que eu continue não acreditando na lenda, até o Papai Noel no Natal faz mais sentido aqui.

Sabe aquele velhinho da história? Branquinho, alto, grandalhão, olhos azuis, barba e narizinho empinado? Ele é a cara do povo daqui. E sabe as renas bonitinhas que puxam o trenó e toda a idéia que compramos com o pacote de decoração do Natal? Ela faz mais sentido por aqui, porque acaba parecendo menos artificial, entende? O Papai Noel do Pólo Norte tem tudo a ver se você está próximo ao Pólo Norte. Todas aquelas imagens que povoam nosso imaginário, as casinhas, o gelo, o boneco de gelo, tudo tem a ver com a realidade de alguém que vive num lugar onde o Natal acontece no inverno e no qual inverno significa frio e neve. 

Eu fico tentando imaginar como é para alguém que cresce por aqui pensar essas histórias todas, porque elas devem soar como algo mais natural do que soa pra gente. Acho que a tentativa de capturarmos esse imaginário do Natal e Papai Noel é parecido com um carnaval de rua que vi aqui, no Festival de Malmö. Dá até para curtir, mas é tão deslocado do contexto que pode soar sem valor e sem naturalidade. 

O Natal na Europa é momento de quietude e família. Não tem a nossa festa toda, com dança e música alta. Eles comem juntos, cantam hinos em família, distribuem presentes um para o outro e vão dormir. O nosso é mais animado, com certeza, e acho que como temos forte tradição católica, vê-se mais a imagem do Menino Jesus, o que aqui eu quase não vi. Entretanto, a atmosfera que senti ano passado, quando passamos essa época aqui, é muito preciosa também. E é acolhedora de uma forma que a gente não consegue fazer, porque nossa realidade é outra.

Bom, ainda faltam alguns dias, mas é minha última chance de dizer Feliz Natal, ainda no clima da Suécia. God Jul! 

Feliz Natal, em português, eu só vou dizer mesmo daqui umas semanas para vocês.

2 comentários:

Neuma disse...

Apesar da saudade, q sinto dos meus familiares, aumentar muito nessa época eu consigo curtir toda essa festan§a natalina na terra do gelo =).
God Jul! Feliz Natal!
Trevlig resa! Boa viagem!
Abra§os

Somnia Carvalho disse...

Neuma, voce disse tudo: apesar de...

ano passado eu fiquei aqui e foi muito legal mesmo!
onde voce mora? vou entrar no seu pedaco e te escrevo!