13 maio 2011

Prefácio Esperançosíssimo


(Lhasa de Sela, Rising)


"Havia uma tristeza que eu não sabia ao certo de onde vinha.
Um medo latejando bem no centro do peito
Que ardia.
Havia um nó de marinheiro na garganta
Gasta, de tanto gritar.
As mãos trêmulas e pernas que não obedeciam.
Estáticas.
Presas ao solo que se desfazia.
Havia granizo, vento, vidros, lascas, pulsos, corações, fragmentos
Explodiam.
Numa fração de segundo me dei conta, tentando me apoiar no vazio.
Era o mundo. O meu.
Que ruía."

Trecho de "Ele não sabia dançar", Ed Cruz.


"Ed Cruz tem uma chaga aberta. Seu coração pulsa e pulsa num peito aberto. A vida quase não lhe cabe. Tudo é intenso demais, porque viver não é simples. Nas páginas de "Ele não sabia dançar" temos o encontro com seu Eu mais verdadeiro. Talvez um pouco fantástico, mas Ed Cruz só sabe ser com intensidade. Chega a São Paulo fugindo da quase mutilação que uma vida no interior paulista poderia lhe proporcionar, mas é para lá que o Ed sempre volta. A vida corre, o tempo passa, algumas cicatrizes se curam, outra arderão a vida toda. E o mais difícil é quando não se sabe apenas entrar no ritmo da música... "

Prefácio imaginário, esperançosíssimo, de Sônia Maria de Carvalho ao livro ainda não publicado de Ed Cruz, Ele não sabia dançar.

...

Há uns 3 meses um querido amigo me enviou um livro, de umas 200 páginas, escrito por ele em umas duas semanas. Devorei cada página de sua louca, sofrida e corajosa quase-biografia, corri com a leitura para chegar até o final e liguei para ele aos prantos dizendo: "você precisa publicar!". E é isso... Hoje ele me mandou a música do vídeo acima e fui pegar o livro guardado em meu armário. Creio que fui a única pessoa a lê-lo todo. Ed tem feito segredo e, embora todos os amigos estejam loucos para ver o livro publicado e comprá-lo, meu amigo não acredita no poder de suas palavras.

E aí, ao som dessa fantástica Lhasa de Sela, num vídeo enviado a mim pelo Ed agora pouco, eu viajei num prefácio cheio de esperança, porque mais difícil que uma Editora querer publicar o Ed é ele acreditar em si mesmo. Como quase todo profundo escritor, ele também é um pouco louco.

...


Rising up

I got caught in a storm
And carried away
I got turned, turned around

I got caught in a storm
That's what happened to me
So I didn't call
And you didn't see me for a while

I was rising up
Hitting the ground
And breaking and breaking

I was caught in a storm
Things were flying around
And doors were slamming
And windows were breaking
And I couldn't hear what you were saying
I couldn't hear what you were saying
I couldn't hear what you were saying

I was rising up
Hitting the ground
And breaking and breaking

Rising up
Rising up

Lhasa de Sela

7 comentários:

dremoreira disse...

Hoje você me fez chorar.
E sem dúvida esse será o prefácio!

dremoreira disse...

sou eu, ed. na conta do amigo que mora comigo, o andré. rs

Somnia Carvalho disse...

rs..... você Edíssimo... você...

Dri disse...

Uau! Q prefácio! Me emocionei...não vejo a hora de ler o livro!

Beth/Lilás disse...

Diz pro seu amigo Ed que ele tem talento e estamos aqui na torcida por ele. O Brasil precisa de bons autores, gente que escreva com sentimento e respeito à nossa querida língua portuguesa.
Eu acho que ele tem muito talento.
beijinhos cariocas

Lúcia Soares disse...

Sucesso pro seu amigo.
Se ele escreveu, tem como publicar, faça-o rapidinho!
É preciso acreditar em nós mesmos e ainda mais com o seu aval, ele irá longe!
Depois mostra o livro, dá o endereço de compra e vamos lá, divulgar em nossos blogs!
beijos!

Somnia Carvalho disse...

entao! vamos comecar por aqui: alguem ai trabalha em editora e pode dar umas dicas pra gente empurrar nosso amigo Ed para a publicacao???