23 maio 2013

"I'm in love and always will be..."


("White flag", Dido)

Não resisti a compartilhar "White flag" hoje.

O céu está cinza cinza, um clima de estudo e quietude delicioso (apesar da falta de chuva e secura do ar, eu sei!).  Tenho um longo dia de trabalho pela frente, mas como hoje posso fazer isso daqui de casa já comecei bem com a voz suave e o inglês delicioso da britânica Dido!

Ontem, voltando do trabalho de carona com  meu amigo Luís e ouvindo "Good time for a change" ("The Smiths"), eu me lembrei de alguns anos atrás, quando eu e Renato éramos namorados e eu vivíamos ouvindo isto no carro, ele cantando e eu com a cabeça tombada no ombro dele... Me veio uma sensação incrivelmente boa de sentir o quanto ainda sou apaixonada por ele (sorte minha ele ainda parecer sentir o mesmo por mim! rs). E olhe que esta cena tem quase 10 anos!

De quebra, agora de manhã, o refrão dessa deliciosa baladinha de "White flag' não sai da minha cabeça!

E  vou continuar aqui cantando. Abre o vídeo e canta aí comigo!

"I will go down with this ship (Eu irei naufragar com esse navio)
And I won't put my hands up and surrender (E não vou levantar minhas mãos e me render)
There will be no white flag above my door (Não haverá bandeira branca acima da minha porta)
 I'm in love and always will be" (Eu estou apaixonada e sempre estarei)

 Beijos e uma quinta-feira gostosa para vocês!!!

Ah! Por falar em estar apaixonado, estou esperando seu texto para o concurso "Um casamento, mil lembranças", okey?


17 maio 2013

Concurso Prorrogado! "Um casamento, mil lembranças": agora só falta sua história!


("I say a say a litle prayer", em "O casamento do meu melhor amigo)

Queridas e queridos,

Eu estava quase me atirando da ponte quando vi que nenhuma alma viva casada ou participante de quaisquer casamento na vida havia me enviado um texto para o terceiro concurso de textos do "Borboleta".

Passaram-se quase 4 semanas depois do anúncio e aí recebi dois textos lindérrimos, sobre o casamento da Luciene e do Marcelo, escrito pela querida Lichia Lu Brito, e o texto da Dri Cechetti (já vencedora no anterior, cuja pintura ganha aqui está pendurada na linda sala da casa nova dela e cujo texto será publicado na próxima semana) para começar. Aí, claro! Eu pulei de alegria, voltei da ponte e estou aqui dizendo que (perdoem-me! pela falta de noção com o tempo) nosso concurso foi prorrogado.

Você pode enviar seu texto até 10 de Julho. Até lá vai fuçando em caixas de fotografia, vai fuçando a memória, tirando de lá lembranças, sons, cheiros, piadas e jogue tudo isso no papel. Queremos ler seu texto, queremos partilhar com você suas memórias.

Vamos lá! Vale tudo! Só não vale ficar com preguiça, se enrolar na vida se quer participar ou ficar repetindo a si mesmo que não sabe escrever...

Afinal para que servem as memórias se não para serem lembradas e contadas?


15 maio 2013

Quer saber o que diz quem que já fez o Fórum Landmark?


Gente querida,

Estou organizando para amanhã, das 19:00 às 22:00h, uma das últimas Introduções ao Fórum Landmark, juntamente com um outro grupo.

Já até passou pela minha cabeça que vocês devem pensar que posso ter sido abduzida por ETs landmarkianos ou qualquer coisa do gênero, porque tenho falado muito deste curso que fiz em 2011 e no qual, agora, sou uma das pessoas a fazer com que ele continue acontecendo no Brasil. Entretanto, como criei no Fórum a possibilidade de seguir em frente com tudo que importa de fato para mim sem criar historinhas sobre o que os outros vão achar, resolvi insistir no convite do que para mim foi uma das conquistas mais valiosas que já fiz na vida.

Como já falei demais eu pedi a algumas pessoas graduadas se elas poderiam compartilhar os maiores ganhos que tiveram com o Fórum, quais os principais saltos que sentem ter ocorrido após os 3 dias de curso e o que continuam ganhando.

O Fórum Landmark, nas minhas palavras e experiência é um curso de autoconhecimento, auto-expressão e autodesempenho em quaisquer área desejada e ocorrerá dias 21, 22, 23 de Junho, isto é, sexta, sábado e domingo, durante o dia e dia 25 a noite!

Amanhã coloco o convite para o Fórum!

Você e qualquer pessoa que deseje convidar serão muito bem vindos na Introdução, que é gratuita, Amanhã (Rua Camilo, 556 - mas precisa confirmar presença pelo email somnia.carvalho@gmail.com) bem como no Fórum.

Não é preciso fazer a Introdução para participar do Fórum, mas se quiser saber mais do que se trata é uma excelente chance!

Eis aqui alguns depoimentos!

"Saquei no Fórum que "eu sou a unica responsável pelo que conquistei ou nao até hoje em minha vida". Isso tirou de mim o sentimento de que eu era uma vitima no meu trabalho. Voltei do Forum vivendo o oposto do que a vozinha dizia...A partir disso meu comportamento mudou da agua para o vinho... Fiquei em paz... Tambem saquei que "a vida é agora". Isso abriu para mim a possibilidade de ser irrazoável quando se trata de curtir minha familia e meus amigos."

Adriana da Matta,
Enfermeira
São Paulo, Brasil.

"... eu sentia responsável por ter que "salvar" o casamento dos meus pais e cuidar para que tudo estivesse bem com todos aqui em casa... me libertei desse peso e de todo o sofrimento... Tive uma sensação de paz e liberdade tão grande, que só então enxerguei o tamanho da história que havia criado e o quanto me impediu de viver uma vida mais leve e tranquila... Depois do Fórum eu deixei pra trás o papel de "mãe" para ser só a filha."

Júlia Cabral,
São Paulo, Brasil.

"Uma das maiores sacadas que eu tirei do Fórum Landmark foi o poder de comunicar-se, de compartilhar-se!
 Antes eu guardava tudo o que acontecia comigo, coisas boas e principalmente as coisas ruins. Eu tinha dificuldade de me expressar, de explicar as coisas... o resultado que obtive do Fórum foi me conhecer! Saber minhas vontades, saber como eu sou, minhas características, personalidade.. E foi simplesmente maravilhoso!!!! Uma liberdade tremenda, uma leveza, paz e felicidade escancarada na minha cara!!..."
Renata Resende Meireles
Arquiteta
Goiânia, Brasil.
"A grande sacada que eu tive na minha vida é aprender a segurar nas mãos os meus problemas e faltas e ir atrás de completá-los, em vez de ficar na impotência, ou culpando os outros, a vida, o sistema, Deus... Outra grande sacada é que EU não sou o que acho que sou. Sou muito mais. E posso ser mais ainda. Sou uma sinfonia inacabada. Aprendi que ser feliz e ir atrás dos sonhos é para quem tem coragem e fibra. O Landmark me fez e faz ter coragem.
E também aprendi que muitas vezes acredito muito nas histórias da minha vida e com isso me limito ir em busca do novo..."

Adriana Jazra
Psicóloga e Terapeuta Corporal
São Paulo, Brasil

"Para mim foi uma das melhores experiencia em toda minha vida. Eu era medrosa, insegura, desconfiada, aborrecida e me sentia mal amada. Hoje sou corajosa, super segura em tudo que faco, confio nas pessoas e em mim mesma, falo o que eu sinto sem medo para qualquer pessoa e em qualquer situacao, faco tudo que tenho vontade de fazer com liberdade e seguranca, ja realizei muita coisa que jamais imaginei que eu fosse capaz de realizar em toda minha vida... uma experiência extraordinária".

Maria Armendani,
Empresária,
Canadá

14 maio 2013

Um casamento, mil lembranças: Luciene e Marcelo


(Luciene e Marcelo em seu casamento, Aldeia da Serra, SP, 2009)

O primeiro texto para nosso concurso "Um casamento, mil lembranças" é da querida Luciene Brito, minha amiga virtual há vários anos e real há pouco mais de um, também autora do Licha Doce

A Lu é uma moça encantadora. "Môça" com a boca cheia, igual fala a minha menina Marina. Acho que poucas pessoas que já conheci na vida são tão delicadas, agradáveis e cuidadosas com os outros como a Lu. 

Foi um prazer enorme ver o texto dela na minha caixa de email. Texto, aliás que me fez quase roer unhas e suspirar ao contar a história dos preparativos e das lembranças que tem do grande dia em que se uniu ao seu adorado companheiro de jornada.

Apreciem!!! E inspirem-se para enviar suas histórias!

Lu, obrigada!!!

...

("Enfim casados!", Luciene e Marcelo, Aldeia da Serra, SP, 2009)

"Era uma linda manhã de sábado, indecisa entre o sol tímido e o ar gelado. Ela senta na varanda e tenta aparentar calma e tranqüilidade.

Muitos preparativos, entra e sai na cozinha,  gente aglomerada na varanda, separa as flores, as fitas, as velas...era o ultimo passo de um ritual.

Um ritual de amor que para muitos poderia não fazer o menor sentido. Para que casar se já moravam juntos a tanto tempo?

O perfume das flores encanta, toca, dá vontade de chorar. Ou seria vontade de gritar, de cantar a enorme alegria que brota do peito naquele momento?

O  coração rufava tambores, o pensamento não conseguia acompanhar o vai e vem das perguntas: que horas vai se arrumar? Onde estão as taças, já separou os perfume? Quem vai levar as alianças? Não, ele ficava em um vai e vem, sentindo, apreciando aqueles momentos que, hoje sabe, são únicos. Um misto de fantasia e loucura, sonho prestes a realizar, concretização, uma felicidade difícil de descrever.

O vestido estava escondido no quarto, e mesmo não sendo supersticiosa, não deixou que ‘o noivo’ chegasse nem perto. Aliás, somente uma das madrinhas viu o vestido com antecedência. Caprichos da noiva...

Aos poucos, as pequenas coisas iam se ajeitando, se ajustando. O buquê chegou. Era de um rosa intenso, rosa como seu sonho, seu desejo. Seu lado menina que ainda comandava a mulher que estava a caminho.

Sapatos de boneca, vestido tomara que caia. Ah o frio? Ela não sentia.

Meu Deus, está chegando a hora. Recomendavam-lhe descanso, deram-lhe um chá de camomila, para aquelas horas de ‘estresse do bem’. Deitou-se e fez um esforço tremendo para cochilar. Mas acompanhava o burburinho na cozinha e correu pra lá. Pra quê dormir? A emoção era grande demais para conseguir esta façanha no meio da tarde do dia do seu casamento.

Já havia confessado pela manhã com o padre. Já havia checado todos os itens da roupa dos padrinhos, a sua própria roupa, da roupa do noivo.
E o noivo? Ah, este estava nem aí para nada. Poucas horas antes do casamento e não tinha sequer cortado o cabelo. Ela a invejava naquele momento, e sentia raiva dele por estar assim tão tranqüilo. Como pode, perguntava-se.

Fez uma alimentação leve, tomou um banho e foi para o salão para seu momento ‘noiva’.  Pouco tempo depois chegaria seu amigo e fotógrafo, responsável por registrar os momentos mais importantes desta data.
Neste dia, receber e sentir o carinho das pessoas foi algo que fez a diferença, sensação e sentimentos que ficaram impressos na alma.

Enquanto a equipe do salão se esmeravam em deixá-la toda linda, tranqüila, entretida no que estava sendo feito naquele momento, ela adiantava o futuro, imaginando a entrada na igreja. Como seria? Já esteve em muitos casamentos, mas ser a protagonista de um é muito diferente.

O momento chegou...dois grandes amigos a levaram até a porta da igreja. Lá dentro já estavam padrinhos, pais, amigos...poucos, mas essenciais.

Noiva ansiosa atrasa só 10 minutos. E quando vão avisar que a noiva já chegou, tocam a marcha nupcial por engano...A noiva quase enfarta, já que estava a alguns metros da entrada. Fecham a porta novamente e aí sim, é chegada a grande hora.

E entra a noiva tremula, com receio de estar dando passos ora curtos demais, ora largos demais...Alivio chegar até o altar. Delicia perceber a presença de tanta gente querida que estava lá para compartilhar da  felicidade dos noivos. A dama veio calmamente, quase angelical, trazer as alianças.

O noivo estava muito elegante, e perdera aquele ar despreocupado do fim da tarde. Ele que nunca havia vestido um terno e detestava ser o centro das atenções, estava bastante tenso.

Foi uma cerimônia simples, linda, e o padre estava particularmente inspirado aquele dia, suas palavras emocionou a todos.
Na saída da igreja, um nevoeiro comum nos dias de muito frio tomava conta da paisagem...e logo foi substituído por uma chuva torrencial.

Chuva em dia de casamento é sinal de prosperidade, de bons frutos. E era essa sementinha de vida, de história, de amor para a vida inteira que acabara de ser regada."


12 maio 2013

"Ser mãe", por Melina Aguiar



(Eu com 9 meses de gravidez da Marina e Ângelo, a pedidos da Mel, apesar da foto estar meio borrada)

Minha amiga Mel, também conhecida como Melina Aguiar, é fisioterapeuta, especializada em Obstetrícia. Tem formação primeira em Esporte e depois de muitos anos decidiu dedicar-se completamente a um trabalho que adora fazer: criar uma empresa própria, a "Preparo de Parto", cujo objetivo é acompanhar mulheres grávidas apoiando-as em quaisquer problemas ou ajuda que precisem durante este período. A Mel é como uma personal para grávidas, mas entendida em tudo que a grávida precisa para passar bem este período.

A Mel acompanha muitas mães em um dos momentos mais mágicos de sua vida, desde a transformação do corpo e mente para abrigar a nova criatura no ventre até que esta venha ao mundo mudando de vez a realidade de quem a abrigou.

Eu convidei a Mel para escrever para o dia de hoje e ela nos fez este belíssimo texto! 

É para vocês!!! Com muito amor!!!

Feliz Dia das Mães! Obrigada Mel! Me senti totalmente retratada no seu texto e vi minha mãe e todas as mulheres que conheço aí!

...


"Ainda não sou mãe, mas trabalho com mulheres que estão no caminho para se tornarem. Acompanho toda sua transformação, os enjôos, as alterações posturais, a mudança em seu corpo, a dor nas costas, o inchaço, a felicidade, preocupação e expectativa.
Ainda não sou mãe, e também trabalho com as mulheres que acabaram de virar mãe, na maternidade. Momento único da vida delas, onde transbordam de felicidade, preocupação e expectativa.
Muitas delas enfrentaram as horas do trabalho de parto, as contrações dolorosas, o nervosismo de dar a luz a seu bem mais precioso. Outras cedem seu corpo para realizar um procedimento cirúrgico, a cesárea, para terem consigo seu bem mais precioso. E assim nasce o amor eterno de mãe.
Aqueles 3 dias de internação na maternidade já começam a mostrar para mulher que sua vida mudou. Nada mais importa para elas. A dor do corte da cesárea, a dificuldade inicial de amamentar. Elas só têm olhos para os bebês e já enfrentam o sofrimento e a sensação de impotência ao ver o filho ser furado para fazer um exame de sangue, chorar, e não poder fazer nada.
Ainda não sou mãe, e vejo todas as minhas amigas que já são, cedendo seu tempo, abdicando sua vida para cuidar dos filhos. Elas continuam com as mesmas tarefas, o trabalho, a casa, o marido. Mesmo assim, encontram força e disposição para acordarem todas as noites que forem necessárias, e sempre tem um olhar de carinho e ternura pelo filho.
Como vocês conseguem?
Como conseguem enfrentar o não dos filhos?
A falta de reconhecimento apesar de tanta dedicação?
Como podem seguir em frente fazendo tudo que é necessário, sem pedir nada em troca?

Vendo tudo isso, vejo que ser mãe é acima de tudo se doar completamente para outro e amar.
Feliz Dia das Mães!!
           Um beijo especial para todas as mães, em especial a minha.

Facebook: Preparo de Parto 

10 maio 2013

Quer saber o que você fez com a Dora?

("As costureiras", Edouard Vuillard)

Gente bonita,

Estava devendo este post, mas agora creio que consegui receber os depósitos de todas as pessoas que me pediram para esperar porque queriam ainda contribuir com o "A Dora, a Joana, um sonho em comum e você". Joana, no caso, é a Marinalva.

Depois do post em que eu dei o "resultado final" (R$2.663,09) da campanha ainda recebemos R$330,00 a mais o que ajudou a somar uma quantia total arrecadada de

R$2.993,09

Com este dinheiro vocês já pagaram uma máquina industrial para a Marinalva, agora mais ainda conhecida na escola toda, porque não pára de contar sua mais nova realização e convidar as pessoas a lhe darem ajustes e costuras a fazer. A Mari está ganhando algum dinheiro com a máquina já, está buscando outras formas de obter costuras de uma empresa para trabalhar em horas extras em casa e está muito, muito feliz. Ela me diz isso todas as vezes que nos encontramos.

A Dora me trouxe alguns planos que começou a fazer depois de nossa conversa reveladora da campanha. Ela pesquisou sobre cursos, sobre aquilo que havia me falado e chegou a uma conclusão muito clara: ela não sabe absolutamente nada de internet. Nunca aprendeu. Não tem computador, não sabe ler emails, não tem acesso a nada desse mundo virtual ao qual temos acesso diariamente.

A Dora voltou com vários sonhos, entre eles fazer um curso de computação básico e aí começar a se gabaritar para usar programas que lhe permitam fazer de forma mais eficaz as costuras de capas de sofá que faz.

Ela quer poder trocar ideia com suas clientes pela internet e não perder tantas horas em ônibus que vão de sua casa à casa delas apenas para tirar medidas ou dúvidas.

A Dora foi clara em me dizer que está sentindo um poder de voltar ao que sempre sonhou realizar: viver de sua costura!

O curso da Dora vai custar algo em torno de 200 reais por 3 meses, então como eu adorei a ideia dela poder usar a internet e programas de decoração de computador para fazer seu trabalho eu pensei em darmos a ela um laptop, um computador portátil. O dinheiro dado por vocês é suficiente.

Para isso eu pensei em pedir acessoria para meu marido que entende do assunto de qual deles seria mais funcional para a Dora.

Conversei com minhas amigas da campanha e elas gostaram da ideia. A Dora disse que não precisamos dar nada porque já demos esperança a ela. Ela pareceu aceitar a ideia de pagarmos o curso, mas quando sugeri o computador ela insistiu que não é preciso. Bom, isso está fora de cogitação! rs... Expliquei a ela que vocês doaram algo para ajudar a realizar o sonho dela, então, ela não está pedindo, vocês deram e pronto!

As poucas vezes que a Dora usou um computador foi emprestando de alguém, mas ela disse não conseguir entender como se usa e agora pensa em aprender. Ela está muito animada!

Gente boa, gente querida minha e que me apoiou nesta ideia, se alguém tiver algo contra essa decisão é só dizer. Vocês todos podem sugerir algo também, já que estou mudando a ideia divulgada que era o de proporcionar à Dora um curso de desenho.

Segundo ela, o curso de desenho era um sonho sim, mas não será tão eficaz quanto o de computação. Ela precisa primeiro de um curso de computação. Poderá até fazer cursos grátis na web. Ela disse que consegue pagar a assinatura básica de internet na casa dela e pessoas vocês não vão acreditar que brilho no olho ela tinha dessa segunda vez.

Segura, alegre, firme no propósito de voltar a viver do que ama fazer.

Então, estão vendo o que vocês fizeram com a Dora?

Vocês deram a ela motivos para viver a vida de uma forma leve, poderosa, feliz e ativa.

E por isso minha gente eu tenho que lhes dar parabéns e obrigada!

Ah! Também quero aplaudir essas últimas pessoas:

Daniela Mendonça
Elisabeth Rocha Pagani
Fabiana Pegoraro
Lúcia Soares
Tatiane Vacaro

Ótimo fim de semana pra todo mundo!!!



07 maio 2013

Quer aprender dinamarquês e não sabe por onde começar?



Se você é leitora e leitor deste blog há mais tempo com certeza irá se lembrar do Tiago Marchezi, meu amigão, quem conheci em Malmö e viveu grandes momentos com a gente lá.

O Tiago e a família toda está de volta ao Brasil, mas antes de viver na Suécia onde a gente se conheceu ele viveu por mais de 16 anos na Dinamarca, ali mesmo onde eu cruzava a ponte e chegava a Copenhaguem.

De volta à terrinha o Tiago resolveu que não dá para enterrar tudo que sabe de dinamarquês e inglês com ele aqui apenas falando português diariamente. Eu sempre penso o mesmo do meu suequinho que continua firme e forte na minha cabeça e língua e eu mesma já falei aqui o quanto acho maravilhoso aprender outras línguas além das nossas!

É uma aproximação automática que se tem com o país, o povo, a cultura... algo fantástico que só com conhecimento da língua acontece!

Bom, mas eu não chego nem aos pés do Tiagão em línguas escandinavas e por isso resolvi divulgar os contatos do meu amigo para todos os interessados e interessadas! Afinal nunca se sabe em que águas a vida vai nos levar! Ou o amor!

Aí vai o contato dele!

Ah! que de quebra também ensina inglês, língua que, como o dinamarquês ele conhece e fala muito bem!







Aulas particulares de Conversação em Inglês ou
Dinamarquês

Aulas personalizadas com metodologia comunicativa, adaptadas às necessidades, objetivos, estilo /
ritmo de aprender e perfil do aluno. Atendo todas as regiões de São Paulo capital, em domicílio, skype ou
empresa e horário disponibilizado pelo aluno.
Experiência de 17 anos no exterior.


Ligue : (11) 9 8772-4050