Pular para o conteúdo principal

Além da barricada: o resultado da campanha "O sonho da Dora e da Joana"


(Original image from: Bobbinsewingschool) 

Will you join in our crusade?
Who will be strong and stand with me?
Beyond the barricade
Is there a world you long to see?
Then join in the fight
That will give you the right to be free!

(Você vai se unir a nossa cruzada?
Você será forte e ficará comigo?
Além da barricada
Há um mundo para se ver por muito tempo?
Então junte-se à luta
E você ganhará o direito de ser livre.)

Do you hear the people sing? , canção desfecho de "Os miseráveis".

Gente mais que querida,

Queria convidar vocês a lerem o post de hoje ouvindo a música "Do you hear the people sing?", cujo trecho coloquei aí acima... é arrepiante! rs...

Primeiro, peço desculpas por não ter publicado o post sobre o resultado da nossa campanha "O sonho da Dora e da Joana", ate as 18 horas de ontem, como prometido. Tive algumas complicações técnicas com isso. E, segundo, quero dizer que está difícil encontrar palavras para expressar minha gratidão, minha alegria interior com o que vocês causaram este fim de semana e ontem. 


É sério! Foi demais! Emocionante! Tocante! Comovente! Vocês foram extraordinárias e extraordinários! Obrigada, do fundo do coração!



Acordei hoje e mais uma mensagem no meu Facebook, desta vez de uma amiga que não vejo há pelo menos uns 18 anos! Vejam isso! Comovida com a história, cheia de identificação, mas sem condição de contribuir ela mesma, movimentou algumas pessoas e conseguiu R$230 para Dora e Joana.

Isso não é extraordinário? Não é sair da caixa, quer dizer, sair daquilo que nos prende e nos segura e nos diz o tempo todo "não tem jeito", "não consigo", "é trabalhoso" , "não tenho dinheiro" para algo que vai além de qualquer lamentação ou desculpa?

A primeira doação foi da Renata Viana, amiga de muitos anos, e depois dela eu sabia que as coisas iriam sair muito bem. Assim foi!!! E está sendo ainda...

Colaboraram com esta Campanha até ontem (dentro do que consegui reconhecer de depósitos feitos) gente de São Paulo, Goiânia, São José dos Campos, Bragança Paulista, Campinas e Jundiaí, do Brasil, e Malmö, da Suëcia. 

Tivemos 27 pessoas que doaram dinheiro e fizeram o depósito ou entregaram o dinheiro pessoalmente. Além desses, 6 promessas de depósito que ainda não foram efetuadas. Dessas 26 que de fato fizeram a doação arrecadamos exatos R$1.500,00. Dá para acreditar? Sim, hum mil e quinhentos reais em três dias! Do nada! Apenas de um post num blog e algumas mensagens entre amigos no facebook. 


Dos depósitos feitos eu não consegui identificar três deles (2 números de agências e uma empresa Cia. das Luzes). Se quiser se identificar é só me enviar um email (somnia.carvalho@gmail.com).


Ao contrário do que nós dizemos para nós mesmos sobre ninguém se importar mais com ninguém, ao contrário de pensarmos que para mover alguma causa importante nós precisamos ter dinheiro nós mesmos, ao contrário de achar que nada dá certo porque ninguém colabora, o resultado extraordinário está aqui!



Nosso propósito era de comprar uma máquina de costura (de preferência de overloque  a que mais se adequar às necessidades delas e for mais eficiente) para a Joana e pagar um curso de desenho para costura para a Dora. A quantia já é suficiente para comprar uma boa máquina, talvez não a de overloque ainda. 

Ontem algumas pessoas ainda disseram querer muito colaborar, mas não ter tido tempo para fazê-lo. A Tatiane, a Adriana e a Melina me pediram até sexta-feira para conseguirem falar com mais de seus amigos. Não era minha ideia inicial, mas dado que falta tão pouco para conseguirmos pagar as duas coisas ótimas para as duas então abri mão da data e estou estendendo até sexta-feira, dia 12 de abril, `as 23:59. Sem mais, okey? 

Gente, muito, mas muito obrigada por serem o remo que eu precisava nesta jornada! Muito obrigada por serem solidárias, generosas, boas e por aproveitarem a oportunidade para sê-lo! Obrigada por me fazer sentir tanta liberdade e tanto poder estes dias! Liberdade com relação à ideia de que eu preciso ter dinheiro para mover o mundo e poder para sentir que quase qualquer coisa a que eu me propor fazer, desde que eu inspire as pessoas e as envolva, eu posso!

Um enorme beijo e peço, por favor, que vocês aplaudam as pessoas abaixo:

Renata Igarasi Viana
Leandro Leite
Daniela dos Santos Silva
Alexandra Brasil
Elizabeth Aparecida de Souza
Susette Aparecida de Souza
José Caetano Pinto
Irene Cechetti Pinto
Maria Yamamoto Baldin
Françoise Cássia Ernesto
Liane Muniz
Magnus Corrêa Russo
Cia das Luzes Produções Artísticas
Daniela Bargagli
Roseli Moret
Daniel Prestes Sanches
Gláucia Gotardo
Maria Júlia Alvarez
Amiga de Elisângela Almeida 
Melina Aguiar
Amiga de Melina Aguiar
Daniel Sanches
Eliane Kubota
Edith Borges
Flávia Ducatti
Gustavo Marangoni e
Jéssica Rivera

Grande Beijo, 
Sábado de manhã eu dou o resultado final! E segunda entrego o prêmio para Dora e Joana quem não fazem ideia do que anda rolando por aqui! Acho que será muuuito emocionante!

(ps: se você fez a colaboração e seu nome não apareceu na lista me avise que edito a lista)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que