02 junho 2008

"Soy loco por ti America!"

(Um dos muitos especiais, carinhosos e queridos amigos: Pinta e Ênio, com o lindao do Pedro)


Fim de semana passado estivemos na casa de um casal sueco com quem fiz amizade aqui e foi muito bom. Mas louca a sensacao de ter ainda mais saudade de quem está aí. Saudade das minhas amigas mui malucas, das mais certinhas, das que tiveram filhos e estao com a vida atribulada. Da família toda.

E, embora seja realmente muito legal que esses suecos tenham aberto suas portas para a gente, coisa que eles demoram a fazer, fico sempre com saudade de amizades antigas. Amizade antiga é que nem namoro antigo, a gente nao precisa se preocupar muito e vai direto aos beijinhos.
Estar longe da América faz a gente desejar ardentemente seu calor, sua cor e seu jeito único de nos acolher.

Soy loco por ti, América

"Soy loco por ti, América
Yo voy traer una mujer playera
Que su nombre sea Marti
Que su nombre sea Marti
Soy loco por ti de amores
Tenga como colores la espuma blanca de Latinoamérica
Y el cielo como bandera
Y el cielo como bandera
Soy loco por ti, América
Soy loco por ti de amores
Sorriso de quase nuvem
Os rios, canções, o medo
O corpo cheio de estrelas
O corpo cheio de estrelas
Como se chama a amante
Desse país sem nome, esse tango, esse rancho,
esse povo, dizei-me, arde
O fogo de conhecê-la
O fogo de conhecê-la
Soy loco por ti, América
Soy loco por ti de amores
El nombre del hombre muerto"
Ya no se puede decirlo, quién sabe?
Antes que o dia arrebente
Antes que o dia arrebente
El nombre del hombre muerto
Antes que a definitiva noite se espalhe em Latinoamérica
El nombre del hombre es pueblo
El nombre del hombre es pueblo
Soy loco por ti, América
Soy loco por ti de amores
Espero a manhã que cante
El nombre del hombre muerto
Não sejam palavras tristes
Soy loco por ti de amores
Um poema ainda existe
Com palmeiras, com trincheiras, canções de guerra,
quem sabe canções do mar
Ai, hasta te comover
Ai, hasta te comover
Soy loco por ti, América
Soy loco por ti de amores
Estou aqui de passagem
Sei que adiante um dia vou morrer
De susto, de bala ou vício
De susto, de bala ou vício
Num precipício de luzes
Entre saudades, soluços, eu vou morrer de bruços
nos braços, nos olhos
Nos braços de uma mulher
Nos braços de uma mulher
Mais apaixonado ainda
Dentro dos braços da camponesa, guerrilheira,
manequim, ai de mim
Nos braços de quem me queira
Nos braços de quem me queira
Soy loco por ti, América
Soy loco por ti de amores

Nenhum comentário: