Pular para o conteúdo principal

Nunca mais me perguntem quantos anos estou fazendo... combinado?

(Eu, numa imagem que me descreve como a imagem que tenho de mim mesma, despedida do Brasil para Suécia, janeiro de 2007)

Hoje estou completando um quatro e um zero e não gostei nada da sensação que comecei a ter esses dias e no início da manhã de hoje...

Por anos e anos eu nunca me preocupei com idade. Eu sempre fui a mocinha, a jovenzinha, a Soninha, Somnia quem seria jovem eternamente.

E mesmo quando alguém vinha com crises de velhice eu achava um exagero.

Quando meu pai faleceu aos 70 anos eu chorei porque tinha certeza que ele tinha ido jovem demais. O mesmo, porém, não sinto comigo. Você, ele e ela ali sempre foram velhos ou eu sabia que ficariam velhos. As vezes eu me choco ao ver como amigas e amigos queridos de longa data estão envelhecendo, mas elas e vocês sempre estavam, na minha mente esquisita, autorizados a envelhecer, mas não eu...

Essa é uma crise que estou tendo...

Esse é meu primeiro aniversário, em anos, que não faço festa.

Tem a ver com a tal crise, com a crise no mundo e eu não conseguir ficar feliz de verdade... Tem a ver com o cansaço de tantas mudanças, e noites mal dormidas etc.

É uma crise passageira... Sempre é assim em meus aniversários... Elas duram um dia e aí passam... mas por enquanto queria combinar o seguinte: eu terei para todo o sempre apenas 39. Nem gosto muito desse número, mas por ora combinemos que ninguém mais me pergunta quantos anos estou fazendo...

Você também não tem uma imagem sua, uma idade que escolheria para congelar? Uma que representasse bem você, ainda que nem tão bonita e tal, mas uma que alguém sempre pensasse nela quando pensasse em você...

Eu não quero ter a cara de uma velhinha daqui muitos anos, apesar de querer viver muito muito mais! E não gosto de não me reconhecer mais no espelho de vez em quando...

Por ora me parece ser mais fácil envelhecer na Suécia onde todo mundo se deixa enrugar naturalmente, sem plásticas exageradas, botóx, academias só para manter a forma...

Envelhecer no Brasil, refletia eu sozinha ontem, é ainda mais difícil...

O dia ainda não acabou e meio que fui mudando de idéia... Decidi celebrar com Renaton porque os tantos recados lindos deixados por amigos daqui e de outros feitos pelo mundo - real e virtual - em português e em tantas várias línguas me deixaram emocionada...

Também é bom frisar que minha crise com idade não tem a ver com minhas realizações. Eu sei exatamente o valor de tudo o que tenho... Minha grande e minha pequena família. Meus amores, minhas conquistas intelectuais e sociais este anos. Não tem a ver lé com cré. A crise é puramente narcisística!

Chorei com alguns ao telefone e outros nem mesmo a criançada me deixou atender.

Tenho tanto para agradecer e agradeço...

Só queria mesmo congelar meu rosto, meu corpo no presente porque essa parte da história eu ainda não aprendi a aceitar...

Uns muitos beijos para vocês todas e todos!


Comentários

Soninha, não passei nunca por crise de idade, acredita? Acho que cada idade tem sua beleza, seu aprendizado. Não tenho saudade de mim jovenzinha pq eu era tola, infantil, mimada. Hj sou muito melhor, mas fui melhorando com o tempo. O tempo, minha amiga, é cruel, mas sabe ser amigo. Ele tira, mas tb dá. Resta saber aprender com ele. Meu livro fala disso tudo, vc vai gostar. Sai mês que vem, vou te avisar. Enquanto isso, curta cada minuto dos seus 4.0, pois cada idade é linda se sabemos olhar. Seja feliz queridoca!
Magazine da Dê disse…
Olá, estou passando para conhecer seu espaço. Vim lá da Glorinha, que também adoro visitar...Olha ela aí em cima. Também nunca tive esta crise, e já estou nos 43. Tenho uma amiga que diz que depois que se passa dos quarenta se conta em meses...40 e 12 meses, 40 e 24 meses...rsrsrs Bem estou nos 40 e 36 meses kkkk Não trocaria minha idade por nenhuma atrás...Sou muito mais eu agora, e descobri uma beleza dentro de mimn que desconhecia - a maturidade. Adorei seu espaço, estarei voltando...beijos.
Lúcia Soares disse…
Sônia, a Glorinha falou bem.
Digo, ainda, que você começa agora a mais linda fase da vida.
A mais plena.
Se eu pudesse voltar no tempo, queria ser eu aos 31 anos, quando tinha meus 3 filhos pequenos, juntinho de mim, eu mandando e desmandando, dando colo, pondo pra dormir, trocando fralda...
Então, olha bem, você está mesmo em seu melhor momento! rsrs
Não tive medo de envelhecr, hoje tenho quase a sua idade, porque a gente para mesmo no tempo, não perdemos (não devemos!) a alegria de viver, os hormônios estão presentes, a cintura pode engrossar (se deixarmos!) mas o cérebro aumenta as possibilidades.
Curta bem!
Afinal, "a vida começa aos quarenta!"
Beijos, beijos, abraços!
Françoise disse…
Olá, gosto muito desta sua foto, e ela retrata bem a mulher jovem e linda que é . Não importa a idade , o que vale mesmo é o que tem ai dentro e nos encanta.....
Desejo-lhe toda a felicidade do mundo, muita saúde e alegrias sempre!!!!!
Forte abraço,
Com carinho,
Fran
Beth/Lilás disse…
Beautiful Borboletinha,
Você está linda e formosa, pára de reclamar!
Já enviei os parabéns, mas reforço por aqui também, então, que todos os seus dias sejam brilhantes e cheios de boas novidades, pois são elas que não nos deixam envelhecer e quando enfim chegarmos lá no topo da árvore com ramos mais velhos, que sejam de sabedoria adquirida pela maturidade.
Veja sobre isso no post que escrevi lá no blog.
bjs cariocas
Mari disse…
Eu sempre amei fazer aniversário, mas confesso que este ano também entrei em crise. Fiquei meio abalada com esta história de fazer 40 anos. Mas já me acostumei e estou curtindo muito... na verdade eu me sinto muito mais jovem e acho o máximo quando vejo pessoas bem mais jovens e mais "caretas".
Minha sobrinha diz que sempre acha que tenho 27 anos, mesmo agora que ela está com 29. Então eu me congelei nesta idade também, rs. 27 com corpinho de 40...
Vc não precisa se preocupar com idade porque está super bem fisicamente e com sua jovialidade parece ser beeeeeem mais nova!!!
Anônimo disse…
Ahhh Sonildes...
crises...eu sei, entendo perfeitamente. as vezes acho que sou schizofrena por que sempre estou lutando com 2 ou ate 3 ideologias ao mesmo tempo, pensamentos que fazem a minha alma, corpo e intelecto ficarem em conflito. Por um lado esta a minha mente que 90% das vezes me diz que eu ainda sou aquela crianca/adolescente que chegou aqui neste pais frio cheia de vontade de viver e logo aparece a outra a razao com todas as normas e regras que tenho que seguir pois devo me comportar de acordo com a minha idade e mais inconcientemente devo(ou seja meu corpo) seguir as regras invisiveis que a midia manda.
Mas o minha crise culminou quando entendi que era mae... era qdo compreendi que nao havia mais um turn back, dessa crise ainda estou me recuperando se e que e possivel sair dela...bom quem sabe a palavra e "aceitar" e comformar... nao sei, so sei que e como uma mission impossible!!! e a luta continua uma luta que tambem e o charme da vida porque sem ela nada tem sentido. Entao e so chorar um pouquinho(alem doque limpa as vias lacrimogenas?or somehing like that hihi)ver todas as riquezas que temos, levantar limpar a poeira e continuar;)
Sonia continue sendo essa fonte radiante de energia que vc e, vc e como o sol da vida e alegria!!
bjs
/JR
Anônimo disse…
Ola Sonia,eu te entendo muito bem,pois estou passando por essa crise tb,eu me olho no espelho,e nao consigo acreditar como o tempo passa muito rapido,eu sinto que nao vivi quase nada ainda da vida,no entanto ja estou na metade dela,e o pior que essa historia que a idade traz maturidade para mim nao funciona,pois por dentro me sinto ainda como se tivesse 20 anos, em algumas atitudes que tenho as vezes,como uma garotinha mimada,mas o espelho nao perdoa,e nele posso ver as rugas,olheiras,o olhar que nao brilha mais como estrela cadente...e penso ,ok temos que envelhecer,mas pq a nossa aparencia precisa mudar tanto,a ponto de nao sabermos mais quem somos?poderiamos ter 90 anos,mas a aparencia congelar nos 40 kkkkkk,sonhos e delirios he,he.Eu ainda me vejo fazendo coisas de quando tinha 20 anos,se a vida tivesse uma trilha musical,a minha seria a musica Linda Juventude,do grupo 14 Bis,pois eu amava essa musica,e quando somos jovens temos a impressao que somos invenciveis,eternos e jovens para sempre,Forever Young.Eu gostei da sua ideia,acho que tb vou parar nos 40.Um beijo e logo essa crise vai passar,pois quando se tem filhos pequenos eles nos tornam mais jovens.Bjs
Silvia
Ivana disse…
Somnia, sei que ando sumida da blogosfera e por motivos outros até nem tenho escrito mais. Mas continuo sua fan e vindo aqui ler o que escreves, apesar de não comentar sempre. É um momento que estou passando e só posso deixar fluir.
Mas deixo o registrado o meu desejo de que estejas muito feliz, apesar destes questionamentos todos que surgem. Espero que Marinoca estejabem, que Angelo e Renato também!
Olhe, eu estou com 38 recém completados (dia 02, por isso sou pisciana como você!) e se eu pudesse me congelar com uma idade seria aos 26 anos! Neste período eu já tinha saído de Belém, me sentia próspera, linda, completa! Mas entendo perfeitamente o que estás sentindo porque é muito parecido com o que tenho sentido ultimamente e essa sensação de não reconhecer-se no espelho é esquisita demais! Como pode se eu ainda me sinto com 26?!!
Um beijo, felicidades!
Luciana disse…
Somnia, te entendo demais. E agradeco à vida todo dia por estar envelhecendo aqui na Noruega, pois no Brasil, como você disse, pesa muito mais.
Eu teria congelado aos 26 anos, tava bom demais, mas como não podemos congelar, vou me cuidando. Mas não é somente o físico, vem outras coisinhas também com o passar dos anos, mas a gente tira de letra, acho eu.

Vamos ser felizes que é o que importa, crise faz parte.

Beijo e muitas felicidades.

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que