25 abril 2013

Em que pé estão os sonhos da Dora e da Marinalva?

(Essa é a Dora, com seu caderninho de anotações de medida, semana passada em casa, São Paulo, abril de 2013)

Gente muito querida,

Segue aqui a nota fiscal da compra da máquina industrial da Marinalva quem, para quem não sabe, faz parte da nossa história de realizar o sonho de duas mulheres incríveis.

Ela mesma comprou, conseguiu desconto ainda e, juro!, ela chora toda vez que me encontra. Ela me disse entre lágrimas novamente: "vocês não sabem o que fizeram com a minha vida!".

A Mari disse que chega em casa e já nem quer mais trabalhar em nada, vai direto para a máquina. Ela já até ganhou R$17 reais consertando uma roupa para alguém. Ela só corre o risco de ficar sem marido agora! Brincadeirinha!

O pessoal do trabalho está passando pequenos consertos para ela, mas o maior intuito da Marinalva é pegar roupa de fábricas, uniformes. Se você é dono de algum lugar como este aqui em São Paulo ou conhece alguém que queira fazer um teste com a Marinalva é só me contactar.

Bom, quanto ao sonho da Dora agora!

Semana passada inventei uma desculpa e a chamei aqui. Ela veio a noite e começou a acertar uma capa para um sofá cama meu, enquanto eu ia introduzindo o assunto. A Dora não entendeu de imediato.

(Essa é a Dora, fazendo o que diz mais gostar de fazer na vida, semana passada em casa, São Paulo, abril de 2013)

Ela é bem esperta e também pareceu desconfiada. O que é isso? parecia pensar... Como assim? uma campanha? Ela foi trabalhando e quieta... e eu falando... falei do dinheiro, das possibilidades e de como pensei nela para isso...

Ela foi se iluminando. Entendendo e começou a me falar de sua vida, seus sonhos, sua experiência e como foi deixando tudo de lado.

A Dora cuidou de sua mãe (eu havia dito erroneamente que era o pai no post anterior) até ano passado, quando ela morreu. Cuidou da família até pouco tempo, já que é solteira e não teve filhos.

Ela trabalhou em uma fábrica por mais de 20 anos costurando e, quando saiu, tentou montar uma oficina com as irmãs, todas costureiras as quais, como ela, herdaram da mãe, quem era excelente costureira, o mesmo dom e gosto.

Não deu certo e ela precisou começar a trabalhar com faxinas para se sustentar e sustentar a mãe e a casa.

Nisso, a Dora deixou apenas as horas vagas para costurar. Segundo ela, quando está costurando ela se perde nas horas, esquece tudo e, de acordo com seus irmãos, a costura é o único vício que sempre teve e não consegue largar nunca.

Largar pra quê Dora?

Ao contrário do que eu sabia ela sabe costurar de tudo! Vestidos, roupas infantis, fantasias, cortinas, até vestido de noiva para as irmãs foi ela quem fez. A Dora é muito boa! E cobra muito, muito pouco pelo que faz. Nem sei se paga a passagem que ela gasta. Falei com ela sobre isso...

Bom, ela ficou de ver um curso, pesquisar o que iria usar ... Voltou esta semana e ela era outra. Juro!

Um brilho no olhar, cheia de planos e disse: "Você me despertou o desejo de sonhar de novo com o que sempre eu amei fazer!. Eu me vejo de novo vivendo de costura, eu vejo meu futuro e ele tem a ver com isso! Eu estou planejando, pesquisando..."

Na semana passada ela havia me dito com seu português corretíssimo: "A gente quando é pobre tem sonhos, mas sendo pobre não consegue realizá-los e não realizando esquece deles."

Ai ai... dá vontade de chorar com tanta clareza e verdade...

A Dora disse que nem se eu não der o dinheiro a ela, já está decidida: irá se matricular num curso de computação básica. Ela entendeu, em conversas, que primeiro precisa saber trabalhar num computador, trocar emails, fotos com as suas clientes, pesquisar capas de sofás e modelos. Ela disse: eu agradeço muito o que você me fez visualizar.

Segundo a Dora, ela pensou muito e fazer o curso de desenho como havia me dito não dará a ela o que deseja. Ela quer fazer as coisas andarem mais rapidamente. Quer tirar foto do sofá, quer ter as medidas enviadas pelo email etc. Pensou que pode fazer alguns cursos on line gratuitamente se souber operar oo computador. Eu concordei com ela. O curso de desenho pareceu brincadeira perto do que ela pode conseguir com computação e um computador.

No momento, ela de vez em quando empresta de uma irmã que mora em outro lugar...

Bom, tá doida Dora! Eu vou te dar o dinheiro! Eu tenho o dinheiro que o pessoal mandou pra você! rs...

Então, o curso de computação, gente, sai 60 reais por mês por 3 meses e é perto da casa dela. Isso sai R$180 reais. Temos dinheiro para comprar para a Dora um laptop básico. Isso se eu conseguir confirmar o depósito de uma pessoa com quem eu havia contado quando dei o resultado final. Ela havia prometido depositar R$600, mas como depósito voltou eu ainda não recebi.

A Tatiane, quem está cuidando disso e também está na nossa campanha, me disse que deve sair nos próximos dias.

Também recebi depósito de outras pessoas maravilhosas que viram a campanha depois ou simplesmente não tinham tido tempo de depositar. Preciso incluir numa conta final. Eu também darei o nome dessas pessoas no próximo post sobre este assunto. Vocês todos são demais!


(Nota Fiscal da Compra da máquina que vocês deram para a Marinalva)

Então, o que temos até então é a Dora e a Marinalva  com brilho no olhar. Elas vêem suas vidas e seu futuro de forma diferente. Elas estão sonhando de novo e eu só tenho um pesar: o de que vocês não podem partilhar disso ao vivo comigo!

Elas estão trabalhando no sonho que tiveram! E tudo isso vocês viram! A gente fez num piscar de olhos! 

O que mais está acessível para que a gente faça e transforme a realidade e o mundo que vivemos? A nossa realidade?

Bom, outro dia eu conto como tudo isso tem a ver com aquele curso do qual já falei aqui e de como foi fazendo o workshop avançado do Fórum Landmark ("Dinheiro: da preocupação a liberdade") que pensei nesta campanha para as duas.

O que ficou para mim de tudo isto é: os meus sonhos, os projetos que tenho e o desejo de transformar a vida de algumas pessoas e a minha não dependem do dinheiro, dependem sim de como eu crio estas coisas, de como eu me movo, de como me coloco nas situações.

Eu nunca havia feito nada parecido! Pedir dinheiro sempre foi algo muito estranho para mim. Eu pensava sempre: "se eu tivesse dinheiro eu daria a máquina para a Marinalva e realizava o sonho dela...", "se eu tivesse dinheiro eu ajudava a Dora", "eu criaria uma escola para jovens carentes", "eu teria um atelie com cursos de filosofia e arte", "eu ajudaria minha mãe"... etc etc etc.

Entendem?

Não foi o meu dinheiro que realizou o que estão vendo. Foi a vontade de vocês somada a minha. Foi isso gente! O dinheiro estava aí, acessível e vocês poderiam ter gasto numa roupa nova, num jantar ou pagando uma conta qualquer.

O que está acessível para você fazer hoje que mude sua realidade e transforme seus sonhos em realidade? E não vale jogar a responsabilidade no dinheiro que você não tem.

Ah! E para quem vive em Floripa ou próximo de lá teremos uma Introdução ao Fórum neste sábado, ainda dá tempo de confirmar presença. Informações aqui neste link.

Na próxima segunda-feira, dia 19, você também tem a oportunidade de conhecer tudo isso numa Introdução as 19:30 durante este workshop que citei aí acima. Tudo isso é gratuito e aberto a qualquer pessoa.

Já tem gente do Brasil todo e de fora do país inscrito e se programando para vir... Já tem leitores e leitoras deste blog inscritos. E você? Por que você tem tanto medo de acreditar que a única coisa que importa é como transformar seus sonhos e de outros em realidade?

Aguardo você!!!

Grande beijo!!!


22 abril 2013

Somnia hoje no "Chuva Ácida"





Hoje, o excelente blog "Chuva ácida" tem minha participação com o post "Na Suécia não tem... babá de branco, nem de preto, nem de rosa".

Este post foi publicado originariamente aqui no Borboleta em Junho de 2011 e foi editado para a publicação neste outro blog.

A Fernanda Pompermaier, colabora do blog, educadora brasileira que vive na Suécia me fez este convite há algum tempo e agora conseguimos concretizar o nosso desejo de partilhar ideias no "Chuva Ácida", um blog provocador e que tem leitores muito assíduos e ativos no sul do Brasil.

Com ela também estão outros colaboradores de peso no blog. São especialistas de diversas áreas e que tem em comum a reflexão sobre temas cruciais do Brasil, mas cujo foco é provocar o debate destes temas sobretudo na cidade de Joinville.

Estou muito agradecida à Fernanda pelo convite e ao "Chuva Ácida" pela oportunidade de falar por aquelas bandas. De fato um orgulho para mim!

Visitem o blog e vocês com certeza aprenderão bastante com eles!



por Somnia Carvalho


18 abril 2013

Mudar não é preciso, mas é preciso!

("Come home", Yael Naim) 

Hoje uma amiga de muitos anos, muito, mas muito querida, minha quase irmã, está alçando vôo para uma nova vida.

Carregando caixas no carro, embrulhando roupas, livros e objetos de uma vida antes só dela, despedindo-se de seu espaço para construir um novo com alguém tão fantástico quanto ela.

Ano passado assisti ao show da Yael Naim com esta pessoa querida de quem falo. Yael nos falou do novela que havia sido quando resolveu deixar sua terra natal e família israelense tradicional para ir viver seu sonho de ser cantora em Paris.

Dessa experiência e da saudade que ela sentia de tudo aquilo compôs a canção "Come home", pois todas as vezes que ligava para seus pais eles lhe pediam para que voltasse para casa.

Não é esta a situação de minha amiga, talvez não seja a sua, mas no sentido de que a gente sente que algo (o conhecido, a certeza etc) nos chama para o passado e ainda assim insistimos em prosseguir. Essa, para mim, é uma ideia que amo na letra.

À minha amiga e você quem também está se preparando para uma mudança eu só vou só confirmar aquilo que você já sabe: não há nada melhor do que mudar e começar do zero algo novo. Sem contar que na vida nova tudo que é antigo e desejável pode permanecer. Você retira apenas o que não quiser.

Incerteza, insegurança e frio na barriga aparecem agora, mas logo darão lugar a uma alegria e tranquilidade maravilhosa de que viver é exatamente poder sentir tudo isso, porque a vida sem essas mudanças seriam provavelmente entediantes e tão pouco autênticas.

Feliz Mudança!!! Feliz Nova Vida!!!

...



Come home

"I'm flying far away to be really free
Tried hard to build myself independently
It's hard to always do what you expect from me
Saying come home
Come home
I try to understand why it hurts you
To see the difference in our points of view
Don't blame me for a thing that i didn't do
Saying come home
Come home
It's insane
How feeling so much shame
Will only bring you pain
And I no longer know how to explain
See I'm happy as can be
And you're my family, my ground
And I'm just hoping one day i will find you
You're holding back the tears when you kiss me
Smile smile when I'm back again as you see me
When years are passing by and you miss me
You're saying come home
Come home
Such a shame
You're feeling so much blame
And yet I'm still the same
And I no longer know how to explain
See I'm grateful as can be
'cause you're my family, I'm bound
And I'm just hoping one day you will shine through
Let's try to look at each other
Find one another
Asking how can it be
Fighting and loosing each other
Thinking the other
Is not so much like me
Finding out all that we see
Is just not always what is real
That you come home
Come home
Just come home
Come home
My turn to understand what you lived through
Today I only feel how I miss you
So it's only fare, when it's hard to bare
And you ask if I, I try to come home
Come home"

...

Come Home

"Estou voando para longe, para ser realmente livre
Esforcei-me para construir de forma independente
É difícil fazer sempre o que você espera de mim
Dizendo voltar para casa
Venha para casa
Eu tento entender por que isso te machuca
Para ver a diferença em nossos pontos de vista
Não me culpe por uma coisa que eu não fiz
Dizendo voltar para casa
Venha para casa
É uma loucura
Como sentir tanta vergonha
Só vai trazer dor
E eu já não sei como explicar
Veja que eu sou feliz como pode ser
E você é minha família, minha terra
E eu estou apenas esperando um dia eu vou encontrá-lo
Você está segurando as lágrimas quando você me beija
Sorriso sorriso quando eu estou de volta como você me vê
Quando os anos estão passando e você sentir minha falta
Você está dizendo que se casa
Venha para casa
Uma vergonha
Você está se sentindo muito culpado
E ainda assim, eu ainda sou o mesmo
E eu já não sei como explicar
Veja, eu sou grato, como pode ser
Porque você é minha família, eu sou obrigado
E eu estou apenas esperando um dia você vai brilhar
Vamos tentar olhar um para o outro
Encontrar uma outra
Perguntando como pode ser
Lutando e perdendo uns dos outros
Pensar o outro
Não é tanto como eu
Descobrir tudo o que vemos
É apenas nem sempre o que é real
Que você vem para casa
Venha para casa
Voltar para casa
Venha para casa
Minha vez de entender o que você viveu
Hoje eu só sentir como eu sinto sua falta
Então é só tarifa, quando é difícil nua
E você perguntar se eu, eu tento voltar para casa
Venha para casa"

17 abril 2013

Você tem um casamento que não lhe sai da cabeça?



Sabe aquele casamento que nunca lhe saiu da cabeça?

Eu não sei se foi porque você chorou muito, porque a noiva escorregou no champagne, porque eram pessoas que você amava muito, porque foi aquela sua irmã que logo após se casar foi morar longe de você ou porque era você ali na beira do altar ou na areia da praia, caminhando em direção ou esperando pela pessoa da sua vida lhe dar o "sim"...

Eu sei que este casamento está sempre nas suas conversas ou na suas lembranças... E você gosta de lembrar dele ou você evita, mas não consegue...

Então como eu sei que essa história está aí engavetada na sua cabecinha linda e fofa eu te desafio carinhosamente a partilhar com a gente esta história. Conte quais lembranças correm pela sua cabeça quando pensa neste dia, conte como as coisas aconteceram e o quê aconteceu. Você pode nos envolver com fotos ou músicas tocadas no dia e participar do nosso 3o. Concurso de textos:


É isso! Eu e toda essa gente que por aqui passa estamos loucos para saber mais dessa história!!!

Mande-a para: somnia.carvalho@gmail.com


16 abril 2013

Veja o que você fez! Marinalva (Joana) "recebe" sua máquina e passa mal de tanto chorar!

(Marinalva, a "Joana" da nossa Campanha, ontem ao saber do que aprontamos para ela)

Aaaaai gente!

Ontem foi emoção pura! Ceis não têm ideia!

Como sou uma pessoa quase má eu não havia falado absolutamente nada para a "Joana", quem agora posso dizer que se chama Marinalva e nada para a Dora sobre nossa Campanha do realize o "sonho da Dora e da Joana".

Ontem, encontrei com a Marinalva na escola e lá vem ela de novo... o sorriso, o abraço, um carinho imenso! Ai que mulher! Veio me abraçando, falando da semana, me entregou meu carregador de celular (uma das milhares de peças que esqueço na escola e ela guarda pra mim) e aí como eu não sabia como dizer de sopetão "você ganhou uma máquina!" eu emendei:

- Marinalva, cê me disse que tinha feito aquele curso de costura não foi?

- Ih minina, pois é... tão bom! Muitu bom mesmo, mas eu não pude continuar cê sabe né fia...

- Então, mas cê continua custurando?

- Não fia, eu num tenho a máquina... num pude comprá ainda não...

- Ah é... mas Marinalva essa máquina tem que ter o quê?

- Tem que ser industrial fia, pra eu costurá uniform, roupa pra indústria... Eu já vi tudu! Já fui na loja, falei com o gerente, vi o preço, mas num posso comprá agora fia... mas eu falei pro meu maridu: "eu vou comprá essa máquina!" (...)

- Qui que cê poderia fazer se tivesse a máquina Mari?

- Nossa fia! Tudo! Eu poderia fazer tudo! Ajudá em casa, pagá o aluguel, ajudá meu maridu, minha fia...

- Então Marinalva... Queria ti dizê que cê não pricisa mais comprá sua máquina...

- O quê??? - e uma cara de muito espanto se fez...

- Pois é! Eu fiz uma campanha na internet com umas "amiga". Falei de você e de seu sonho e a gente conseguiu o dinheiru. Posso comprá a máquina pra você! cê pode ter sua máquina amanhã, se quiser!

Bom... Fortes emoções! Eu disse que sou má e fui má com a Marinalva que é boa comigo.

A Marinalva chorou gente, mas ela chorou tanto que só de lembrar eu choro de novo. Ela soluçava de chorar e a verdade é que eu não fazia ideia de quanto a máquina de costura era importante pra ela. A ideia de ter a máquina, de poder fazer dinheiro nas horas vagas, pagar as contas dela, tirar a família do sufoco financeiro em que está, viver com dignidade, fazer uma coisa que gosta muito e manter o sonho da sua família de pé...

Eu não fazia ideia!

Só sei que ela ligou pra filha, pro marido, falou para todo mundo na escola e as pessoas foram se juntando, conversando... Era secretária chorando pra cá, professor e professora pra lá... Todo mundo muito emocionado porque todo mundo conhece a Marinalva! E todo mundo sabe do sonho dela ou, como eu, achava que sabia.

Ela chorou por umas duas horas seguidas. Na foto acima, já fazia 1 hora que eu havia dado a notícia e ela continuava a chorar quando tocava no assunto.

A Marinalva, essa pernambucana de 48 anos, casada, mãe de uma moça, moradora em São Paulo há mais de 20 anos, disse que queria muito, mas muito abraçar cada um de vocês quem tornou isso possível pra ela. Ela disse assim: "Fia, eu não sei quem são, mas diz que eu tô dizendo: "muuuito obrigado! Que Deus dê tudo em dobro pra eles!, essa alegria!".

É isso, minha gente!

Já estou organizando com ela a compra. A máquina que ela quer custa R$1.200 reais e foi a máquina sugerida pelo curso do Senai que ela fez. Ela já pesquisou  tudo! Ainda sobra o dinheiro para o sonho da Dora, com quem não consegui ainda falar e talvez, talvez ainda um curso de costura extra para a Marinalva... mas isso é segredo!

Vocês têm noção do que a gente fez junto?

Tati, Mel quem me ajudaram a organizar isso, muuuuito obrigada meninas!!!

Elas e vocês que enviaram as doações, recebam o abraço apertadíssimo da Marinalva. Ela me disse que me abraçou ontem pensando em todos vocês!!!

O-BRI-GA-DA!!!

Vocês são demais!!!

E chega de emoções fortes por hoje!



13 abril 2013

Fantástico! Resultado Final da Campanha "Dora e Joana"


Para quem não passou por aqui esses dias eu liderei uma campanha de arrecadação de dinheiro para realizar o sonho de duas mulheres que conheço.

A Dora e a "Joana" são duas faxineiras cujo sonho em comum tem a ver com costura. A Dora, quem faxina casas a semana toda, já é costureira nas horas vagas. Seu excelente trabalho, mas baixíssimo ganho, não lhe deu condições ainda de realizar um curso de Desenho para poder desenhar os sofás, poltronas e cortinas que lhe ajudariam a fazer melhor seu trabalho. Ela me falou disso outro dia, quando tentava rabiscar, em vão, meu sofá da sala para me fazer uma capa.

A "Joana", nome fictício, trabalha comigo num dos locais onde leciono e também e faz a faxina do prédio. Desde ano passado que pede minha ajuda para ver algum curso de costura para fazer, pois seu maior sonho é "largar a vassoura um dia e viver de costurar pra fora".

Envolvida com isso, com ajuda de minhas amigas Melina eTatiane movimentamos algumas pessoas - o que pra ser MUITO sincera, foi MUITO fácil - e conseguimos arrecadar um dinheiro para comprar uma máquina de costura para a Joana e pagar o curso de desenho para costura para a Dora.

Nem uma das duas sabe dessa ideia mirabolante. Eu falarei com as duas na segunda-feira. Entregarei o cheque e verei com elas como viabilizar as duas coisas. Onde podemos comprar a máquina, qual, de fato, ajudará a Joana a treinar ser costureira, onde há um bom curso de desenho para a Dora que seja no caminho entre seu trabalho no centro e sua casa na periferia.

O resultado disso tudo e o quanto eu conseguir registrar disso eu trarei para vocês na terça-feira próxima.

Hoje estou aqui para dizer, do fundo do coração, obrigada!
Eu reconheço a boa vontade e a generosidade de cada uma e cada um de vocês!
Eu reconheço o fato de não terem ficado paralisadas e paralisados e deixado a crítica ser mais forte do que o desejo de me ajudar a fazer o sonho das duas realizado e o futuro delas, e porque não?, ser transformado.
Eu reconheço a grande confiança que vocês depositaram em minha palavra, na da Mel e da Tati! (infelizmente, a Adriana não conseguiu envolver ninguém na campanha, mas foi muito eficaz envolvendo gente em outros projetos incríveis!).
Agradeço a amiga Elisângela Almeida por ter se colocado como líder da campanha, envolvido alguém e causado um depósito bastante importante pro resultado.

E finalmente reconheço o amor de todos vocês!!!

Bom, agora posso dar uma disparadinha no seu coração?

As doações, por pessoa, foram desde os valoes de R$10,00 a R$600,00.

Semana passada, nós arrecadamos R$1.500,00 redondos e nesta segunda (prorrogada a pedido de muita gente) o total de R$1.163,09, somando um total arrecadado na campanha de:

R$2.663,09

Inacreditável não?

Juro que senti um frio na barriga de responsabilidade! E um no coração de emoção!

Eu prometo a vocês que esse dinheiro será investido para as duas da melhor forma possível, de maneira que essa compra ou investimento possa dar a elas uma luz sobre o que desejam para seu futuro, como querem fazer, o que podem fazer!

Gente, obrigada!!! E deixa eu parar porque já estou cá eu às lagrimas!!!

Antes do tchau, porém, eu peço um aplauso de reconhecimento a essas pessoas aí abaixo:

- Maria Fernanda D´Antona
- Álvaro D´Antona
- Elisângela Colaço
- Gustavo Aguiar
- Wilmar Lucas
- Beth Lilás
- Fernando A. Tavares Canhisares
- Fabiana Pegoraro
- Kenth Lundgren
- Ângela Maria Lundgren
- Adriana Cechetti

Tenho dois depósitos não identificados de novo estas semana. São das agências 01840 e 00145. Se seu nome não estiver na lista, me envie, please, porque novamente recebi depósitos com números apenas e não sei dizer, ao certo, quem foi.

Um beijão, ótimo sábado pra todo mundo!


11 abril 2013

Extra!!! Novo Concurso de textos do Borboleta: Uma casamento, mil lembranças


("Pra sonhar", Marcelo Jeneci)

"De tanto não parar a gente chegou lá!..."

Eu tenho pego algumas caronas com meu amigo Luís Damasceno, professor de Literatura do Colégio e ideias ótimas é o que não me falta quando estou na prosa com o Luís. Imagina aquele professor de Literatura apaixonado pela poesia, pelas histórias, pelo teatro, romântico como os românticos eram nos séculos passados. Incorrigível!

Bom, de nossa conversa de ontem surgiu minha ideia para o próximo concurso do Borboleta (obrigada Lu!). Na verdade, agora, quando, coloquei a música para ouvir de novo.

Ouvindo esta canção tão deliciosa e vendo as imagens do clipe eu lembrei do meu casamento, dos que já fui e de como, em toda minha vida e ida a centenas de casamento, eu só não chorei uma única vez. Quer dizer gente! Vamu combinar que casamento é um negócio de trazer mil lembranças e muito mais!

A música do Jeneci "Pra sonhar" e o vídeo oficial da música, baseada no programa "Chuva de arroz" do GNT, serão nosso pano de fundo. Nossa inspiração... Eu sempre a achei tão linda, tom fofa, mas só ontem fiquei sabendo pelo Luís quem a cantava. Tô feliz da vida com esta nova descoberta!

Então, gente que se emociona com casamento igual a mim, dou início hoje nosso 3o. Concurso de Textos. E o tema dessa vez será "Um casamento, mil lembranças".

Tenho certeza de que tal qual como "Uma foto, mil lembranças" e "Uma música, mil lembranças"

Na verdade, eu havia anunciado outro foco há um tempo atrás, mas como nem eu mesma consegui escrever meu texto achei que não fosse, de fato, algo tão inspirador. Ou era, mas deixei passar tempo demais! Volto a ele num outro momento.

Você poderá fazer um texto sobre seu casamento ou o casamento de alguém. Pode falar de um casamento em que esteve presente. O importante é que este casamento lhe traga mil lembranças!

Pode ser um casamento tradicional ou completamente inusitado. Pode ser um casamento na Igreja ou num local totalmente inusitado! Isso não importa!

Se quiser, ainda, escrever lembranças imaginárias de um casamento no qual você nem mesmo esteve presente, mas sobre o qual você ouviu histórias, criou fantasias, se imaginou lá, também tá valendo!

Eu, por exemplo, sempre que olho ÚNICA foto de casamento dos meus pais eu tento imaginar como foi aquele dia... Na verdade faço isso desde criança. Eu sei! Eu sou lelé! Você não! rs...

Se tiver uma foto, ou vídeo editado (de no máximo 2 minutos) ou música que queira fazer acompanhar sua história você deve enviá-los junto do texto. Se for música do youtube é só me mandar o link.

Para participar você precisa escrever um texto em que narre os principais fatos que cercaram este casamento o qual lhe traz mil lembranças. Para que ele seja atraente para quem lê você não deve descrever o casamento, mas deixar as lembranças fluírem lenta e calmamente no papel. Deixe que a gente veja as cores, as pessoas, ouça a música, sinta os cheiros e os sentimentos envolvendo você e todos no local.

Vocês topam?
Diz que sim! Diz que sim!!!

Antes, porém, você precisa ouvir a música do Jeneci (a letra está logo abaixo do post) e ver este vídeo aí! Eu duvido que ideias, lembranças não faltarão! Você vai se sentir assim como eu tô! Cheinha e cheinho de amor pra escrever e partilhar!

Início do concurso: quinta-feira, dia 10 de abril de 2013.
Término do concurso: sexta-feira, dia 10 de maio 10 de Junho de 2013, até as 23horas e 59 minutos.

Premiação: uma pintura aquarela do projeto "Fugacidade" da Magnânima artista que sempre nos premia neste concurso, Somnia Carvalho (e quem até que tem agradado a clientela).

Como participar?: enviar seu texto, até a data acima, para: somnia.carvalho@gmail.com.

Tô esperando sua história para sonhar com você!!!

E ótima quinta-feira pra todo mundo!

...


Pra Sonhar

"Quando te vi passar fiquei paralisado
Tremi até o chão como um terremoto no Japão
Um vento, um tufão
Uma batedeira sem botão
Foi assim viu
Me vi na sua mão
Perdi a hora de voltar para o trabalho
Voltei pra casa e disse adeus pra tudo que eu conquistei
Mil coisas eu deixei
Só pra te falar
Largo tudo
Se a gente se casar domingo
Na praia, no sol, no mar
Ou num navio a navegar
Num avião a decolar
Indo sem data pra voltar
Toda de branco no altar
Quem vai sorrir?
Quem vai chorar?
Ave maria, sei que há
Uma história pra sonhar
Pra sonhar
O que era sonho se tornou realidade
De pouco em pouco a gente foi erguendo o nosso próprio trem,
Nossa Jerusalém,
Nosso mundo, nosso carrossel
Vai e vem vai
E não para nunca mais
De tanto não parar a gente chegou lá
Do outro lado da montanha onde tudo começou
Quando sua voz falou:
Pra onde você quiser eu vou
Largo tudo
Se a gente se casar domingo
Na praia, no sol, no mar
Ou num navio a navegar
Num avião a decolar
Indo sem data pra voltar
Toda de branco no altar
Quem vai sorrir?
Quem vai chorar?
Ave maria, sei que há
Uma história pra contar
Domingo
Na praia, no sol, no mar
Ou num navio a navegar
Num avião a decolar
Indo sem data pra voltar
Toda de branco no altar
Quem vai sorrir?
Quem vai chorar?
Ave maria, sei que há
Uma história pra contar".
(Marcelo Jeneci)

09 abril 2013

Além da barricada: o resultado da campanha "O sonho da Dora e da Joana"


(Original image from: Bobbinsewingschool) 

Will you join in our crusade?
Who will be strong and stand with me?
Beyond the barricade
Is there a world you long to see?
Then join in the fight
That will give you the right to be free!

(Você vai se unir a nossa cruzada?
Você será forte e ficará comigo?
Além da barricada
Há um mundo para se ver por muito tempo?
Então junte-se à luta
E você ganhará o direito de ser livre.)

Do you hear the people sing? , canção desfecho de "Os miseráveis".

Gente mais que querida,

Queria convidar vocês a lerem o post de hoje ouvindo a música "Do you hear the people sing?", cujo trecho coloquei aí acima... é arrepiante! rs...

Primeiro, peço desculpas por não ter publicado o post sobre o resultado da nossa campanha "O sonho da Dora e da Joana", ate as 18 horas de ontem, como prometido. Tive algumas complicações técnicas com isso. E, segundo, quero dizer que está difícil encontrar palavras para expressar minha gratidão, minha alegria interior com o que vocês causaram este fim de semana e ontem. 


É sério! Foi demais! Emocionante! Tocante! Comovente! Vocês foram extraordinárias e extraordinários! Obrigada, do fundo do coração!



Acordei hoje e mais uma mensagem no meu Facebook, desta vez de uma amiga que não vejo há pelo menos uns 18 anos! Vejam isso! Comovida com a história, cheia de identificação, mas sem condição de contribuir ela mesma, movimentou algumas pessoas e conseguiu R$230 para Dora e Joana.

Isso não é extraordinário? Não é sair da caixa, quer dizer, sair daquilo que nos prende e nos segura e nos diz o tempo todo "não tem jeito", "não consigo", "é trabalhoso" , "não tenho dinheiro" para algo que vai além de qualquer lamentação ou desculpa?

A primeira doação foi da Renata Viana, amiga de muitos anos, e depois dela eu sabia que as coisas iriam sair muito bem. Assim foi!!! E está sendo ainda...

Colaboraram com esta Campanha até ontem (dentro do que consegui reconhecer de depósitos feitos) gente de São Paulo, Goiânia, São José dos Campos, Bragança Paulista, Campinas e Jundiaí, do Brasil, e Malmö, da Suëcia. 

Tivemos 27 pessoas que doaram dinheiro e fizeram o depósito ou entregaram o dinheiro pessoalmente. Além desses, 6 promessas de depósito que ainda não foram efetuadas. Dessas 26 que de fato fizeram a doação arrecadamos exatos R$1.500,00. Dá para acreditar? Sim, hum mil e quinhentos reais em três dias! Do nada! Apenas de um post num blog e algumas mensagens entre amigos no facebook. 


Dos depósitos feitos eu não consegui identificar três deles (2 números de agências e uma empresa Cia. das Luzes). Se quiser se identificar é só me enviar um email (somnia.carvalho@gmail.com).


Ao contrário do que nós dizemos para nós mesmos sobre ninguém se importar mais com ninguém, ao contrário de pensarmos que para mover alguma causa importante nós precisamos ter dinheiro nós mesmos, ao contrário de achar que nada dá certo porque ninguém colabora, o resultado extraordinário está aqui!



Nosso propósito era de comprar uma máquina de costura (de preferência de overloque  a que mais se adequar às necessidades delas e for mais eficiente) para a Joana e pagar um curso de desenho para costura para a Dora. A quantia já é suficiente para comprar uma boa máquina, talvez não a de overloque ainda. 

Ontem algumas pessoas ainda disseram querer muito colaborar, mas não ter tido tempo para fazê-lo. A Tatiane, a Adriana e a Melina me pediram até sexta-feira para conseguirem falar com mais de seus amigos. Não era minha ideia inicial, mas dado que falta tão pouco para conseguirmos pagar as duas coisas ótimas para as duas então abri mão da data e estou estendendo até sexta-feira, dia 12 de abril, `as 23:59. Sem mais, okey? 

Gente, muito, mas muito obrigada por serem o remo que eu precisava nesta jornada! Muito obrigada por serem solidárias, generosas, boas e por aproveitarem a oportunidade para sê-lo! Obrigada por me fazer sentir tanta liberdade e tanto poder estes dias! Liberdade com relação à ideia de que eu preciso ter dinheiro para mover o mundo e poder para sentir que quase qualquer coisa a que eu me propor fazer, desde que eu inspire as pessoas e as envolva, eu posso!

Um enorme beijo e peço, por favor, que vocês aplaudam as pessoas abaixo:

Renata Igarasi Viana
Leandro Leite
Daniela dos Santos Silva
Alexandra Brasil
Elizabeth Aparecida de Souza
Susette Aparecida de Souza
José Caetano Pinto
Irene Cechetti Pinto
Maria Yamamoto Baldin
Françoise Cássia Ernesto
Liane Muniz
Magnus Corrêa Russo
Cia das Luzes Produções Artísticas
Daniela Bargagli
Roseli Moret
Daniel Prestes Sanches
Gláucia Gotardo
Maria Júlia Alvarez
Amiga de Elisângela Almeida 
Melina Aguiar
Amiga de Melina Aguiar
Daniel Sanches
Eliane Kubota
Edith Borges
Flávia Ducatti
Gustavo Marangoni e
Jéssica Rivera

Grande Beijo, 
Sábado de manhã eu dou o resultado final! E segunda entrego o prêmio para Dora e Joana quem não fazem ideia do que anda rolando por aqui! Acho que será muuuito emocionante!

(ps: se você fez a colaboração e seu nome não apareceu na lista me avise que edito a lista)

07 abril 2013

Eu tenho um sonho. E você?


("I have a dream", ABBA)

Vocês já sabem da minha paixão escancarada pelo ABBA não é?

Já até expliquei como meu amor brega por eles como menina dos anos 80, no interior de São Paulo, se transformou em algo como louca identificação vivendo na Suécia, morando na mesma cidade que um dos integrante; vendo nas paisagens dos clipes da banda a Suécia que aprendi a amar; vendo nos integrantes cada sueco e sueca que aprendi a conhecer e respeitar.

Hoje em dia ABBA tem este misto de infância com sonhos que consegui conquistar. Eu sei! Podem rir! Nem faz sentido para tanta gente: música brega, produto de indústria cultural, mas gente, é sério, ABBA me dá sempre uma energia deliciosa.

Acordei pensando nesta música hoje, porque também acordei pensando em muitos emails e mensagens que recebi sobre "O sonho da Dora e da Joana". Eu estou emocionada, sem demagogia, com tanta gente dizendo: "Sônia, pode me dar o número da conta que quero colaborar".

Sabe o que isso tudo me fez pensar: que as pessoas são boas. Ou pelo menos a maior parte delas quer muito ser boa, elas só precisam de chances de provar isso. Se eu estiver errada nisso também talvez seja porque pelo menos muitas delas acreditam que fazer a coisa certa é o que vale.

Sabe, eu tenho um sonho, e ele se repete meio que desde quando sou muito pequena.. Eu tenho o sonho de fazer minha vida valer muito a pena! Muito! E embora eu saiba o quanto minhas pequenas ações de formiga estão a anos luz de distância do que grandes mulheres e homens já fizeram pela humanidade eu ainda assim continuo com ele.

Hoje quero vir e dizer: Gente, obrigada! Do fundo do coração!

Por confiarem em mim, primeiro. Por confiarem que não vou sumir com seu dinheiro, que farei o que foi dito. Por me darem a oportunidade de ir pondo estes meus "soinhos" em prática. Por confiarem que a Dora e a Joana valem a pena! Vocês nunca a viram, sabem pouco delas, menos do que eu, mas deram um voto de confiança.

Um enorme beijo e fiquem com "I have a dream" dos meus amigos do ABBA.

Somnia.

ps: quem quiser doar ainda, a campanha encerra-se amanhã às 18:00. Com prazo curto a gente é "obrigado" a se mover, a não cair em "histórias" e ir empurrando como empurramos quase tudo que achamos importante fazer. Para aqueles que disseram que querem participar, mas ainda não o fizeram eu peço que me enviem quando o farão e se possível com quanto, pois amanhã teremos uma prévia do resultado para dar para todos as 18, ok? 

Para participar basta me enviar um email somnia.carvalho@gmail.com que eu envio os dados para depósito. 

...


I Have A Dream

"I have a dream
a song to sing
to help me cope
with anything
if you see the wonder
of a fairy tale
you can take the future
even if you fail
I believe in angels
something good in
everything I see
I believe in angels
when I know the time
is right for me
I'll cross the stream
I have a dream

I have a dream
a fantasy
to help me through
reality
and my destination
makes it worth the while
pushing through the darkness
still another mile
I believe in angels
something good in
everything I see
I believe in angels
when I know the time
is right for me
I'll cross the stream
I have a dream."

ABBA

...

"Eu Tenho Um Sonho

Eu tenho um sonho,
Uma canção para cantar
Que me ajuda a enfrentar
Qualquer coisa
Se você vê maravilhas
Em um conto de fadas
Você pode agarrar o futuro,
Mesmo se você falhar
Eu acredito em anjos
Algo bom em
Tudo que eu vejo
Eu acredito em anjos
Quando souber que é a hora
Certa para mim
Eu vou cruzar a corrente
Eu tenho um sonho

Eu tenho um sonho,
Uma fantasia,
Que me ajuda atravessar a
Realidade
E o meu destino
Faz valer a pena,
Enquanto me empurra através da escuridão
Ainda mais uma milha
Eu acredito em anjos
Algo bom em
Tudo que eu vejo
Eu acredito em anjos
Quando souber que é a hora
Certa para mim
Eu vou cruzar a corrente
Eu tenho um sonho".