Pular para o conteúdo principal

"Our last summer"


("Our last summer", ABBA)

Olá minha gente muito querida!

Mais uma vez passei pelo meu escritório, olhei o computador, pensei num dos mais de dezenas de posts imaginados no último mês mas não escritos... Lembrei de como este lugar aqui e os encontros que me proporciona me são importantes... Virei as costas com o mesmo pensamento de que um texto corrido, cheio de desculpas simplesmente não serve para nada. É vazio e não diz o que ando sentindo, pensando. Não conversa com vocês e partilha muito pouco.

Abri então mão de escrever um super post e apenas vir dizer que, enquanto ouvia novamente o "Our last summer" do ABBA eu pensei em muitas de vocês e muitos de vocês.

Estamos de férias. As crianças em casa. Eu trabalhando muito com elas. Viajamos. Vimos a neve no Chile. Cozinhei muitos dias com meus pequenos. Entre muitas gripes, diarréias etc muita brincadeira também. Tem sido intenso em todos os sentidos. Eu disse ao Renato que volto de férias dia primeiro, quando volto ao trabalho... rs...

Eu tenho sonhado muitas coisas pra mim. Tenho planos, projetos etc, mas estou meio "pausada" neste julho. A minha conversa comigo mesma tem dado desculpas para não pôr a mão na massa em coisas que importam pra mim...  Também tenho uma pilha de umas 4 centenas de provas para começar a corrigir. Quer dizer, a vida continua bem, continua muito corrida e muito bem!

E gostaria de saber como anda a de vocês!

Um beijo enorme, um abraço apertado e uma música cheia de saudade do "nosso último verão" - que pra mim é referência sempre de coisas simples, boas demais, vividas diariamente e das quais já sabemos sempre sentiremos tanta saudade!



Comentários

Beth/Lilás disse…
Ah, minha borboletinha, ainda bem que deu notícias, mesmo sendo de uma vida corrida, mas vejo que é uma vida bem vivida, com todos e tudo que ama por perto!
Você gostou do Chile, eu amei? Até moraria lá, mas os terremotos parecem assustar muito a nós brasileiros, né?
E a Cordilheira debruçada sobre Santiago, que coisa mais linda?!
Eu também ando num vai e vem maluco em médicos, quando não é pra mim é pra minha mãe, esta última semana foi punk, mas a gente sobrevive, nem que seja para passar num blog amigo como este e dizer "Bom Dia!".
Criança dá um trabalho danado, são fofos, a gente quer tê-los por perto, mas no fim do dia não sobra tempo pra nós e, mesmo com tanta ideia nesta cabecinha, acho que o físico não dá conta.
Tudo bem, o importante é não desativar este canal, pois ele é o melhor que há nesta Net. Eu entro naquele facebook só pra espiar um pouquinho, mas aquilo não tem graça nenhuma, as pessoas ficam ali num papo superficial, não escrevem muito e a maioria adora aparecer, mostrar suas realizações através de fotos, nada a falar concretamente como aqui. Por favor, não fique abduzida por aquilo lá, pois você é uma pessoa com muito conteúdo para trocar conosco, não desanime de seu lindo blog.
um abraço grande, carioca
Lúcia Soares disse…
Sônia, sinto muita falta de quando éramos um grupinho mais acelerado, comentávamos mais, postávamos mais. Eu, definitivamente (por enquanto...rsrs) perdi meu pique, a mesma velha história, quero "falar" muito mais do que o faço, mas nem sempre o assunto é interessante para ser publicado.
Cabeças pensantes como a sua fazem muita falta em blogagens.
Encantei-me pelo Facebook, apesar da superficialidade dele. Mas é rápido, escrevemos e imediatamente temos resposta (ou ao), mesmo que seja apenas num "Curtir".
Meu marido sempre falava que ao estava de férias, estava "sofrendo férias". Não gostava de viajar e nem de fazer programas dentro da cidade, então como conter 3 crianças em casa?! rsrs
Adoro vir aqui, ler você.
Então nem adianta mandar e-mail, heim? rsrs
E mensagens in box, vc responde? rsrs
Beijo e apareça mais, nem que seja só uma vezinha na semana, para falar do tempo (meteorologicamente falando...). rsrs
Rosa disse…
Oi Sonia, me encontrei com seu blog hoje pela manhã e quase não trabalhei degustando suas doces palavras. É incrivel o descrever do seu mundo. Parabéns viu!

Rosely Almeida - mãe e esposa.
Xu disse…
Baby,

Divido com vc o sumico aqui no Brabuléts.
Tenho que confessar que meu último verão foi em 2011. Tenho pensado muuuuito em vc ultimamente... este raio deste verão ½ boca que te obriga a deixar tudo em segundo plano qdo o solzinho resolve aparecer....porque, vai saber se ele aparece amanhã. A última semana foi um show! Mas antes disso, estávamos num bode daqueles... frio, cinza. Uma nhaca total!
Afe que saudade da terrinha! (e de vc tb)

bjs
ingrid disse…
concerteza o verao é a epoca mais bela e que se vive pequenas e ao mesmo grandes aventuras que jamis serao esquecidas!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

"Ja, må hon leva!" Sim! Ela pode viver!

(Versão popular do parabéns a você sueco em festinha infantil tipicamente sueca) Molerada! Vocês quase não comentam, mas quando o fazem é para deixar recados chiquérrimos e inteligentes como esses aí do último post! Demais! Adorei as reflexões, saber como cada uma vive diferente suas diferentes fases! Responderei com o devido cuidado mais tarde... Tô podre e preciso ir para a cama porque Marinacota tomou vacina ontem e não dormiu nada a noite. Por ora queria deixar essa canção pela qual sou louca, uma versão do "Vie gratuliere", o parabéns a você sueco. Essa versão é bem mais popular (eu adorava cantá-la em nossas comemorações lá!) e a recebi pelo facebook de minha querida e adorável amiga Jéssica quem vive lá em Malmoeee city, minha antiga morada. Como boa canção popular sueca, esta também tem bebida no meio, porque se tem duas coisas as quais os suecos amam mais que bebida são: 1. fazer versão de música e 2. fazer versão de música colocando uma letra sobre bebida nel

Mãe qué é mãe mesmo...

(Picasso, Mãe e criança, 1921) Mãe qué é mãe mesmo... Já deu uma de cientista e foi até o quarto do bebê só para checar se ele respirava. Já despencou de sono em cima dele, feito uma galinha morta, enquanto amamentava. Já caminhou pela casa na ponta dos pés, como uma bailarina, só para não acordar o pimpolho. Mãe qué é mãe mesmo... Já perdeu a conta das mamadas e esqueceu qual o peito deveria dar. Já deu oi pro lindo rapaz que dormia ao seu lado e dormiu antes de continuar a conversa. Já adquiriu habilidades múltiplas como comer com uma mão só e fazer xixi com o bebê no colo. Mãe qué é mãe mesmo... Ama e odeia, ama e odeia. Às vezes chora e muitas vezes sorri. É ao mesmo tempo carrasca e heroína. Mãe... é uma garota crescida com uma boneca de verdade nos braços. Precisa de atenção e carinho tanto quanto seu brinquedo.

O que você vê nesta obra? "Língua com padrão suntuoso", de Adriana Varejão

("Língua com padrão suntuoso", Adriana Varejão, óleo sobre tela e alumínio, 200 x 170 x 57cm) Antes de começar este post só quero lhe pedir que não faça as buscas nos links apresentados, sobre a artista e sua obra, antes de concluir esta leitura e observar atentamente a obra. Combinado? ... Consegui, hoje, uma manhã cultural só para mim e fui visitar a 30a. Bienal de Arte de São Paulo , que estará aberta ao público até 09 de dezembro e tem entrada gratuita. Já preparei um post para falar sobre minhas impressões sobre a Bienal que, aos meus olhos, é "Poesia do cotidiano" e o publicarei na próxima semana. De quebra, passei pelo MAM (Museu de Arte Moderna), o qual fica ao lado do prédio da Bienal e da OCA (projetados por Oscar Niemeyer), passeio que apenas pela arquitetura já vale demais a pena - e tive mais uma daquelas experiências dificilmente explicáveis. Há algum tempo eu esperava para ver uma obra de Adriana Varejão ao vivo e nem imaginava que